quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Policiais da Força Nacional são baleados na Maré

Pelo menos três oficiais ficaram feridos por traficantes da Favela Vila do João quando o carro oficial entrou na favela


Antônio Werneck e Vera Araújo
Três integrantes da Força Nacional foram baleados quando entraram, por engano, na Vila do João, no Complexo da Maré. As primeiras informações dão conta que eles estariam usando um aplicativo de celular durante o deslocamento. Um deles está em estado muito grave.

Segundo um oficial da Força Nacional, o capitão Allen, oriundo do Acre, foi atingido de raspão no rosto e está bem, no Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador. O soldado Hélio Vieira, de Roraima, levou um tiro na cabeça e está sendo operado no Salgado Filho. O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, está na unidade de saúde, acompanhando o caso. O outro militar da mesma patente, Rafael Pereira, do Piauí, que socorreu os dois, está em estado de choque. O carro será levado para a Vila operacional da Força Nacional, em Jacarepaguá.

Agentes da Divisão de Homicídios da Capital (DH) e da perícia estão no local. Segundo as primeiras informações, o grupo saía da Barra da Tijuca em direção ao Centro e errou o caminho. Eles estavam usando um gps. A cerca de 200 metros da Avenida Brasil, eles decidiram fazer o retorno para tentar voltar para o caminho correto e, por isso, acabaram passando a 500 metros da entrada da favela. Eles receberam vários tiros. O agente que dirigia o carro, já atingido com um tiro na cabeça, deu ré e acabou perdendo a direção e parando em cima da calçada.

Militares do Exército e um taxista ajudaram no socorro dos agentes da Força Nacional, segundo um dos soldados feridos.

- Eu fui atingido, o capitão Allen foi atingido, o motorista foi atingido. Tem outro combatente também. Uma equipe do Exército está lá perto - disse um dos integrantes baleados a um oficial, por telefone, com voz ofegante.

Em seguida, o próprio capitão Allen explica o que aconteceu para o oficial do comando.

- Oi, é o capitão Allen. Estávamos indo de viatura para o Centro, o motorista entrou numa situação e atingiram a viatura. Eu fui atingido - disse Allen. 
Título e Texto: Antônio Werneck e Vera Araújo, O Globo 10-8-2016

2 comentários:

  1. Está tudo (muito) bem!
    Forças Especiais de Segurança são metralhadas no Rio de Janeiro, mas está tudo ótimo, o espírito olímpico é lindo, o Rio de Janeiro é lindo, e pára de ser antipatriota!

    ResponderExcluir
  2. Meus prezados leitores, o problema não é o Rio ou São Paulo ou Sul ou Nordeste, o problema é a Marginalidade que o País se transformou, nos últimos 10 anos, com exemplos claros, de cima para baixo, ou seja, desde os "de gravata" até os " da favela", foi um crescente muito maior que nós pudéssemos imaginar. As consequências estarão aí!
    As Olimpíadas o Esporte, são coisas lindas! Quero ver como ficará o Rio, principalmente, e o restante do País, após a Olimpíada.
    O bicho vai pegar!!!
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-