quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

[Aparecido rasga o verbo] Paradoxos metafísicos e as conspurcações de 2017

Aparecido Raimundo de Souza

HOJE, SENHORAS E SENHORES, seremos curtos e grossos em nossa “rasgação de verbo”. Mais grossos que curtos. 2018 chegou. Viva! A primeira pergunta que vem à tona na velocidade da nossa imbecilidade galopante. O que temos para comemorar neste início de ano velho -, perdão -, NOVO??!! Aos nossos olhos, nada. Como nada??!! Não é possível!

O “brasil” está nos trilhos, puxado a locomotiva resfolegante, a economia progride à civilidade palpável, a educação é impecável, notadamente nas sarjetas e bueiros, a segurança nada deixa a desejar, é o retrato em preto e branco da balburdia em sua melhor forma de entendimento. Não há pobreza, nem mendicância, trabalho não falta, não há distorções dignas de apontamentos. Mesmo pacote, a nação é um exemplo para o mundo, apesar de viver algemada a uma garabulha ideológica objetivando destruir as famílias ou o que restou delas. Como, então, nada a comemorar??!! 

Pensemos com seriedade caros leitores. No grande penico do “brasil”, brasília (tudo em letras minúsculas, para destacar), os 513 deputados continuarão roubando em favor de suas gargantas profundas. Roubando não, que coisa feia! AFANANDO. Pobre rouba, parlamentar afana. Os 81 senadores também frentearão, como eixo guiador, larapiando, ou surrupiando sem que nada ou coisa alguma os impeçam.

Entendam pelo amor de Deus, nenhuma ligação espúria com ladroando. Repetindo, pobre, rouba, parlamentar escorcha.  De mais a mais, só para abrirmos a cabeça dos menos desavisados, o senado representa, com decoro ímpar, as 27 unidades federativas (26 estados e o Distrito Federal). Ao contrario da Câmara dos Deputados, que expressa, que personifica, que pugna, que briga pelos direitos essenciais do POVO. O POVO EM PRIMEIRO LUGAR. SEMPRE. KIKIKIKIKIKI...

Norte idêntico, o ilustre rei-malandrão, doutor Michel Jackson Temer, enleado, enfurnado e encapotado numa roupagem nova, todavia suja, imunda e estercada, usque estratégia feita nas coxas (e por debaixo das colchas), tentará se reeleger para continuar metendo as mãos e os pés por mais quatro ou oito anos. Ou seja: prosseguirá aferrado de unhas e dentes, se prevalecendo dos seus podres poderes para, sem interrupções se conservar “mamando” soberbamente a nossas custas e expensas.
 
O PODER, senhoras e senhores, se assemelha a maconha, ao LSD, ao NBOM, ao MIAU MIAU e aos SALT BATHS, entre outras substancias estimulantes. Drogas, no geral. Essas merdas, apesar dos nomes esquisitos, dão alento, animação, coragem e hombridade. O ecstasy de Temer (a futuro próximo), por exemplo, é não deixar fugir da ponta de seu nariz, a cadeira confortável do Palácio do Planalto.

Apesar de sua digníssima infecção urinária atrelada aos contatos bacterianos resistentes e a infamante bolsa coletora de urina pelejarem desfavoravelmente. Talvez seus médicos (“particulares do SUS” ou Sistema Único de Salafrários), diga-se de passagem, pagos por todos nós, contribuintes, consigam tira-lo desse tenebroso incômodo.

O PODER, resumindo, é como aquela bosta do Red Bull. Dá asas. Faz o sujeito viajar na maionese. No mesmo chiqueiro malcheiroso, Lula seguirá com suas caravanas, pires nas mãos, engambelando babacas. Percebam que otários e “cheira colhões” não faltam. Nunca faltarão. O amaldiçoado lidera as pesquisas compradas, maquiadas. Isso significa o quê?!  Se as eleições fossem realizadas nesta hora, Lula sentaria a bunda no Palácio do Planalto e fim de papo. 

O haxixe dos dezenove dedos de São Bernardo do Campo é um só. Infecionar os traseiros de seus seguidores com seringas infestadas com poções miraculosas de suas lavagens cerebrais visando acomodar o “fundilho balofo” no suntuoso Palácio projetado por Niemeyer, antes que a galera do Tribunal Regional Federal de Porto Alegre dê a palavra final, confirmando, ou não, a sentença de Sergio Moro. Na mesma onda, surfando mais que Gabriel Medina, Jair Bolsonaro e outros nojosos infames que surgiram (ou que pintarem dos quintos do inferno, para disputarem as urnas), idem.

Nesse balaio de gatos cassando o mesmo rato, o Palácio do Planalto é o camundongo da vez. Se colocarmos na ponta do lápis, os NOMES ATÉ AGORA CONHECIDOS chegaremos a triste conclusão de que não temos nenhum palhaço (perdão, os bufões e Girafales somos nós, os sofridos e pisoteados Zés e Manés classes baixas) que pense verdadeiramente em fazer algo sólido e eficaz para mudar a fuça deste brasilzinho enlameado de fezes pútridas. Nesse pular de macacos de galho em galho, o país dos “espertalhões” continuará fodido e enterrado até o pescoço no buraco intampável da CORRUPÇÃO.

Esperem senhoras e senhores. Temos algo a exaltar. O salário mínimo. Havíamos nos esquecidos dele. Devemos solenizar, aos berros, aos gritos, que o governo concedeu um aumento fantástico, estrondoso e estapafúrdico à remuneração inventada por Getúlio Vargas através da promulgação da Lei nº 185 de janeiro de 1936 e sedimentado, a depois, pelo decreto 399 de 1938, pasmem, amados, oitenta e tantos anos atrás. 

Como prêmio, para começarmos 2018, orgulhosos, o mirrado numerário da plebe, subiu de R$ 937 reais para R$ 954. Na prática, senhores, o “soldo” dos “sem noção” cresceu 1,81%, ou dito de plataforma mais digerível, volumou ao acanhamento antigo, em nossos bolsos, R$ 17 reais. Falamos em “soldo”, propositalmente, vez que somos soldados rasos, buchas de canhão desses vândalos que abundam o berço das grandes indecisões nacionais. A nosso entendimento, deveriam esses crápulas ser colocados num navio e despejados em alto mar. Ou melhor, metralhados. 

É nosso dever salientar, igualmente aos amigos leitores (voltando ao “soldo”), que esse valor, de R$ 954 reais, repetindo, um anime alarmante, surpreendente e abismante, dá perfeitamente bem para o brasileiro (de acordo com o artigo 7º inciso VII da Constituição Federal – ou seria Desconstituição que fede mal??!!) atender plenamente as suas necessidades vitais básicas e às de sua família, como moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestiário, higiene, transporte e previdência social.

Se duvidarmos, com os R$ 954 reais, os filhos da puta dos Toninhos e Isaltinas, acostumados aos malabarismos nas sinaleiras, comprarão carrinhos de rolimã para fugirem dos buzus superlotados em horários de pique.    

Bem diferente dos ganhos mínimos e irrisórios, irrisórios e mínimos de nossos deputados, senadores e outros velhacos e bandoleiros da enorme latrina brasília, cujas rendas ultrapassam a casa dos R$ 33 mil reais, sem falarmos, contudo, ou fazendo alardes, nas vantagens e conveniências por debaixo dos panos, tipo as gratificações adicionais, os abonos, as mordomias, as verbinhas de gabinetes, os “veículos zero bala”, os jatinhos particulares, etc. etc. etc. Na mesma linha de costura desses ratoneiros e flibusteiros, os ministros, os procuradores, os governadores, os vereadores e outros “ores” não citados.

Em suma, os incontáveis vermes e parasitas que caroneiam, que boqueteiam, que embuçalam no crônico fuzuê Babel. De novo, repetecando o óbvio, um navio em alto mar ou fuzilamento. Muita gente com certeza agradeceria.

Percebemos diante desse quadro sistêmico, que os nossos canalhas, as nossas pústulas de carteirinhas, as nossas lombrigas, conhecidas socialmente como PARLAMENTARES, CONGRESISTAS E OU REPRESENTANTES (os apelidos desses cagalhões não importam), cumprem religiosamente o que está posto na “Constituição Fedemal”.

Esses celerados batem as patas, se coiceiam, se digladiam, se beliscam de instantes a instantes, para que o ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO PREVALEÇA AD AETERNUM, SACROSSANTAMENTE VENERÁVEL, AUGUSTO E JAMAIS CHEGUE OU DESCAMBE PARA O QUE PODERÍAMOS COGNOMINAR DE “DICOTOMIA GENERALIZADA IRREVERSÍVEL”. 

Tirando, pois, o NOVO SALÁRIO MÍNIMO, por sinal, fabuloso (mais uma vez teclando a peça desgastada, salário honroso, enobrecedor em vista dos nossos chupa sangues, e encostados do gigantesco avião pousado, que recebem tão pouco), temos muito, muito mesmo a comemorar.

Por todo o exposto acima, apontaríamos (apenas para não nos tornarmos cansativos e piegas), a pior chaga aberta entre os outros cânceres que vemos difundidos por aí: a DECADÊNCIA DE UM POVO que se encolhe vilipendiado pelo medo, que se derriça e se achincalha, a passos dilatados para a sua própria e irreversível atrofia definhante enveredando por uma estrada longa e SEM VOLTA. 
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista. De Vila Velha no Espírito Santo. 2-1-2018

Colunas anteriores:

3 comentários:

  1. Caro senhor Aparecido

    Meu nome é Mary Elly Santos
    em seu texto paradoxos metafísicos etc... A certa altura o senhor escreve. 'Nesse balaio de gatos cassando o mesmo rato, o Palacio do Planalto é o camundongo da vez...' ESTARIA CORRETO O TERMO ALI EMPREGADO?

    Um forte abraço

    Mary Elly Santos

    ResponderExcluir
  2. E completando, que diria o atual presidente TEMER, se fosse honesto o suficiente quando lhe perguntássemos qual as expectativas do povo brasileiro para 2018, o que se pode esperar de melhorias, nos âmbitos da saúde, segurança, desemprego e educação, pelo menos? Resposta: "Nada a declarar!" Pois é o que eu digo: Nada a declarar!

    ResponderExcluir
  3. DETESTO LADAINHAS.
    O imediatismo é por total falta de percepção.
    Eu não votei Dilma então não escolhi TEMER.
    Eu fui à favor da saída da mocreia.
    E apoiei a assunção de TEMER.
    Não tenho motivos fúteis.
    O PMDB governa esse país há 33 anos.
    A única maneira do imbecis verem isso, era o TEMER assumir.
    RELEMBRANDO:
    SARNEY 1985 COM A CONSTITUIÇÃO DE MERDA OVACIONADA DE 1988
    COLLOR SE ELEGE COM APOIO DO PMDB, O MESMO PMDB QUE FAZ SEU IMPEDIMENTO.
    ASSUME ITAMAR DO PMDB
    FHC SE ELEGE E REELEGE COM APOIO DO PMDB
    A MULA RETIRANTE COM APOIO DO PMDB
    A MOCREIA COM APOIO DE PMDB
    TEMER COM SEU PMDB GOVERNA HOJE.
    O PLANALTO SEMPRE FOI O CAMUNDONGO A SER DIGERIDO.
    Faço previsão que o PSDB com Alckimin vai ter apoio do PMDB.
    Eles não precisam de candidatos, com mais de 3000 municípios na mão, vão ter maioria nas legislaturas federais e no senado.
    Então esse choro em torno de TEMER é hipocrisia, chamá-lo de corrupto é pleonasmo.
    No Brasil tudo é falso, diretas já ou passeata gay é a mesma hipocrisia.
    Muitos que criticam os governos militares nas ceram nos anos 70, vivem do disse que disse.
    A culpa do RIO DE JANEIRO estar na MERDA é de Leonel Brizola, a culpa no Maranhão vocês tem medo de dizer ou escrever. A culpa do RIO GRANDE DO SUL ESTAR FODIDO é dos governos petistas e socialistas.
    Não adianta opinar sem olhar o passado.
    Existem leis trabalhistas, pergunto porque ministério do trabalho e justiça trabalhista?
    Respondo os diversos ministérios e tribunais de justiça são cabides de emprego e moedas de troca legislativo-partidárias.
    Porém isso é indiferente, temos 39, os Estados Unidos 13 dos quais muitos são departamentos com agencias reguladoras autônomas.
    Eles têm apenas 2 empresas estatais, A NASA E OS CORREIOS, este por cláusula pétrea constitucional.
    O departamento de ESTADO é o das relações exteriores.
    Eles não tem ministros com foro de privilégio, são apenas secretários de departamentos.
    SE O POVO FOSSE HONESTO A MULA NORDESTINA JAMAIS TERIA SISO ELEITO.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-