quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Ao trocar “Alá é maior” por “Deus é grande”, Globo mostra que a intenção é mesmo praticar preconceito religioso

mrk

Diante do horrível atentado em NY – onde um terrorista islâmico usou um caminhão para atropelar 8 pessoas e deixar 11 feridas -, a mídia esquerdista tinha que começar mais uma instância de falsificação da realidade.

O padrão de sempre visa atribuir a culpa “ao caminhão”. Isso já não surpreende.

Agora o novo truque retórico afirma que o terrorista disse “Deus é Grande”. Na verdade, ele disse “Alá é maior” (Allahu Akbar).

A diferença é fundamental, uma vez que na terminologia cristã só existe um Deus. Na terminologia utilizada pelos islâmicos há vários deuses, sendo que “um é maior”. Logo, a tradução “Deus é grande” não se aplica.

Vários órgãos de mídia utilizaram o truque, como o Extra. Veja abaixo o que foi publicado no G1 (também da Globo):

Vale notar que aqui temos mais truques de distorção da realidade.

O jornalista transformou um atentado terrorista em “atropelamento”, termo geralmente utilizado para fatalidades. Normalmente quando existe um assassinato pelo meio do atropelamento, não é justificável mencionar apenas o atropelamento em isolado.

Para finalizar o show de picaretagem, a matéria cita “tiros”. Porém, as vítimas perderam suas vidas por meio de um atentado terrorista por meio de atropelamento. Não foram vítimas de balas perdidas.

O objetivo da cobertura é clara. Tentar confundir o público e jogar preconceito contra os religiosos cristãos – que acreditam em Deus, não em Alá (“o maior”). É crueldade sem limites.
Título, Imagem e Texto: mrk, Ceticismo Político, 1-11-2017

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-