domingo, 10 de abril de 2016

Asas do pensamento

Todo o dia publicamos uma citação na seção “Asas do pensamento”.

A de hoje:



No espaço dos comentários desta postagem publicaremos os comentários dos leitores atinentes à citação do dia.

Obrigado!

18 comentários:

  1. Estarmos sozinhos trata-se de uma escolha pessoal.
    Ninguém nasce sozinho, precisa de uma mãe e de um pai para existir.
    Ninguém passa pela vida sem que, ao menos em 1 momento, necessite do outro.
    E na hora de nossa morte contamos com as nossas lembranças passadas, os anjos e Deus.

    lp

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado pela gentil participação!

    A citação objeto do comentário é esta (5 de maio de 2016):

    "Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos e morremos sozinhos. Somente através do amor e das amizades é que podemos criar a ilusão, durante um momento, de que não estamos sozinhos.
    Orson Welles"

    ResponderExcluir
  3. Efetivamente, e de forma natural, a maior parte da nossa vida passamos acompanhados: pelos pais e, posteriormente, por companheiro/companheira...

    ResponderExcluir
  4. Orson Welles exagerou em sua afirmação, pois não?
    Tem ainda a pessoa, que mesmo estando em companhia de outras (amigos, familiares e demais) e com uma vida plena sente-se sozinho, por isso que digo ser uma escolha pessoal e não um destino do ser humano.
    lp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei... Penso que a citação/pensamento tem muito a ver com o momento e crença pessoais...
      Também penso nos dois conceitos: só e sozinho.
      Sim, em qualquer conceito pode ser uma opção pessoal.

      Excluir
  5. Posso comentar?
    O comentário de Orson Welles, está se construindo sobre a maturidade e a velhice. Não conseguiríamos viver na infância sozinhos.
    Sempre houve e sempre haverá batalha de egos nos colégios, nas profissões e nas famílias. Quando casei decidi ter um só filho, pois sempre assisti a discórdia de irmãos nas divisões de bens. Até nesse sentido irmãos se sentem sozinhos. Todo o pensamento é volátil em todos os sentidos. A velhice é e sempre será uma prato de fezes, a segunda opção é a que não queremos mas acontecerá de qualquer jeito.
    Então envelhecer passa ser o prêmio máximo na olimpíada do tempo.
    Morremos sozinhos porque ninguém quererá nos acompanhar. É o exílio do tempo.
    Ninguém quer ver os desenho de nossos passados, podemos apenas compartilhar experiências.
    Retruco a frase de Orson com a frase de Clarice Lispector:

    Que minha solidão me sirva de companhia.
    que eu tenha a coragem de me enfrentar.
    que eu saiba ficar com o nada
    e mesmo assim me sentir
    como se estivesse plena de tudo.
    Clarice Lispector
    Fui...

    ResponderExcluir
  6. Sucede com a felicidade o mesmo que sucede com o horizonte; acha-se sempre à nossa vista e nunca ao nosso alcance.

    A. Fabre D’Olivet


    Quem almeja a sua própria felicidade, deve parar de enxergá-la no horizonte e colocar-se no caminho para buscá-la.
    lp

    ResponderExcluir
  7. Tenho aqui ao lado um livro, de Paulo Neves da Silva, que contém 15 000 citações, de 1 500 autores, 800 temas. Pois bem, é a ele que recorro ao começar a trabalhar no e para a nossa revista virtual.

    Abro aleatoriamente uma página e nela escolho a citação diária, pode ser uma com a qual discorde. É o caso da citação do dia 28 de maio de 2016, do empedernido socialista Bernard Shaw.

    As nossas escolas ensinam a moral feudal corrompida pelo comércio e oferecem como modelo de homens ilustres e que tiveram sucesso o militar conquistador, o barão ladrão e o explorador.

    Pois é, o autor é contrário à história como nos tem sido apresentada/ensinada ao longo da História.
    Que estórias gostaria ele de ver ensinadas/apresentadas na História, como História?

    ResponderExcluir
  8. "A confiança do ingênuo é a arma mais útil do mentiroso."
    Verdade absoluta. O mundo está cheio de incautos, como também cheio de lobos em pele de cordeiro, infelizmente.
    lp

    ResponderExcluir
  9. Vou comentar dobre a diferença de HISTÓRIA e ESTÓRIA.
    A estória é do contador, são fábulas, lendas ou como estamos a fazer sobre a Varig. Invenções da mente humana, verdadeiras ou mentirosas, servem com entretenimento , cultura e lições de vida.
    A HISTÓRIA sempre terá 3 versões.
    A VERDADEIRA
    A MENTIROSA
    A CONCEPÇÃO POLÍTICA DO CONTADOR
    A verdadeira jamais será conhecida sem as fantasias do relato.
    A mentirosa será divulgada por diversos estudiosos sem nunca tê-la vivido.
    A de concepção política é a mais conhecida, a mais divulgada e seus autores passam a serem grandes maestros da filosofia inútil.
    Se estudarmos o conceito moral veremos que ele é mutante no universo tempo.
    Cito por exemplo a Inglaterra onde era proibido o meretrício homossexual, que os amantes dessa prática passaram a usarem brincos para se identificarem nas ruas. Nem lembro ao certo se brinco na orelha direita era ativo ou passivo.
    A moral mudou. Se nossa moral fosse feudal as escolas brasileiras estariam com melhores qualidades.
    A única ponderação que faço é que infelizmente os homens de hoje ainda consideram suas mulheres propriedades, e algumas mulheres consideram homens cordões umbilicais.
    Quanto a citação de Bernard Shaw, creio que a moral sempre foi comercial. desde os idos mais remotos.
    Os chefes de tribos sempre tiveram mais esposas e amásias, tal e qual nos dias de hoje, a pobreza com amásias mata ou é morto.
    O sexo já era comercial no mundo remoto.
    Casamento por amor vem muito após o Iluminismo com as modificações dos parâmetros morais, tais como a fidelidade.
    A tão reclamada fidelidade e a tal de castidade são parâmetros muçulmanos trazidos à comunidade ocidental, a moral é importante mas é fétida, copiada de outras civilizações para frear a sociedade.
    No fundo eu analiso que importante é a ÉTICA de adequar a moral a princípios honestos e familiares.
    Que cada um faça sua moral um princípio de ética.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na língua portuguesa não existe o vocábulo "estória". Não sei quem começou com essa história de estória, decalcado do inglês "story".

      No mais, muito obrigado pela participação!

      Excluir
  10. Estória é um neologismo proposto por João Ribeiro (membro da Academia Brasileira de Letras)para designar, no campo do folclore, a narrativa popular, o conto tradicional.
    O termo arcaico, é encontrado em textos antigos, quando a grafia HISTÓRIA ainda não havia sido consolidada na língua portuguesa.
    O Dicionário Caldas Aulete classifica o termo como brasileirismo, afirmando que a palavra foi proposta, mas deve ser usada a forma história.
    Há vários ilustrados que defendem que devemos utilizar o termo história para a narração de fatos documentados e situações reais sobre o passado da humanidade e o termo estória para a narração de fatos imaginários, de ficção.
    Os dois termos existem, apesar de um ser considerado arcaico, antigo, mas não em desuso.
    Existem vários outros inventos na nossa língua, criando neologismos que são aceitos tais com :
    SAITE
    BLOGUE
    NOVA IORQUE
    Minha análise foi baseada em um neologismo ou brasileirismo,.
    A palavra estória data de 1300 quando era diferenciada de "istória" pois era assim que se grafava HISTÓRIA.
    Em inglês sempre foram mantidas as duas grafias.
    Como sou velho uso as duas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Respeito o dicionário Caldas Aulete, um dos melhores, juntamente com o Houaiss, da língua portuguesa.
      Também sou "velho" e só uso uma grafia.
      Não vejo como neologismos os três exemplos citados. Vejo-os, mui simplesmente, como aportuguesamento gráfico.
      Lisboa, em inglês, se escreve Lisbon; em francês, Lisbonne.
      Nova Iorque, em inglês é New York. Em francês, curiosamente, mantiveram a grafia original.
      Em português, das duas uma: ou se mantém a grafia original (em itálico, se possível) ou se aportuguesa de vez.
      Eu opto por esta segunda opção. Não porque eu "me ache", mas porque elegi Luiz Antonio Sacconi como referência.

      Excluir
  11. Na madrugada de hoje deparei-me com um dos mais belos textos que eu já li!

    De autoria de José Manuel Alho, um Professor Primário de Albergaria-a-Velha, uma cidade do Distrito de Aveiro, em Portugal.

    Para ler e MEDITAR (nesses dias de tanta injustiça...) merece ser publicado no caoquefuma.com

    http://alho_politicamente_incorrecto.blogs.sapo.pt/pitagoras-garantiu-um-dia-anima-te-por-969140

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela sua participação e consideração.
      O texto do estimado professor é de 3 de maio de 2014.
      Para lê-lo, é só acessar neste título (original):

      Pitágoras garantiu um dia: “Anima-te por teres de suportar as injustiças; a verdadeira desgraça consiste em cometê-las.”

      Excluir


  12. Asas do pensamento:

    Se guardares uma coisa durante sete anos, certamente lhe encontrarás alguma utilidade.

    Walter Scott


    Muito bem, então guardarei por mais alguns meses e, no mínimo, servirá de lição.
    lp

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-