quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Eleições: Deputada quer fim da cota de gênero

Parlamentar do PSL apresenta proposta para mudar a Lei Eleitoral

Anderson Scardoelli

Acabar com a cota de gênero em partidos políticos em casos de candidaturas para os cargos de vereadores e deputados. É assim que a deputada federal Caroline de Toni (PSL-SC) [foto] define o Projeto de Lei (PL) de sua autoria que modifica ponto da legislação eleitoral vigente no país. Isso porque a proposta apresentada por ela extingue a obrigação para que siglas tenham pelo menos 30% de mulheres entre as candidaturas apresentadas para essas funções.
 
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
De acordo com a parlamentar, tal regra faz com que legendas partidárias praticamente implorem para que mulheres aceitem se lançar candidatas a algum cargo público. “É inegável que infelizmente apenas uma parcela muito pequena das mulheres se interessa por atividade político-partidária”, avalia a deputada federal, conforme noticiado pela Agência Câmara. Ou seja: ela se coloca como exceção à regra.

Problema
Nesse sentido, Caroline de Toni chama a atenção para um fato. Caso uma candidata a vereadora de São Paulo pelo PSL desista da candidatura, por exemplo, é capaz de toda a chapa do partido ser anulada pela Justiça Eleitoral — caso esse movimento faça a sigla não atingir os 30% de mulheres candidatas à função.

Título e Texto: Anderson Scardoelli, revista Oeste, 18-8-2020, 21h35

Um comentário:

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-