terça-feira, 5 de abril de 2016

APRUS em desacordo frontal com a PREVIC

Thomaz Raposo
As inversões de valor existentes no BRASIL são, sem dúvida, algo de estarrecer a qualquer brasileiro, eis que a PREVIC criada através de suas atribuições para proteger os interesses dos participantes dos fundos de previdência privada com a devida transparência de suas ações, ao invés de fazê-lo, passa a entender que é “dona” dos fundos promovendo modificações gerenciais por “achismo” sem buscar entendimentos ou simplesmente conversar com as associações de participantes juridicamente existentes para proteger os interesses dos seus participantes.

No dia 23 de fevereiro a APRUS foi surpreendida com a substituição do liquidante dos fundos de pensão do AERUS e no mesmo dia solicitou esclarecimentos urgentes pois o ato que foi feito nomeava para esta função uma pessoa que havia sido retirada do mesmo cargo no AERUS por solicitação da APRUS à PREVIC no que havia sido atendida pelo antigo Superintendente.

Após inúmeros pedidos de posicionamentos não atendidos pela PREVIC, foi feita uma reunião no dia 14 de abril, onde foram apresentados os motivos da rejeição e ao mesmo tempo a indagação dos motivos da troca que certamente iria causar muitos prejuízos na condução muito bem executada pelo liquidante anterior, perdendo o AERUS tempos de conhecimento da situação atual, das experiências anteriores e finalmente das estratégias de negociação para possíveis acordos, pois a abrangência de um acordo não se resume a aposentados e pensionistas, mas também aos problemas causados as viúvas pela indefinição da PREVIC que consultada na época se absteve da solução a ser adotada e nunca se esquecendo que um acordo final somente deverá ser aceito com os pagamentos dos nossos colegas ativos que até o dia de hoje nada vieram a receber, brigando até para receber o que lhes é devido pela primeira vara empresarial que ao invés de cumprir o seu papel de recuperação judicial não só não o fez mas decretou uma "falência" do que sobrou. 

O Sr. Superintendente entendeu com sua experiência bancária que um clássico rodízio gerencial, era interessante para motivar uma melhor administração, fato que consideramos lamentável pois confundia áreas de atuação bancária com as dos fundos de pensão cada um com sua característica e forma de atuação e no caso da VARIG e TRANSBRASILcom ramificações bastante complexas. 

Foram colocados outros motivos de preocupação ante a não observância dos artigos 64 e 71 da lei 109 em razão das informações existentes na internet sobre a pessoa do Senhor Aubiergio novo liquidante, que por sua vez em função disto, se achou no direito de mandar para a APRUS uma notificação extrajudicial em nome do “AERUS” exigindo que houvesse um direito de resposta por parte da APRUS no que ele pessoa física julgava que a APRUS estava causando impactos em sua reputação e difamando seu nome.

APRUS entendendo que “poderia estar errada” e embora apenas informando o que estava escrito e descrito em blogs e pelo Tribunal de Contas de Pernambuco mas que poderiam não estar atualizados, veio a publicar uma declaração do “AERUS” assinada pelo liquidante onde este buscava explicar o inexplicável pois o que a APRUS havia solicitado a ele pessoa física era de que nos fosse mostrado as ações e seus resultados movidas por ele contra o Tribunal de Contas e blogs de Pernambuco (o que lógico não foi apresentado).

Após inúmeros avisos e solicitações ao Superintendente da PREVIC alertando a não observância da lei 109 nos seus artigos 64 e possível no artigo 71 e tendo este solicitado um maior prazo para que analisasse as informações encaminhadas para sua apreciação, após trinta e sete dias de análise a APRUS informou que no dia quatro de abril estaria encaminhando suas preocupações para o Ministério Público Federal para que este viesse a nos ajudar e assim eliminar nossas preocupações.

Quero através desta mensagem que a APRUS, observando seu estatuto no qual se obriga a proteger os participantes associados do AERUS, estará entrando com uma solicitação de ajuda junto ao Ministério Público Federal no sentido de que nossas preocupações sejam eliminadas visto que o referido Superintendente, demonstra através do seu silêncio mais uma falha do não atendimento a solicitações de informações pontuais requeridas pela APRUS para o sossego de quase vinte mil idosos com mais de setenta anos. 
Thomaz Raposo de Almeida Filho
Diretor Executivo Presidente APRUS

Recebido da APRUS:


Texto original.
O Título é de responsabilidade deste blogue

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-