terça-feira, 22 de novembro de 2016

Ai, o Trump!

José António Rodrigues Carmo

Ilustração: Nani
Como se sabe, o senhor Trump além de (muito) desbocado, é péssima pessoa. 😊
Isto porque, segundo a liturgia da esquerda e, vá lá, da bempensância geral, quer fazer muitas maldades.
E que maldades são essas?

1 - Para já, construir muros. Os muros separam, nós precisamos é de pontes, diz a bempensância que, geralmente, vive em boas casas e caros condomíinios, fechados e com altos muros.
E não é que o Trump quer construir um muro na fronteira do México?, indigna-se a bempensância.
É feio, sim senhor.

Mas eu, sendo o ignorante que sou, pensava que já havia um muro entre o México e os EUA. Juro que até já vi fotos e vídeos.

Será possível? Um muro em funções no tempo novo e belo de Bill Clinton e, cruzes!, abrenúncio!, do próprio Obama, o Deus na Terra?

Nãããã... não é possível. Se houvesse um muro no tempo de Obama, ele tinha-o deitado abaixo e a bempensância teria denunciado a maldade dele, enquanto não o deitasse abaixo.

2 - Deportar imigrantes ilegais. Como diz o "nosso" Guterres, os imigrantes ilegais, especialmente os que nos aparecem a louvar Alá e o Profeta, só nos vêm enriquecer. Na prática, devemos estar-lhe agradecidos por nos trazerem a riqueza da sua cultura. Esqueçam as bombas, a maneira chata como tratam as mulheres, são pormenores irrelevantes, não há nenhum perigo terrorista, etc, etc, e o "refugiado" que vivia em Aveiro e foi agora preso na França, merece até o nosso orgulho, carago!, já temos os nossos jihadistas, não somos menos que os outros.

Mas pronto, o Trump diz que vai deportar imigrantes ilegais e isso, indigna-se a bempensância, é feio, muito feio, é feíssimo, intolerável, desumano. Mas, claro, o facto de o Celestial Obama ter deportado mais de dois milhões de imigrantes ilegais não é a mesma coisa. Se fosse, a bempensância ter-se-ia indignado, tenho a certeza, que esta malta tem valores à prova de bala.

3 - O Trump vai escolher tipos da confiança dele. Ora isso é muito irregular, até porque a bempensância acredita que o Trump devia escolher pessoas de bem, pessoas bem formadas, pessoas com as ideias certas, obviamente as da bempensância. Isto porque, para a bempensância, só há democracia quando os "nossos" ganham, quando os outros ganham a democracia está em perigo. É justamente por isso que a bempensância não se manifestou quando Obama fez as suas cheirosas escolhas. Por exemplo, o fantástico Chief Diversity Officer, Mark Lloyd que chegou a extasiar-se pela "incredible… democratic revolution" do comunista Hugo Chávez.

4 – Curiosamente, a bempensância não tuge nem muge quanto a medidas proteccionistas do Trump, essas, sim, preocupantes. É que, nesse capítulo, Trump parece ter as ideias "certas", curiosamente muito próximas das do (também) populista Bernie Sanders.

P.S. Ah, e atenção, não se esqueçam que o culpado quando isto por cá der para o torto, é obviamente o Trump. Foi ele que alterou o "contexto externo".

Centenos, Costas, Catarinas, Jerónimos, Mortáguas e demais génios, não terão culpa nenhuma, como é evidente.
Título e Texto: José António Rodrigues Carmo, Facebook, 22-11-2016 

Relacionados:

Um comentário:

  1. É um milagre que Trump tenha sido eleito com toda (mesmo toda) a imprensa a soldo do grande capital (George Soros, Warren Buffet) contra ele. Quem viu as grandes cadeias de televisão (CNN ou Clinton News Network, a CBS, a SNBC, etc...), os jornais (New York Times, Boston Globe, Washington Post), os comediantes (Colbert, Maher, Comedy Central) e Hollywood em peso, percebeu que havia algo por trás, algo de brutalmente influente. Mas a boa notícia é que tudo isto fracassou.
    Fernando Simões

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-