domingo, 17 de março de 2019

[Coluna do Almir] Um congresso renovado

Almir Papalardo


Com as eleições do ano passado o Congresso Nacional obteve uma renovação histórica! A Câmara dos Deputados foi enxertada com duzentos e quarenta e três novos deputados.

Já o Senado Federal teve uma renovação de cinquenta senadores. Uma renovação fantástica nas duas Casas legislativas, o suficiente para despertar na população frustrada, renovadas expectativas para a eliminação de vícios e cânceres que há muito teimam em prejudicar determinados segmentos da nossa sociedade.

Nunca foi usado pelos homens que criam as leis uma alternância inteligente para dividir vacas gordas e vacas magras de modo igualitário, usando uma distribuição isonômica que caberia a cada um dos nascidos em solo pátrio, respeitando o estado de direito e ponto de vista formal de todos, dando mais equilíbrio às várias modalidades de organizações instituídas no seio da população. Direitos e deveres iguaizinhos para todos os brasileiros, sem privilégios duradouros para alguns e arroxo brutal e permanente para outros. Isto sim, seria a política mais acertada, mais justa e mais almejada pelo povo brasileiro!

Matando a cobra e mostrando o pau, cito para exemplificar a má política teimosamente exercida contra aposentados e pensionistas, uma categoria sempre perseguida, jamais agraciada por medidas favoráveis, excetuando-se, apenas, o gesto heroico da magistrada Salete Maccalloz, que em 1991 nos salvou de um esmagamento total, incluindo-nos também na mesma correção dos 147% dado ao salário mínimo, enquanto, os descartados aposentados, arcariam, dolorosamente, com apenas 54% de aumento...

Este preconceito e discriminação perniciosa contra aposentados vem de longa data, não existindo por parte do Congresso votos suficientes para trazer um pouco mais de justiça a esses esquecidos trabalhadores. Todas as vezes que os aposentados foram agraciados com aprovação em plenário de alguma medida favorável, os presidentes insensíveis, logo vetavam os projetos, sem que os senadores e deputados, sempre com empenho débil e acanhado, conseguissem, derrubar o maldito veto!   

Com um Congresso renovado, mais purificado pela recente transfusão de sangue, novas ideias fluindo na mente dos políticos calouros, desejo inicial de todos para uma relevante gestão que registre seus nomes nos anais históricos do Poder Legislativo, fazem, renascer, a esperança quase apagada dos eleitores para uma nova era mais decente e dinâmica na política brasileira.

Vamos orar a Deus para que a 56ª Legislatura, finalmente, seja a própria Princesa Isabel que libertou os escravos, assinando também a nossa tão sonhada "Carta de Alforria" para aposentados e pensionistas...
Título e Texto: Almir Papalardo, 17-3-2019

Anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-