sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

[Aparecido rasga o verbo] Papo torto de reta intenção

Aparecido Raimundo de Souza

A moralidade no Brasil, notadamente a moralidade administrativa, não passa de um sonho utópico”.
Carlos Heitor Cony – escritor – 1926-2018.

QUEM FALAR OU DUVIDAR que o “breusil”, antigo brasil (ambas as palavras escritas com letras minúsculas) não é um país sério, ficaremos profundamente chateados. Cortaremos relações com quem cogitar ou afirmar que ele foi pra casa do Carvalho. Magoaremos! Pra sempre. Nossa “pútria amada”, o brasil, deve servir de exemplo para o restante do mundo.

Vivemos num país sem máculas, sem manchas, sem nódoas, sem desafetos, sem opositores, sem oportunistas, bem ainda, sem ladrões, sem pilantras e sem safados. Nossos políticos (todos) são um exemplo de probidade, de honestidade e decoro. Mais decoro que decência.

Temos 513 espertalhões decorando na câmara – perdão, dispomos de 513 parlamentares (dobrem a língua para pronunciar com jeitinho carinhoso a palavra P- A- R- L- A- M- E- N- T- A- R). Afinal de contas, caros amigos e leitores, não é qualquer bosta saída de um vaso cheio de merda, notadamente numa nação como o “bresil – antigo brasil que pode ser cognominado ou taxado de PARLAMENTAR. Ainda mais para decorar.

Em rápidas pinceladas, entendam essa figura magnânima do PARLAMENTAR, como sendo aquela pessoa, boa, de caráter como Clark Kent, de visão de futuro, como Lula, e que, acima de qualquer empecilho respeita seu povo, a sua sociedade e, sobretudo, a justiça. Venera com pundonor descomedido, seu país. Como o bispo MaisCedo reverencia seu Deus Salvador, o verdadeiro e único Deus Salvador, conhecido entre nós, leigos e tapados, como GRANA JESUS NOS BOLSOS.

Nossos PARLAMENTARES combatem, guerreiam de unhas e dentes para que a republiqueta não saia dos trilhos. Esses enternados, em vestimentas de grife (como os baratinhos paletós e calças sociais comprados em qualquer espelunca de brasília, a preços de banana, tipo os Brook’s Brothers e os Ermenegildo Zegna), apesar dessas roupinhas esfarrapadas, eles, repetecando, os PARLAMENTARES, os nossos PARLAMENTARES, não legislam em causa própria, nem trabalham por altos salários. Em contrário, labutam pela bagatela de pouco mais de um salário mínimo.

Vivem, imaginem amados e queridos leitores, nossos PARLAMENTARES, com R$ 957 reais. Sem direito a foro privilegiado, carros particulares, aeronaves, verbas de gabinete e outras honrarias. No “brisul” sempre lembrando, brasil isso não se cria. Em razão disso, o “brazel” de nossos dias, é um exemplo vivo e típico de “ombridade” de “fudelidade”, de “trensparência”. Trens, nas terras descobertas por Cabral, há três mil anos atrás, não faltam. Quando aqui esteve, para os senhores terem uma ideia, Jesus e seus discípulos andaram nos subúrbios fedorentos da Santos a Jundiaí e Estrada de Ferro Sorocabana.  

Além das 513 figuras mamando na cama, desculpem, na Câmara, outros 81 ajudam a manter a nação em plena forma física. São os SENADORES PERSONAL TRAINER. Gravem bem, S-E-N-A-D-O-R-E-S. Repitam caros leitores, e o façam com carinho e afeto: S-E-N-A-D-O-R-E-S. Como a súcia de deputados, esses elementos importantíssimos (através do voto major-otário são eleitos e exercem suas cagadas -, perdão, de novo, pela nossa gafe -, exercem seus cargos para mandatos de oito anos, sendo que são RENOVADOS em uma eleição, um terço, terço, logicamente para rezar, ou orar, ou clamar, como manda a Santa Igreja Católica).

Não só ela, a Católica, como no mesmo balaio de gatos pulantes e salteadores, as outras denominações existentes –, lembrando, aquele velho e desgastado jargão (“todos são iguais perante a lei, sem distinção de credo...”). Por essa razão, se faz necessária a RENOVAÇÃO das cadeiras, ou sofás, e na eleição subsequente, portanto, dois terços delas vão para o saco ou saem dele. Geralmente, por ser DOIS TERÇOS, o Papa e o Mingau se deslocam de Roma, em viagem especial, com tudo pago pelos Zés Manés e as Marias Desdentadas, para ajudarem na oração desses rosários.

Nosso presidente Michel Jackson Temer, agora conhecido como Michel Jackson do Sírio e Libanês Temer Lulia é um “cidadão como escreveu Tiririca -, assima de quaquaqualquer suspreita”. Haja vista seu ministério. De primeiríssima qualidade. Vejam, por exemplo, a nomeação da digníssima e ilustre doutora ministra do trabalho (ou futura, em face do vai e vem, toma posse, não toma posse, entra, não entra), a “deuputada” Cristiane Brasil (Brasil para se harmonizar com brasil), cujo emposse ainda não se deu, ou não aconteceu, porque o juiz Leonardo (não o cantor)  da Costa (nada a ver com Eduardo, também cantador) Couceiro, da 4ª Vara Criminal de Niterói, suspendeu de forma LIMINAR a pretensão quase sexual do nosso presidente.

Para aqueles que não sabem, ou desconhecem, LIMINAR significa provisória, portanto, decisão provisória. Por falarmos em solenidade, poderia ser rotulada a dita cerimônia da futura ministrinha, de um VERDADEIRO E GRANDE FIASCO. F-I-A-S-C-O tem uma serie de variações, entre elas, fracasso, derrocada, tragédia, disparate, e etc. No caso da filha do não menos ilustre ficha limpa ex-deputado Roberto Dinamite Jefferson.

No mesmo pentear do topete do Bolsonaro, é bom lembrarmos aos amigos e leitores que esse “onroso cidadão” o Roberto Dinamite Jefferson se viu injustamente cassado (não só cassado, “usque” igualmente caçado) no escândalo do mensalão. Coitada da moça, filha dele. Como deputada, fato, aliás, do conhecimento geral, recebe pouco. O divã de ministra do trabalho ajudaria a aumentar seu tísico e fusgo salário mínimo.

Porém, o Doutor magistrado de Niterói alegou que a Cristiane, e em nome de um troço estranho chamado de MORALIDADE ADMINISTRATIVA (a beldade não poderia sentar na potranca, desculpem, de novo, não poderia sentar na cadeira de ministra vez que estaria devendo uma “baba” considerável a dois ex-motoristas e, apesar de litigada na Corte de direito, deu “calote” nos infelizes). Pura mentira. Cristiane é um exemplo cristalino, transparente, nítido e puro, quase angelical, de PARLAMENTAR nota mil.

Jamais usaria de velhacaria, de maçada, de prejuízo, de beiço, de logro, para canear (de cano, ou dar o cano), logo em quem?! -, em dois de seus melhores funcionários, os cavalheiros Leonardo Eugênio de Almeida Moreira e Fernando Fernandes Dias.  Intriga e entrega da oposição. Ainda bem que doutor Temer apelou ligeirinho da decisão do senhor Couceira, ratificando, Couceiro, através da ANGU, mil perdões, de novo, da AGU, para que tal LIMINAR seja, não só CASSADA, COMO CAÇADA.

Raios que a parta, no mesmo pontapé, banida, escorraçada, expulsa e eliminada de perto da esbulica parlamentar Cristiane, para que ela, enfim, livre dessa nuvem farrusca e negrejante sobre sua cabeça e rosto, possa, com as graças de Santo Expedido, e São Longuinho, ser efetivamente legitimada no suntuoso carguinho.  Revelou a nós, com exclusividade, dias desses, em São Paulo, numa coletiva, que “se for São Longuinho, o ‘Ajudante Maior’, pulará três vezes multiplicados por trinta, diante das câmeras para alegrar indubitavelmente todo o povo brasileiro”.

Vamos, pois, aguardar com angústia irrestrita, com desejo ardente, com apertura no coração, e como bons imbecis dessa sociedade de hipócritas, que Cristiane saia com duas quentes e uma fervendo, lembrando derradeiramente aos nossos amigos e leitores que o salão nobre do Palácio do Planalto, na latrina brasília, está pronto, para a cerimônia de posse, com cadeiras, bancos, garçons, banda de música, uma chusma de cheira colhões no auditório para bater palmas.


Além desses boçais, farta mesa com comes e bebes, para 400 convidados, fora os jornalistas penetras. A solenidade (promete a assessoria do presidente Temer) será INESQUECÍVEL, tanto ou maior, ou mais empolgante, que a derrubada das Torres Gêmeas em Nova Iorque e o Muro de Berlim, na Alemanha. A posse da ministra Cristiane será ESPERADAMENTE e INQUESTIONAVELMENTE VEROSSÍMEL.
NOTÍCIA DE RODAPÉ: MORALIDADE ADMINISTRATIVA?! QUE SE FODA!
Título, Imagem e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista. De São Paulo, Capital. 12-1-2018

Colunas anteriores:

Um comentário:

  1. Eu classifico esse seu artigo como um grande "desabafo" dos que são oprimidos, você expõe aqui tudo que nos "engasga" na garganta a muito, muitíssimo tempo. Infelizmente nunca somos ouvidos à voz da razão e enquanto você faz seus "trocadilhos" (ótimos) esses "parlamentares" riem-se de nós, não pelas costas, pela frente mesmo!

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-