quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

[Coluna do Almir] Uma despretensiosa sugestão para Jorge Kajuru


Prezado Senador JORGE KAJURU:


Quero parabenizá-lo, em nome também de mais ou menos nove milhões de aposentados da iniciativa privada, pela oportunidade de poder ser realmente mais útil à população brasileira, prestando serviços parlamentares, como um novo senador do nosso inerte e adormecido Brasil.

Sempre fui um apreciador dos seus programas esportivos, onde vossa excelência sempre mostrou clarividência nos assuntos futebolísticos. Agora, com a nova função de um cidadão com poderes políticos, demonstrou também, nas sessões para nomeação de um novo presidente do Senado, aptidões diferentes, fugindo da mesmice de sempre, apresentada pelos políticos que tanto irrita e cansa o povo brasileiro.

Estimado senador, permita-me apresentar uma despretensiosa sugestão, que, acredito, alavancará de modo extraordinário a sua promissora carreira como um político atuante e útil.

Sugeriria a vossa excelência focar a sua atuação priorizando estancar a lambança que fazem com os indefesos aposentados do INSS! São os aposentados do RGPS, aqueles que têm suas aposentadorias acima do valor do salário mínimo, a categoria mais prejudicada e esquecida da sociedade há duas décadas (vide planilha abaixo), sem que apareçam parlamentares justos e conscienciosos, que possuam aquilo roxo, com determinação suficiente para tentar acabar com esta perseguição feita aos sofridos velhos de cabelos brancos.

A quase totalidade dos parlamentares do Congresso Nacional, dado às toneladas de entulhos que sepultam os aposentados, pela sua nula representatividade política, logo abandona a intenção de legislar para os aposentados, achando que não vale a pena lutar por cidadãos inativos, já que se encontram mesmo com um pé na cova...


A ESTRANHA PLANILHA PARA CORREÇÃO DAS APOSENTADORIAS

ANO
REAJUSTE SALÁRIO MÍNIMO

REAJUSTE APOSENTADOS
  1995
42,86%

42,86%
1996
12,00%

15,00%
1997
7,14%

7,76%
1998
8,33%

4,81%
1999
4,62%

4,61%
2000
11,03%

5,81%
2001
19,21%

7,66%
2002
11,11%

9,20%
2003
20,00%

19,71%
2004
8,33%

4,53%
2005
15,38%

6,36%
2006
16,67%

5,01%
2007
8,57%

3,30%
2008
9,21%

5,00%
2009
12,05%

5,92%
2010
9,68%

6,14%
2011
6,86%

6,47%
2012
14,13%

6,08%
2013
9,00%

6,20%
2014
6,78%

5,56%
2015
8,84%

6,27%
2016
11,68%

11,28%
2017
6,48%

6,58%
2018
1,81%

2,07%
  2019
        4,61%         

         3,43%

Pela demonstração da planilha acima, que ilustra a atualização das aposentadorias do INSS durante mais de duas décadas, constata-se a debilidade e a incoerência do nosso Poder Legislativo, que mesmo contendo 81 senadores e 513 deputados, uma quantidade imensa de congressistas, apresenta, lamentavelmente, alta deficiência no quesito "qualidade"! Seria mais útil para a população subjugada, que os brasileiros contassem com menor número de parlamentares, mas, com mais qualificação!

 O número exagerado dos manipuladores de leis, que mais confundem e bagunçam nossa justiça social, achou por bem, para esconder as suas grandes lambanças e incompetência, aplicar dois percentuais diferentes nas correções dos aposentados!

O mesmo percentual de reajuste dado ao salário mínimo para aqueles que recebem o piso, e um percentual bem inferior para aqueles que por força das suas maiores contribuições para o INSS conquistaram uma aposentadoria maior!

Resumindo: Dois terços de aposentados do piso ganham o mesmo índice de aumento dado ao salário mínimo, enquanto os outros, um terço, também cadastrado no mesmo regime, ganha um percentual de correção bem inferior na atualização dos seus proventos!! E qual o objetivo oculto? Naturalmente, para quem não usa antolhos, vê claramente a intenção sórdida e maquiavélica de nivelar no futuro todas as aposentadorias do RGPS ao salário mínimo!!

Assim, a partir do ano de 1998 até o ano de 2016, desvincularam o aumento das aposentadorias da correção do salário mínimo (não é mesmo Fernando Henrique?), para compensar o descompasso da Previdência, uma séria ameaça nas intenções de avançar nos cofres previdenciários para remendar buracos eventualmente surgidos em outras contas, que em determinados períodos, fecham no vermelho (não é mesmo Lula e Dilma?).

Somente em 2017 e 2018, para calar a boca dos aposentados lesados, o governo (Michel Temer) nos concedeu um reajuste com percentual superior ao do salário mínimo, preparando-nos, para o aceite sem chiadeiras, da Reforma da Previdência que se pretende fazer.

Não falam em acabar com este critério estapafúrdio de dois percentuais diferenciados no aumento dos aposentados, parecendo que o mesmo critério de atualização das aposentadorias (vide na planilha o ano de 2019) continuará firme e forte: percentual maior para quem ganha menos e percentual menor para quem ganha mais no intuito de nivelar, futuramente, todas as aposentadorias do RGPS num apático e raquítico salário mínimo! Valha-nos Deus...   
Título e Texto: Almir Papalardo, 6-2-2019

Anteriores:

Um comentário:

  1. Tivemos o Paím que prometeu ,fez pls etc... mas somente no discurso por que na prática não fez absolutamente nada,esperamos que o Cajaru reverta essa situação. Tem um pl de 2011 que pede a volta do pecúlio, está engavetado no
    senado. Já é um começo para o senador Cajuru trabalhar em prol de todos nós.

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-