segunda-feira, 11 de abril de 2016

Família VARIG…

Valdemar Habitzreuter
Aos Amigos Variguianos
É gratificante ter notícias de pessoas com as quais trabalhamos e passamos juntos durante anos de nossas vidas, constituindo uma grande família.

Gostaria, pois, de registrar este fato extraordinário que está acontecendo entre nós: nossos contatos e encontros nas redes sociais, e, agora, este primeiro encontro europeu de ex-funcionários da VARIG. De repente sentimo-nos reunidos novamente como nos velhos tempos. O sentimento variguiano que perpassava nossos corações outrora reflui novamente com muita força, na ânsia de preservar aquilo que caracterizou a grande família Varig: a felicidade de juntos termos erigido um símbolo nacional, venerado mundo afora, e de termos acalentado o sonho de tanta gente de voar em asas seguras.

Naquela época áurea, quando a Varig fazia bonito - os aviões rasgando os ares por todos os continentes -, nós aeronautas e aeroviários ficávamos orgulhosos pela simpatia e confiança com que éramos recebidos por onde quer que pousássemos e andássemos. Tínhamos a sensação de que algo especial acontecia às pessoas quando o símbolo VARIG – a estrela brasileira – lhes vinha à mente e lhes acenava para uma viagem. Para nós, uma grande honra de ter contribuído na mitologizacão de um símbolo que ficará para sempre no inconsciente coletivo brasileiro. O mito Varig encravou-se na memória nacional pelo pioneirismo de excelência de serviço da aviação comercial brasileira e pelo idealismo e presteza da família Varig.


É todo um imaginário que nos acompanha e nos deixa saudosos pelo que representou a Varig a todos nós. E é isso, também, que nos faz contatar uns aos outros para rememorar uma história que construímos com idealismo e fervor.

De fato, apesar de estarmos espalhados por todos os cantos do Brasil e mesmo fora, encontramo-nos a todo instante através das redes sociais, e, assim, os mais diversos assuntos de outrora vêm à tona, onde postamos as mais inusitadas reminiscências, proporcionando um lindo congraçamento familiar e dando oportunidade para compartilharmos novas experiências de vida. Tudo isso nos enche de alegrias, embora estejamos enfrentando uma situação incômoda frente à incerteza que nos ronda quanto à garantia do direito de termos de volta nosso pecúlio complementar através do Aerus, e outros não pertencentes ao Aerus, mas com direitos trabalhistas pendentes. E é justamente esse congraçamento que nos fortalece e nos autoriza a gritar aos quatro cantos de que tivemos grande parcela de contribuição na propagação mundial da cultura e das belezas turísticas brasileiras.

Ficaríamos gratos se o poder público, hoje, tivesse o gesto magnânimo de reconhecer o denodo com que construímos uma faceta gloriosa da História brasileira e nos concedesse a felicidade de continuar a viver com dignidade, outorgando-nos os benefícios por nós conquistados e a nós devidos.

Com o fim da Varig encerrou-se um ciclo glamoroso da aviação comercial brasileira - com seu ápice nos anos 70 e 80 -, encantando a todos que com ela viajavam. A Varig, como todos sabemos, era a grande referência brasileira no estrangeiro, prestigiada e premiada por seus excelentes serviços. Tudo isto nós vivenciamos e, por isso, sentimentos saudosistas nos assaltam por termos participado dessa era áurea da Varig, como se ainda trespassasse em nossa carne a energia que outrora nos motivava por uma Varig cada vez mais enaltecida.

Portanto, meus amigos, deixemos fluir livremente nossos sentimentos de amizade e saudade através das redes sociais, recordando a rica vivência que juntos tivemos mundo afora, e deixemos a vida executar sua tarefa soberana de delinear nosso futuro incógnito. Como diria meu filósofo favorito, Henri Bergson, a vida não planeja nada, é simplesmente duração em que passado, presente e futuro se entrelaçam, formando um movimento uníssono, uma realidade em constante evolução para o imprevisível e irrepetível. Cavalgamos no lombo da vida e não sabemos para onde ela nos leva. Não importa para onde ela nos leva, o que importa é acenar que a queremos com todo ardor e participar de sua aventura e ventura. Um grande abraço a todos.
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 11-4-2016

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-