sábado, 29 de agosto de 2020

[Viagens, Produtos e Serviços] Voando do Rio a Lisboa a bordo da caríssima TAP e sua tripulação Schutzstaffel (SS)

O voo 2551, RIO/LIS, decolagem às 18h50, hora local. Equipamento: Airbus A 330 NEO.

Fila enorme no check-in (cinco atendentes). Somente este engraçado escriba guardava distância da pessoa à sua frente. Sim, é engraçado, pois no avião, lotado, viajamos encostados uns aos outros.

O jantar servido com a costumeira demora, foi bom: um simplificado picadinho, prato que muito aprecio.

Outra coisa que tenho observado e me apresso em dividir com você, generoso leitor: as telinhas individuais de entretenimento são perfeitas. Acessíveis por controle remoto e/ou toque tátil respondem perfeitamente, sem travamentos, congelamentos e outros “entos”.

Foto daqui
Nas viagens que fiz nunca percebi alguém chamando o comissário porque a sua tela travou, apagou, deu tilt… bem diferente do que acontecia nos B-777 que tripulei no último ano do século XX e primeiros do século XXI!

Assisti a um filme com Tom Cruise (Edge of Tomorrow/No Limite do Amanhã). Confesso que algum tipo de vírus se apoderou de mim, congelou o meu livre arbítrio e me obrigou a assistir a essa comédia até ao… The End! What the shit!!


Aproximando Lisboa eis que tênue iluminação é alumiada indicando o próximo serviço de bordo: café da manhã/pequeno almoço/breakfast/desayuno/petit déjeuner. Que na TAP é resumido à entrega na sua mão de um bolinho e um guardanapinho!!

Foto daqui
Porra! estão gozando com o passageiro de econômica, desprezando-o até! Me poupem de desculpas transferidoras de responsabilidade! Custaria muito colocar num pratinho (podia até ser de papelão) duas fatias de presunto e duas de queijo prato e cobrir com vitafilm, exatamente como é feito com o pãozinho, a saladinha e a sobremesa do jantar?!?!

Esperava-se que reduziriam o preço da passagem. Pelo contrário! É o que sempre acontece em situação de monopólio, isto é, a TAP é a única empresa que faz RIO/Lisboa direto!

Para fechar com chave de ouro, ou pior, de latão. Eu compreendo bem que os passageiros sejam impedidos de se levantar durante o táxi da aeronave: pode acontecer uma freada brusca justamente no momento que o pax retira a sua bagagem e esta escapar até à cabeça de outro pax…

Mas, o que presenciei e vivenciei no desembarque deste voo foi constrangedor e ridículo. A tripulação comunicara antes que os passageiros aguardassem sentados até à “autorização de desembarque”. Nunca ouvi, nunca soube dessa ‘autorização’ durante a minha carreira profissional. Mas, tudo bem, os procedimentos mudam, evoluem, se aperfeiçoam…

O avião encostou no finger, DESLIGOU os motores, PORTA ABERTA… o jovem comissário se esganiçava (com aquele prazer que somente os que não têm poder de fato, sentem) em impedir que os passageiros se levantassem!!

Os passageiros da classe Executiva DESEMBARCANDO e os da Econômica proibidos de levantar-se da poltrona!?!

Gente amiga, foi a primeira vez na minha vida, de passageiro, que, ao desembarcar, não pronunciei palavra, sequer olhei para os comissários.

Anteriores:

Um comentário:

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-