segunda-feira, 17 de agosto de 2020

Justiça condena e ‘Folha’ indenizará promotores

Empresa responsável pela publicação terá de pagar cerca de R$ 90 mil


Cristyan Costa

A empresa Folha da Manhã, que controla o jornal Folha de S.Paulo, teve um recurso negado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que manteve a condenação de indenização aos promotores Cássio Conserino, José Carlos Blat e Fernando Henrique Araújo, em R$ 30 mil para cada um.

Em editorial, a publicação acusou os três de agirem com “sede de celeridade”, “ignorância” e “feroz paixão persecutória” ao pedir a prisão preventiva de Lula. O ex-presidente foi condenado a mais de 12 anos de cadeia na Operação Lava Jato por supostamente ser dono do triplex em Guarujá.

A desembargadora Mônica de Carvalho argumentou que “a crítica que interessa ao cidadão é a do trabalho, assim sendo, não a das pessoas”, como a que foi feita no editorial da Folha. Segundo ela, houve “uma crítica leviana e excessiva”. Portanto, o jornal tem de indenizar os promotores.

Contudo, a advogada da companhia jornalística, Mônica Galvão, informou que vai recorrer da decisão na Justiça. “A crítica tinha a intenção de ser negativa, por isso o uso de palavras negativas para expressar o conteúdo crítico”, garantiu em entrevista ao portal jurídico Jota.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 17-8-2020, 11h40

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-