quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Autoritarismo de Jean Wyllys contra Arthur do Val dá demonstração de fascismo

Luciano Ayan


Ok. Não é surpresa, ou não deveria ser, que Jean Wyllys é um daqueles proto-fascistas que se vê aos montes nos dias de hoje. Ele é certamente alguém que, se tivesse poder para tal, mandaria opositores para um paredão ou para uma cela, no mínimo. O vídeo abaixo mostra uma postura que é, no mínimo, execrável, mas que nem por isso deixa de ser bem comum:


O primeiro ponto é que o deputado apelou a uma mentira para tentar intimidar seu opositor. Ele é deputado, e este é um cargo público. Tudo o que deputados fazem no exercício da função, especialmente dentro do Congresso, é de interesse público. Filmá-lo, portanto, não requer nenhum tipo de autorização. Ele usou essa carta para tentar intimidar Arthur do Val.

Certamente é um truque. A postura de Jean, no entanto, é o perfeito exemplo do neo-fascismo, um comportamento arrogante, tentativas de intimidação, ameaças e até agressão física. O deputado chegou a empurrar Arthur como se ele tivesse dado motivos para isso, o que claramente não aconteceu. E, respeitando a máxima leninista, o deputado também acusou Arthur de ter feito exatamente aquilo que ele faz.

Não é a primeira vez, certamente não será a última também. Contudo, a postura de Jean Wyllys é uma clara quebra do decoro parlamentar. Ele deve satisfações a toda a sociedade, não só a quem votou nele, não só a quem ele quer dar. É dever de um deputado minimamente decente – coisa que Jean não é – prestar contas aos cidadãos.
Título, Imagem e Texto: Luciano Ayan, Ceticismo Político, 30-11-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-