quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

[Aerus] "Ministro Joaquim Barbosa: precisamos que Vossa Excelência nos enxergue sob o olhar da Lei e da Justiça!"

Excelentíssimo Ministro Joaquim Benedito Barbosa Gomes,
Respeitosas saudações!
Apresento-me a Vossa excelência: Elizabeth Ferreira de Oliveira, ex-comissária de bordo da CRUZEIRO do SUL/VARIG, aposentada, assistida AERUS.
Senhor Ministro, como é de Vosso conhecimento, nossa situação é crítica, e os únicos neste plano que ainda nos podem fazer justiça, são os Senhores, guardiões da nossa Carta Magna.

Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF
Ministro Joaquim Barbosa, ao citar a nossa Constituição, lembrei-me da Sagrada Escritura, livro que, com certeza, precede as Leis de todas as nações, e se fosse lido com a razão e o coração, não precisaríamos de tantas Leis, seus artigos, parágrafos e incisos. Simplesmente, os homens viveriam a felicidade em plenitude, pois ali estão todos os princípios do bom direito e justiça, que eleva o ser humano à dignidade de Filhos do Altíssimo.
Veja, Exmo. Ministro, Vossa Excelência tem um nome composto, Joaquim Benedito, nome de Santos; O primeiro, Joaquim, também é o nome do Pai de Nossa Senhora. Assim um homem escolhido por Deus para pai de Maria, Mãe do Salvador de toda a humanidade.
O segundo, Benedito, um monge seguidor de São Francisco de Assis, que tinha imenso amor pelos mais necessitados. Conta a história que ele sempre tirava da dispensa algum alimento, e o levava sob as vestes para saciar a fome dos irmãozinhos mais necessitados, e um dia um superior o surpreendeu e perguntou-lhe: “O que levas escondido em tuas vestes?”. Ele respondeu: “Rosas”. E ao abrir a túnica, realmente o que se pôde ver foram rosas.
Bendito sejais, Ministro Joaquim Barbosa; Porque veio ao mundo com a missão de fazer cumprir a lei e a justiça!
Precisamos que Vossa Excelência, nos enxergue sob o olhar da Lei e da Justiça! Que a VossaToga seja o perfeito abrigo das rosas da justiça que tanto esperamos!
Toda a sorte de injustiça e humilhações temos passado, os demitidos e aposentados VARIG, assistidos, nesse momento, praticamente desassistidos pelo AERUS. Não posso esquecer os colegas da TRANSBRASIL.
Excelência, fala-se muito no artigo 202, parágrafo 3º, da nossa Constituição, que diz ser vedado à UNIÃO o aporte de recursos a entidade de previdência privada.
Senhor Ministro, no caso dos planos VARIG e TRANSBRASIL, não há que se falar em aporte, ou invocar o artigo da Constituição supracitado para fundamentar defesa da União, por simplesmente não se tratar de aporte, mas sim fazer com que a UNIÃO se responsabilize pelos danos causados aos Planos VARIG e TRANSBRASIL, quando através de seu agente fiscalizador, SPC, atual PREVIC, consentiu que as empresas, além de não repassar a sua parte ao Instituto AERUS, descontassem dos nossos proventos sem dar a eles o fim devido. Foram 21 repactuações de dívidas, de um bem que não pertencia às empresas nem à União.
Usurparam um direito adquirido por nós, parte do nosso salário que tinha fim específico, sem o nosso conhecimento e consentimento. E a UNIÃO concordou com isso. Ao permitir que se repactuasse a dívida, tornou-se avalista, fiador... portanto, o emprego da palavra "aporte", neste caso, não encontra abrigo no artigo 202, §3º, da CRFB de 1988.
Pela Lei de Deus e dos homens, "a justiça tarda, mas não falha". Para muitos de nós, a justiça dos homens se tornou tardia, pois já estão em outro plano e com certeza receberam o prêmio dos justos.
Para nós que aqui ficamos, ainda cremos na justiça dos homens, embora, que quase tardia... pois já não suportamos mais toda sorte de necessidades e sofrimentos pelos quais estamos passando.
Em Vossa Excelência, Ministro Joaquim Benedito Gomes Barbosa, depositamos, além de Deus, toda a nossa esperança.
Respeitosamente,
Elizabeth Ferreira de Oliveira
Comissária aposentada VARIG Plano I

Um comentário:

  1. Novamente parabéns para a Elizabeth Ferreira de Oliveira, sempre inspirada. Espero que o ministro pelo menos leia!
    José Lanner

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-