terça-feira, 10 de novembro de 2015

Golpistas da esquerda: e que tal irem juntinhos a novas eleições?

António Ribeiro Ferreira
Concluída a maior fraude da democracia portuguesa, exige-se que os golpistas Costa, Catarina e Jerónimo sujeitem o seu golpe de esquerda ao julgamento do povo português.

As alminhas de esquerda andam numa enorme excitação com o putativo governo de derrotados e golpistas. Algumas confessam mesmo em público que andam por aí a fazer figas, cheias de esperança, para que o executivo golpista não fique arrumado a um canto à espera de melhores dias. Depois de dias e dias de negociações obscuras e pela calada da noite, chegou a hora da verdade. Amanhã, a esquerda unida derrubará o governo legítimo dos vencedores das eleições de 4 de Outubro e ficará a fazer as tais figas para que o Presidente da República seja cúmplice da maior golpada da democracia portuguesa e aceite o derrotado Costa como primeiro-ministro deste desgraçado país que foi miseravelmente levado à bancarrota em 2011 pelos chefes da golpada deste final de 2015.

Sim, porque como se relembra no programa do governo legítimo dos vencedores das eleições de 4 de Outubro, a história não começou aqui: “Em 2011, Portugal viveu uma situação excepcional que podemos com toda a legitimidade qualificar de ‘emergência nacional’. Com um défice orçamental em 2010 superior a 11% do PIB e sem condições para obter financiamento nos mercados internacionais, o Estado viu-se incapaz de respeitar compromissos externos e, mais grave ainda, na iminência de não ter meios para sustentar o cumprimento dos seus compromissos para com os portugueses – pagando os salários dos funcionários públicos e as pensões de quem trabalhou e em si confiou, assim como fazer face aos encargos sociais. Nestas circunstâncias, o governo de então, apesar de se encontrar em gestão em virtude de ter apresentado a sua demissão, solicitou e negociou com os nossos parceiros internacionais um auxílio financeiro, que resultou num exigente Programa de Assistência Económica e Financeira.”

Pelo andar da carruagem, e se Cavaco Silva quiser ir para a reforma assistir de balcão à governação dos golpistas, este desgraçado país está condenado, a curto prazo, a passar pela mesma experiência de 2011. A esquerda golpista unida vai aumentar a despesa do Estado e reduzir a receita. A esquerda golpista unida vai obviamente fazer disparar o défice e aumentar a dívida. A esquerda golpista unida acha que o Tratado Orçamental é para alemão ver e pagar os desmandos de quem gasta o que não tem. É evidente que os socialismos dos golpistas da esquerda unida acabam quando acabar o dinheiro. E quando acabar o dinheiro, os golpistas da esquerda unida batem em retirada e passam a gritar alarvidades contra a austeridade imposta por quem emprestar dinheiro para o Estado pagar salários e pensões.

Ainda o governo dos golpistas da esquerda unida está longe de ser uma realidade e já estão aí todos os sinais do desastre que vai atingir em cheio os portugueses. As agências de rating torcem o nariz, os investimentos estão suspensos, quem pensava criar emprego meteu os projectos na gaveta e Portugal está de novo na mira dos mercados. Mas os golpistas da esquerda unida ainda têm uma oportunidade de mostrar que são gente com alguma coragem e seriedade. Acabados os joguinhos e os acordos, peçam desde já ao futuro inquilino de Belém que convoque eleições antecipadas em 2016 para que o povo, que os golpistas da esquerda unida invocam tantas vezes em vão, possa julgá-los nas urnas, um velho costume democrático esquecido nesta monumental golpada do Outono de 2015.

E aí, assim, juntinhos de facto, sem mentiras e golpes, podem ganhar legitimidade para levarem o país à quarta bancarrota em 41 anos de democracia. Se Cavaco os deixar governar e o próximo Presidente assobiar para o lado e não convocar eleições, não se admirem do que vos poderá acontecer quando vier um novo resgate e o povo voltar a sofrer o que sofreu nestes últimos anos. Estes crimes raramente ficam sem castigo.
Título e Texto: António Ribeiro Ferreira, jornal “i”, 10-11-2015

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-