segunda-feira, 6 de abril de 2020

Amigos, amigos, negócios à parte!


Título e Imagem: Alberto José, 6-4-2020

2 comentários:

  1. Compreendo perfeitamente que o governo dos EUA, ou qualquer outro, queira, no seu território o maior número possível de médicos, enfermeiros...

    Qual é problema – o drama – os presidentes do Brasil e dos EUA serem amigos? Qualquer pretendente ao Instituto Rio Branco sabe que a empatia pessoal contribui muito para a diplomacia.

    Deveria Jair Bolsonaro escolher outros “amigos”, tais como Maduro, Putin, Morales etc?

    Qual a fonte que informou que o governo dos EUA inviabilizou a compra de equipamentos médicos da China?? Aliás, se os EUA, realmente o fizeram, só devemos agradecer, pois que os “equipamentos” vindos da China, segundo eu li por aí, têm chegado com defeitos, alguns mesmo contaminados!

    Para concluir: que estranho lamentar, se solidarizar com "os profissionais que, atraídos, pela inusitada oportunidade, poderão abandonar os pacientes no Brasil..." (!) Não entendi: então, (brasileiros) abandonar os pacientes no Brasil é uma atitude louvável?

    Sei, Jair Messias Bolsonaro, é o culpado!

    ResponderExcluir
  2. Como somos niilistas, os profissionais das áreas de saúde, podem ganhar vistos de até 3 anos, prorrogáveis por mais 3 nos Estados Unidos, já os profissionais com mestrado ganham vistos sem limite de tempo de estada.
    Será que não preferem ganhar em dólares?
    Escolham os delicados, 1 por 2 é uma excelente troca?
    Ninguém é diletante por merrecas.
    fui..

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-