segunda-feira, 21 de agosto de 2017

[Para que servem as borboletas?] Vitória de Pirro e ceticismo...

Valdemar Habitzreuter

Vez ou outra surgem expressões inusuais na mídia e procuramos saber o que significam. Temer nos proporcionou uma dessas expressões com sua vitória pela permanência no cargo de presidente. Tendo despendido de um esforço hercúleo - compra de votos com liberações de verbas aos deputados - para vencer a batalha da votação no plenário para que a denúncia de corrupção passiva contra ele não prosseguisse e fosse arquivada, essa vitória foi considerada por muitos como uma vitória inútil; portanto, uma vitória de Pirro. É alusivo a Pirro que foi rei e general de uma província da Grécia antiga, Epiro, e notabilizou-se por sua bravura e ganância para estender seu império ao custo de muitas batalhas sangrentas, levando à morte grande leva de seus soldados... Diz-se que Pirro, embora tenha sido vitorioso em sua empreitada, sua vitória teria sido inútil pelo alto custo e sacrifício que teve de se submeter.

Com Temer teria acontecido o mesmo. Convocou seu batalhão de soldados (deputados) que o fizeram vitorioso, mas o país está pagando um preço alto com isso, mergulhando a sociedade na escuridão, num ceticismo pessimista, num descrédito total por dias melhores; a economia que dava sinais de recuperação ressentiu-se e, agora, agita-se convulsiva com a previsão de agravamento da dívida do Estado, do déficit fiscal; e o governo não sabe onde pegar recursos; é claro, a solução será o aumento de impostos; sua vitória, pois, resulta no sacrifício do povo... e seus soldados salvadores, à morte eleitoral.

Há outro personagem de nome Pirro, também da Grécia antiga; mas desta vez não se trata de um rei e, sim, de um filósofo. Notem que a mitologia e a filosofia grega, de séculos A.C., são dignas de estudos pela sua relevância e riqueza espiritual e cultural, e até hoje ainda têm importância no mundo ocidental. Este filósofo de Élis era um cético de primeira ordem. Segundo ele, nada conhecemos definitivamente, a tudo se deve aplicar o método da dúvida; não tomar partido; e já que tudo cai num relativismo epistemológico das coisas que falamos – meras opiniões pessoais - e, mesmo, a valoração moral sendo impossível de determinar, a melhor postura frente à vida, então, é não torná-la frustrante com alguma conduta moral dogmática. A sabedoria, segundo ele, está na simplicidade do equilíbrio interior suspendendo todo juízo de certo e errado. O importante é a atitude da indiferença (ataraxia) na encruzilhada do certo ou errado. Tocar a vida despreocupadamente, sem se aferrar a normas de como viver; não se perturbar com que acontece na vida – vivre e laisser vivre...

Pois bem, o Pirro rei [imagem], em sua ânsia de vitória e ambição, teve um final trágico, foi assassinado. O Pirro filósofo, com sua ataraxia ou indiferença perante a vida, teve vida longa e feliz. E quanto ao Temer, que final terá?


Mal tivemos a notícia do ganho definitivo da Defasagem Tarifária pronunciada pelo STF pela segunda vez – já, anteriormente, a causa tinha sido ganha no TRF e STJ -, e eis que pipocam notícias pela mídia de que não é bem assim... Causa ganha, mas levar é outra coisa... Se isto se concretizar só há uma palavra para resumir o intento do governo: SACANAGEM. Aliás, o termo ainda é leve; aplique o leitor o termo que quiser... FDP não serve, o governo, através da AGU, já se coloca nesta categoria e sabe disso, e parece gostar.

A AGU quer agora invalidar o minucioso e detalhado trabalho feito pela Excelentíssima Ministra Cármen Lúcia, como relatora do processo, alegando a não inclusão de eventuais dívidas da Varig com a União; quer dizer, o final da novela de final feliz, que comemoramos na quinta feira, parece transformar-se em pesadelo novamente; mais uma vez o governo tenta administrar o tempo e postergar o pagamento; quer mais um episódio para a novela VARIG.

O que nos aflige, velhinhos e velhinhas do Aerus e ativos, é a humilhação a que o governo nos submete há tantos e tantos anos. Não bastasse a falência da Varig, que ele mesmo quis e trabalhou para isso, estamos sendo lesados em nossos direitos de reaver o que nos é devido e anos a fio negado; haja vista os trabalhadores que estavam na ativa quando foi decretada a falência sem receber nada, e já há muitos meses antes não recebendo seus salários.

Toda essa novela VARIG não era nem para ter começado. Com Sarney e sua política econômica desastrada é que a novela teve seu desígnio projetado; FHC fechou os olhos e deixou a novela prosseguir; e o governo petista deliciou-se com o enredo e serviu de protagonista no drama que culminou com a falência da mais importante aérea do país.

Nenhum desses governos levou em conta o desastre social com a falência da Varig, deixando milhares de funcionários e aposentados ao léu, sem contar a sociedade em geral que perdeu um patrimônio nacional representando o Brasil mundo afora com seus serviços de alta qualidade.

Sim, a VARIG poderia estar operando ainda hoje, não fosse a miopia dos governantes e, principalmente, o governo petista que deu, maldosamente, o golpe de misericórdia para que ela desaparecesse do cenário nacional e mundial.... Mas, agora está claro: com toda esta roubalheira e corrupção, vindo à tona, praticadas pelo governo (mensalão, petrolão...) não havia dinheiro para salvar a VARIG, o dinheiro tinha outro destino...

É ou não é uma tremenda SACANAGEM por parte do governo de nos passar para trás, velhinhos e velhinhas do Aerus e amigos ativos?... Vamos botar a boca no trombone e manifestar nossa revolta e insatisfação... Queremos o que é nosso... SACANAGEM não!
Título e Texto: Valdemar Habitzreuter, 12-8-2017

Relacionados:

Colunas anteriores:

10 comentários:

  1. ????
    Estarão sendo reprisadas postagens ou meu PC enloqueceu ?
    Paizote

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paizote, fui checar as postagens anteriores, pois receei ter repetido este artigo do Habitzreuter. Não está repetido, não.



















      Excluir
  2. Grato Jim!
    Foi parte do titulo que me confundiu [para que servem as borboletas?] e que já foi usado outras postagens, embora ,confesso não conheço o significado.
    Paizote

    ResponderExcluir
  3. [Para que servem as borboletas?] é o nome da coluna de responsabilidade do Valdemar Habitzreuter.

    ResponderExcluir
  4. Caro Habitz, uma vez, em Atenas, perguntei a um dono de uma loja em Plaka: o que a Grécia exporta? Ele me respondeu: Nós exportamos LUZ! É de fato.

    Habitz, o Brasil está na mão de uma corja, que jamais diminuirá seus benefícios e poderes, se fossemos um País mais "aguerrido" já teríamos tomado aquele planalto e o congresso.

    Este papo de Democracia só serve para protegê-los, e nós cidadãos de bem, sim porque temos muitos cidadãos na marginalidade, estamos F...

    Quanto ao Aerus, não vejo União nem na internet! Muito menos ir às ruas. Creio que teremos que esperar os Desembargadores do TRF1 concluirem a AC, penso que estão aguardando a solução da DT.

    É, este é o Brasil e seu "Povo"!
    Abs,
    Heitor Volkart

    ResponderExcluir
  5. [Para que servem as borboletas?]
    Habitz filosofa em seu título.
    Quem já assistiu o efeito borboleta?

    A borboleta é representa a transformação.
    É simbolicamente a felicidade.
    São feias no início mas de belezas imensas no final de suas vidas.
    Na verdade mostram a natureza em seu esplendor da renovação.
    A escolha do título é perfeita, quisera minha fosse.
    fui...

    ResponderExcluir
  6. Esta bem!
    Concordo desta vez.
    Se esta for a conotação do autor às borboletas, se não tiver nada com a teoria do caos.
    Com a palavra o autor.
    rsrsrsr
    Paizote

    ResponderExcluir
  7. Caro volkart;
    Noto uma certa passividade dos principais atores,desta tragédia.
    Não consigo conviver pacificamente com isto.
    A falta de ação ,(devora-me a dúvida!) e se existe entre alguns , apenas "timidez", ou não acreditam nos resultados.
    Enquanto isto abrem-se espaços para "aventureiros",pseudos representantes.
    Paizote

    ResponderExcluir
  8. Deus, símbolo da paz, da luz, da verdade e da perfeição
    Criador do amor, da beleza, da tolerância e do perdão.
    Divindade que nos dá a vida e livres pensamentos
    Desejando somente que obedeçamos seus Dez Mandamentos.

    Fascina-me o sol e a lua, o dia e a noite, o mar e a montanha
    Me encanto com a beleza dos animais que povoam nosso planeta.
    Admiro tudo que se relaciona a terra e nada mais me estranha
    Adoro o mistério indecifrável como a criação da Terra-planeta.

    Te vislumbro Deus, no mistério do universo, na luz das estrelas encantadas
    Nas flores que embelezam e perfumam nossos campos e bosques
    E no voo singelo das borboletas multi-cores e aveludadas.

    Eu te vislumbro enfim, Oh Deus, em tudo o que bonito
    Nos milhões de mundos que giram no infinito
    No azul do céu, nas mil constelações.

    Almir Papalardo.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-