domingo, 15 de março de 2020

Mais de 174 mil portugueses já assinaram petição por quarentena geral e fecho de fronteiras

Texto da petição sublinha importância de medidas mais drásticas e o sucesso de Macau.

SOL

Foto: AFP

A iniciativa foi lançada no dia 12 de março por Diana Franco, uma psicóloga e formadora de 37 anos, que se sentia “impotente” perante uma situação em que poderia não conseguir a filha ou os pais, na sequência do surto de Covid-19.

Os portugueses parecem ter respondido em massa e apenas três dias após a criação da petição, já estão reunidas mais de 158 mil assinaturas.

Mais de 174 mil pessoas assinaram uma petição eletrônica a favor de uma quarentena obrigatória para todos os portugueses e do fecho das fronteiras de forma a conter o surto de Covid-19.

Em declarações à agência Lusa, Diana Franco explicou: "Senti-me impotente, porque senti que estava perante uma situação que poderia não conseguir proteger a minha filha nem os meus pais".

Apesar de pensar que "já não ia a tempo de nada" e sem imaginar que "iria alcançar um número considerável de assinaturas", a psicóloga lançou na mesma a petição, que não para de subir o número de apoiantes.

 No texto apela-se a que "seja decretado de imediato o regime de quarentena obrigatória à população em geral, bem como o fecho de fronteiras" e, "à semelhança do que aconteceu em Macau, caso de sucesso a nível mundial, Portugal deveria adotar medidas mais drásticas para a contenção do vírus".

A petição tem como destino a Assembleia da República, e é dirigida também ao Presidente da República e ao primeiro-ministro.
Título e Texto: SOL, 15-3-2020

Texto da Petição:

Quarentena obrigatória para todos e fecho das fronteiras

Para: Ministério da Saúde, Presidente da República, Primeiro Ministro, Assembleia da República

Que seja decretado de imediato o regime de quarentena obrigatória à população em geral, bem como o fecho de fronteiras. à semelhança do que aconteceu em Macau, caso de sucesso a nível mundial, Portugal deveria adotar medidas mais drásticas para a contenção do vírus. 

Deveríamos antecipar os nossos passos a nível de prevenção e, em vez de decretarmos o fecho das escolas ou de alguns serviços, circunscritos a zonas de risco, deveria ser decretada uma quarentena obrigatória para a população em geral, de forma simultânea, pelo período de 3 a 4 semanas, ainda antes de chegarmos à fase de Mitigação. Só assim poderemos evitar verdadeiramente que o Covid-19 se propague na comunidade de forma descontrolada e assegurar uma resposta eficaz e sustentada por parte dos serviços de saúde. 

Este período iria permitir que quem está infetado desenvolva a doença e receba a assistência médica adequada para o seu caso e, simultaneamente, evita-se a propagação do vírus na comunidade.

Não queremos chegar à situação de Itália, com os serviços de saúde a abarrotar, com recursos limitados para prestar uma assistência eficaz aos pacientes e com uma equipa médica exausta, com a cabal missão de escolher a quem dão assistência.  

Portugal não se deve pôr à prova numa pandemia desta envergadura, com os riscos econômicos e sociais que tudo isto implica.

Apesar de todos os avisos e de todas as notícias, a população não tem plena consciência da forma de propagação do vírus. Decretar o fecho de escolas permitindo que os restantes serviços continuem a funcionar é manter o risco de contágio na comunidade, porque ser assintomático é continuar a levar o covid-19 para a rua, aumentar a disseminação e diminuir as possibilidades de resposta dos serviços de saúde.

QUARENTENA OBRIGATÓRIA PARA TODOS EM SIMULTÂNEO, É AGORA!!

Para assinar clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-