quarta-feira, 3 de maio de 2017

Sabedoria

Nelson Teixeira

A sabedoria é uma conquista individual, mas adquirida em grupo, pois necessitamos uns dos outros para o aprendizado e entendimento da vida.

Muitos são os acontecimentos durante a caminhada e a sabedoria adquirida nos ajuda a enfrentar todas as dificuldades.

Quando aprendemos com os erros capturamos para o nosso saber a compreensão e o desprendimento de sentimentos como a raiva, o orgulho e a vaidade.

Aprender é o objetivo maior para que a sabedoria faça parte de nossas virtudes.

Sem sabedoria não conseguiremos lidar com as dificuldades, portanto, caminhar em sua busca nos aliviará de muitos tropeços que formos dando durante a nossa caminhada. 
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 3-5-2017

Um comentário:


  1. Ainda sobre sabedoria.

    Dizem que entre o nada e o tudo, entre o tudo e o nada, existe a sabedoria fazendo ponte.

    Talvez seja por isso que ela, nos momentos mais difíceis, acenda o escuro que vive oculto em nossos corações.

    A sabedoria é mais que essa lâmpada. É também a distância menos comprida entre dois cabeçudos que se digladiam.

    No outro lado de cada coisa que nos pareça estranho, ou esquisito, a sabedoria sempre prosperará, como um sonho perfeito.

    A sabedoria está dentro de nós, dormindo um sono leve. Como um caminho virgem, ainda não percorrido.

    Não existe nenhuma bola de cristal sinalizando qual estrada a seguir. Por força da sabedoria que cultivamos, teremos a consciência perfeita de qual senda declinar nossa marcha.

    Basta acordarmos para a realidade que nada mais é que uma espécie de sabedoria ao contrário. Nos momentos mais conturbados e difíceis, ela virá em nosso socorro.

    Mesmo pensar, não se desligue, seja a que motivo for, da sabedoria que o rodeia, ainda que ela não lhe pareça por vezes, muito clara e confiante.

    Lembre que ela é e será eternamente o portal aberto entre o entendimento e aquilo que está oculto e incógnito.

    Por derradeiro, a sabedoria é como um passarinho pousado na árvore da vida. Ele não canta porque tem uma resposta. Ele canta porque existe uma canção dentro da alma.

    Uma canção melódica que se tornou perene, imutável e eterna. Como aquela coisa que não tem fim, é a sabedoria que carregamos dentro de nós.

    Ela morre quando nossa vida cessa? Sim. Morre. E segue junto com nossos despojos para a morada final.

    E de repente, com a Fênix das cinzas, desponta, renasce, revive, dizendo às pessoas, ao mundo, através de nossos atos, obras e pensamentos, aquilo que fomos quando o sopro da vida se fazia benfazejo, em nós, por extremosa ordem Celestial.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-