domingo, 3 de abril de 2016

Crise...? Por que subestimaram o PT em 2014?

Almir Papalardo
O Partido dos Trabalhadores encontrava-se na UTI, quase moribundo, com o ex-presidente Lula lutando desesperadamente para se livrar de uma provável prisão, e a presidente Dilma emaranhada num rito de impeachment parecia não ter escapatória! Seria enfim, o fim da dinastia petista.

Tudo mudou? Até agora, não! Mas, comparando-se com a desconfortável situação anterior, o PT cambaleante equilibrou a situação adversa, não nos dando mais a certeza plena que tudo terminará como imaginado.

As manifestações petistas que perdiam de goleada para os nossos protestos de rua “Fora Dilma/Lula”, em 31 de março último impressionaram pela quantidade de pessoas que dela participaram, sem registros de violências, confirmando assim os 54 milhões de votos com que a presidente Dilma solidificou a sua nefasta reeleição em 2014, não importando agora, se foram ou não regadas com “Coca-Cola e Mortadela” e mais alguma eventual ajuda financeira.

E o impeachment de Dilma até então constitucional confirmado pelo STF, já não o é, passou a ser duvidoso, pela atuação ferrenha e obstinada dos líderes do governo, que com a maior cara de pau confundiram milhões de cabeças ocas, repetindo irritantemente que tal manobra não passava de um “Golpe na Democracia” muito bem arquitetado e posto em prática pela oposição oportunista, que até hoje não se conforma de ter perdido a eleição presidencial de 2014! Resultado desta performance: Dilma promete governar até 2018, mais poderosa ainda, e Lula, antes um ameaçado pela justiça agora livre das investigações do juiz Moro, pode até ser empossado pelo Supremo, como um honrado Ministro da Casa Civil... Tentam passar de acusados a acusadores; de algozes a vítimas de golpe sujo...

Meus tímpanos já não aguentam mais ouvir esta odiosa ladaínha ferina, mas verdadeira, que temos que engolir, porque, simplesmente, demos um trunfo valioso para que os petistas estejam nos gozando cantando de galo! Garganteiam vitória ao vencerem o que seria a demissão da presidente Dilma com apenas 3,5 milhões de votos a mais, ganhadora legítima daquela eleição, enquanto 37 milhões de eleitores descontentes e desnorteados, deixaram de dar o tiro de misericórdia no Partido dos Trabalhadores, não comparecendo como deveriam às urnas! Não matamos o inimigo naquela ocasião como devíamos e podíamos, resultando que, como castigo, termos que enfrentar hoje uma terrível e nefasta crise, desconhecendo e temendo os resultados funestos que ainda poderão nos vir pela frente!

Teriam livrado o Brasil de passar por todo este desconforto político, financeiro, vergonhoso, corrupto e social, ocasionado apenas por uma decisão equivocada ao pensarem que estariam dando uma lição nos atuais políticos, quando, na verdade, estavam votando contra si, contra o Brasil e a favor de Dilma, por tabela, agradando em cheio a presidente e seus aliados, que aliviados e agradecidos aplaudiram calorosamente os votos não usados contra eles!

E aos 10 milhões de aposentados, os cidadãos mais prejudicados pelo PT, bastariam que apenas 04 milhões votassem com a gana e a garra de derrubar aquele partido maléfico aos segurados do INSS! Tudo estaria consumado e os aposentados, pensionistas e futuros aposentados, estariam hoje desagravados e de alma lavada...

Merecemos passar por tudo isto que estamos passando por ignorar esta poderosa arma, o nosso precioso e fulminante voto, que nos faculta à Constituição, para colocarmos os candidatos menos ruins, desencaixados ou inconvenientes nos postos mais relevantes, porque, esperar por governantes perfeitos e sem defeitos, jamais o eleitor conseguirá esta opção!

Trinta e sete milhões de votos desprezados e jogados na lixeira no aguardo de um ilusório candidato ideal!

Quanta falta de visão e incoerência... Poderíamos ter mudado sim o atual histórico nefasto da governabilidade brasileira, que nos empurra ladeira abaixo! Chora Brasil, seus bravos e incautos cidadãos não pensam, e hoje, obrigam toda a população brasileira a pagar pelo ato mal pensado...

Sei que isto agora é passado e não adianta mais chorar o leite derramado. Mas, vou insistir no assunto. Pedi voto unificado nos candidatos da oposição nas últimas três eleições presidenciais mas não deram atenção as minhas exortações. Penso agora na próxima eleição presidencial de 2018, acreditando que possa delinear-se o mesmo enredo, "Nós e Eles", esperando que desta vez, mais unidos, não cometamos o mesmo erro tolo e fatal!  
Título e Texto: Almir Papalardo, 3-4-2016

Um comentário:

  1. Prezado Almir, concordo sim, perdemos a oportunidade, mas já foi, e hoje após esta intervenção do STF, já passei a ficar preocupado com a saída da Dilma, mais preocupado ainda com a justiça que precisa ser feita em relação ao Lula, pois desmascarado ele já foi, mas julgado ainda não, e lhe digo, não podemos subestimar novamente o PT, pois estão hoje poderosos financeiramente, e são bons em corrupção, é de se preocupar, esta Máfia está nos Três Poderes.
    Está difícil!
    Um abraço,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!) isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-