sábado, 25 de abril de 2020

Não acho que o ex-ministro Sergio Moro saiu engrandecido, pelo contrário, se apequenou


Logo nos primeiros minutos da palestra à imprensa do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, ontem, sexta-feira, 24 de abril de 2020, imaginei a conclusão: ele se demitiria do governo de Jair Bolsonaro.

Mas não passou pela minha imaginação, por mais escalafobética que ela seja, a forma da conclusão que escancarou a intenção: detonar o governo de Jair Bolsonaro, em stricto e lato sensus. Confesso que fiquei meio, se não de todo, aparvalhado.

Well, mas a vida segue...

Uma hora depois, mais ou menos minutos, fico sabendo que o presidente Jair Bolsonaro convocara uma coletiva para as 17h. A ela assisti. Se, como escreveu o jornalista Alexandre Garcia, Sergio Moro foi convincente, Jair Bolsonaro também foi.

Percebeu-se em alguns momentos, pelo ricto facial, a sua emoção  – que uma “jornalista” logo apelidou de demoníaco.

Eu entendi. Sejam as acusações de Sergio Moro verdadeiras ou não, é fato que Jair Bolsonaro se sentiu traído. E essa sensação nos causa choro e raiva. Pode crer!

Fico por aqui, por enquanto.

Gostaria e agradeceria receber a sua opinião, generoso leitor. Eu disse, a sua, não a do antagonista, de fulano, beltrano e sicrano.

Muito obrigado!

Não seria justo não trazer para o corpo deste convite as opiniões sobre este tema já manifestadas nos “comentários”. Ei-las abaixo (acho que não esqueci nenhuma):


Paizote
24 de abril de 2020 16:41
A POSTAGEM ACIMA NÃO DIZ NEM METADE DA MISSA!
ACABOU QUALQUER RESPEITO PELO GOVERNO BOLSONARO . O CARA É LOUCO!

Jim Pereira
24 de abril de 2020 20:25
Assisti com muita atenção à palestra do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública. Jamais saberei qual ou quais causas o levaram a se demitir do governo de Jair Bolsonaro.

Agora, uma coisa ficou claríssima: Sergio Moro, consciente do seu peso e da sua popularidade, pensou bem na consequência da “educada” rasteira que passou em Jair Bolsonaro.

Assistirei com redobrada atenção à coletiva do presidente Jair Bolsonaro daqui a pouco.

Jim Pereira
24 de abril de 2020 21:02
Imaginei que ele viesse com todos os ministros!

Rocha
24 de abril de 2020 22:11

A ordem das carroças está errada.

Bolsonaro não demitiu Moro, Moro fez uma audiência pública pedindo demissão.
São as atitudes que fazem a honra, a coletiva de Moro deu pena.

Paizote
24 de abril de 2020 22:24
O que meus ouvidos ouviram foi um presidente na defensiva com algumas argumentações razoáveis, comparando ambas declarações ficam muito no grau de confiança fica muito no grau de confiança que o declarante,nos mereça, baseados principalmente na sua história de vida.

Quando o presidente diz que foi "!chantageado" por Moro para trocar a cabeça do delegado por um cargo no STF , dificil imaginar isto!

Neste momento Moro , posta no twitter ,negando !
Então quem esta mentindo mais?
O Mito ,ou o herói da lava-jato?
Casais que se separam ,costumam jogar "!#¿$?%!¡" no ventilador, no caso jogam politicagem!
Fosse uma eleição e ambos candidatos, apósdeclaração de ambos ,meu voto seria em branco... novamente!

Paizote
24 de abril de 2020 23:12
Neste momento foi publicado em nova edição no DIARIO OFICIAL, AS exonerações de Moro e repetida na nova publicação a do delegado. Agora dentro dos parâmetros legais, tudo leva a crer que a publicação anterior e citada no manifesto do procurador tenha sido precipitada, (???) Resta saber qual o STF vai considerar!

Paizote
24 de abril de 2020 23:21
ESCLARECENDO;Após ter sido acusado de falsidade ideológica por fraudar assinatura de Moro na demissão de Valeixo, o Planalto publicou há pouco no Diário Oficial novo registro da exoneração, desta vez sem a assinatura do agora ex-ministro.

Paizote
24 de abril de 2020 23:42
Prometendo não voltar mais ao mesmo assunto, informo que a nova exoneração ,também corre o risco de ser invalidada, pelo mesmo motivo... Assinaturas não autorizadas! O nervosismo corre solto em Brasília!

Jim Pereira
25 de abril de 2020 00:19
Paizote,

Aqui, nesta revista virtual, você PODE VOLTAR quantas vezes lhe der na telha e comentar o que lhe vier à cabeça!

E seus comentários serão todos publicados!

Porque você os assina!
Obrigado.

Paizote
25 de abril de 2020 00:47

JIM
MUITO OBRIGADO! É POR ISTO QUE SEMPRE ANDO PELAS PROXIMIDADES,E ENTRO PARA UM PAPO RÁPIDO.

Rocha
25 de abril de 2020 09:22
EU ANALISO PELO LADO MAIS SIMPLES.
A HOMBRIDADE SERIA PEDIR DEMISSÃO AO PRESIDENTE.
INCOMUM É A ATITUDE DE CONVOCAR COLETIVA PARA DEMITIR-SE.
PROPAGANDA ELEITORAL?
PELO QUE VEJO MORO É UM ANTIPETISTA, MAS ADMIRADOR DO SOCIALISMO.

Rocha
25 de abril de 2020 11:46
QUEM LEU?

- Nós os condicionamos de tal modo que eles se dão bem com o calor - disse o
Sr. Foster em conclusão. - Nossos colegas lá em cima os ensinarão a amá-lo.
- E esse - interveio sentenciosamente o Diretor - é o segredo da felicidade e da
virtude: amar o que se é obrigado a fazer. Tal é a finalidade de todo o condicionamento:
fazer as pessoas amarem o destino social a que não podem escapar.

Rocha
25 de abril de 2020 15:25
NOMEAÇÕES DE MORO:
Assessora de Moro, Giselly Siqueira. Nora de Míriam Leitão e ex-assessora do CNJ durante as passagens de Tóffoli e Lewansdowski.

Moro queria nomear ao Conselho Nacional de Política Criminal, Ilana Szabó amiga de George Soros, FHC, é colunista da Folha.

Paizote
25 de abril de 2020 16:24
NAS REDES SOCIAIS SEGUE O BATE BOCA ENTRE MORO E BOLSONARO , E AS PESSOAS TENTAM JUSTIFICAR PORQUE APOIARAM UM OU OUTRO.
 INUTILMENTE!
Descobrindo tardiamente, defeitos,ora num, ora no outro , defeitos nunca apontados!
Ambos ficam devendo a nação ,um comportamento menos egoista ,num momento de coronavirús , a história  (ou o STF irá julgar ambos!). Crimes admnitidos no calor da emoção já existem!
Então que cada um fique no seu  quadrado , nos deixem viver ...sobreviver!
UM DELES ACABARÁ NA CADEIA, MAS POR FAVOR NÃO AGORA...BRASIL TEM COISAS MAIS IMPORTANTES E URGENTES DO QUE ESTES DOIS DESAFETOS.


Relacionados:

79 comentários:

  1. Como todo brasileiro que queria se livrar da corrupção política, votei no Bolsonaro e até participei de muitos eventos. Fiquei muuuito decepcionado com a comprovada tentativa de blindagem do filho dele referente as investigações da rachadinha e da lavagem de dinheiro na franquia da loja Kopenhagem bem como a contratação da mãe e da mulher de um miliciano perigoso (condecorado pelo filho) para trabalhar (?) no gabinete da ALERJ. Isso pode ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sabe disso? Qual a fonte, meu caro?

      Excluir
    2. Embora,ainda corra na justiça, os fatos são públicos e notórios, faltando provar na justiça através do devido inquérito, apenas a suposta blindagem!

      Excluir
    3. Não vi, não investiguei e não prestei depoimento como testemunha. As fontes são relatórios da Polícia Federal, do Ministério Público, da ALERJ divulgados pela mídia. Mas, pode-se considerar que é tudo mentira, que as provas foram forjadas! Por esse raciocínio, pode-se dizer que o Sergio Cabral é inocente e foi condenado pela mídia!

      Excluir
    4. Entendi perfeitamente. Obrigado.

      Excluir
    5. Complementando, eu "não fiz raciocínio", fiz uma pergunta.

      Excluir
  2. Só mesmo bolsonaristas para inverter o julgamento moral a ponto de NEGAR O DIREITO DE DEFESA e O DEVER DE MOSTRAR A VERDADE. Só mesmo gente com um senso INVERTIDO do escopo moral da realidade pode acreditar que foi "uma coisa imunda" o Sérgio Moro entregar a prova que a deputada Carla Zambelli tentou alicia-lo para que ele aceitasse a demissão do então diretor da Polícia Federal Maurício Valeixo em troca de ir pro STF, provando que o Presidente da República Jair Bolsonaro MENTIU no discurso demente dele chamando-o de "chantagista".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, caríssimo Ernesto!
      Obrigado pela participação!
      Sua idolatria por Joyce Hasselmann o isenta?

      Excluir
    2. SOMENTE JIM PODE RESPONDER ESSA FALÁCIA OM EDUCAÇÃO...

      Excluir
    3. roccha: eu gostaria MESMO que vossa senhoria me esclarecesse onde está a "falácia" numa sentença que trata de um FATO e de ÉTICA. Jim: o que eu tenho a dizer sobre Joice Hasselmann é o mesmo que Nando Moura disse sobre o clã dos Bolsonaros: “Se vocês cagarem fora do penico, eu vou ser o primeiro a denunciar vocês em público!” Até agora, a deputada tem se comportado corretamente e com transparência. Tanto que ela manteve a independência ética que a indispôs contra o governo Bolsonaro que ela mesma liderava no Congresso e se tornou o alvo principal da máquina de assassinato de reputações do Gabinete do Ódio de Carluxo e Dudu.

      Excluir
    4. REALMENTE O FATO OCORRIDO, balançou as estribeiras. Se os estribos forem rompidos, cai-se do cavalo.
      Sempre analisei em minha vida que o traidor de um determinado episódio, será obviamente o herói de outra versão.
      Alguém de sã consciência acha realmente que Moro, declarante em alta voz, no programa Roda-Viva, cerca de 3 meses atrás, que o Presidente jamais interferia em seus trabalhos, jamais lhe pedira algo além de fazer o seu trabalho?
      Moro É UM TRAIDOR COVARDE.
      Moro é um herói do socialismo imbecil com uma aura antipetista.
      Moral e ética são mutáveis através dos tempos.
      O que falar de uma mulher que tem 2 filhos de diferentes casamentos, e no terceiro casamento com um corrupto do governo Dória, como rato foge do navio que faz água, tudo isso em 8 anos?
      Moralmente e eticamente hoje em dia nada contra ela, a não ser que seus 3 ex-maridos eram terríveis fodedores.
      A PEPA É XEPA COMUM.
      A ética e a moral, no meu conceito é não CUSPIR no prato de comida que me é oferecido.
      NENHUM HOMEM DITO ESCLARECIDO SE JUNTA A UM DESCONHECIDO.
      Aqui é normal, em 286 anos a corrupção respaldada em constituições.
      BOLSONARO NÃO MANDA, NEM DESMANDA PORRA NENHUMA.
      O STF TRANSFORMOU OS ESTADOS EM EMANCIPAÇÃO DE AUTONOMIAS, NÃO SOMOS 27 ESTADOS, SOMOS 27 PAÍSES.
      O único país que não investigou a tentativa de assassinato de um candidato a presidente. mas durante quase 3 anos procurou se Marielli estava viva.
      Durante essa pandemia prenderam-se pessoas inocentes com algemas, soltaram-se cerca de 3000 detentos, e NOSSO GRANDE MINISTRO DA JUSTIÇA NÃO SE PRONUNCIOU.
      MORO NÃO FOI DEMITIDO, faltou-lhe coragem de ir ao presidente com sua carta de renúncia e depois dar a coletiva, faltou-lhe ética, isso seria moral, e sair brilhando.
      Pode ser um grande jurista, mas o "CONJE" é muito BURRO.
      Todos os indicados por MORO são de Curitiba, Aliás descobri através de MORO que só paranaenses são HONESTOS.
      Me volta na memória, já que somos "os velhinhos do AERUS" que é um insulto aos que acham ser a melhor idade, que eu acho uma "MERDA" O QUE MEU PAI SOFREU, nos idos fundos de pensões que JK roubou para construir Brasília. As dívidas dos governos brasileiros com os caixas pensões é impagável cerca de 2 ou 3 PIBs atuais.
      Escrevi um tópico sobre isso, mas ninguém opinou.
      O governo militar da "ditamole" foi beócio ao estatizar tudo, princípio básico do comunismo.
      Getúlio Vargas construiu a CSN, a VALE e a PETRONOSSO hoje Petrobrás com as poupanças dos trabalhadores nos caixas de pensões.
      Por isso coloquei a frase do livro "ADMIRÁVEL MUNDO NOVO" de Aldous Huxley.
      Me nego a receber a alcunha de "bolsonarista".
      VOTEI PARA MUDAT O BRASIL.
      "Nós o povo queremos uma nova constituição, os nossos representantes do povo não querem." Replicando a diferença entre a nossa CF e a CF americana.
      No lumiar de 2022 troco o penico.
      Finalizando, MORO É UM COVARDE, MORREU NA HISTÓRIA.
      Lembrem-se que se BOLSONARO SAIR, MOURÃO É MUITO PIOR, ELE NÃO É TEMER.
      OS COVARDES NÃO TEM DIGNIDADE, GERALMENTE SE ENFORCAM OU SÃO DECAPITADOS.
      FLYINGAWAY.




      Excluir
  3. Dizem que na guerra, no amor e na política " vale tudo".
    Nenhum de nós, a rigor , exceto os envolvidos nesse imbróglio, sabe com precisão todos os lados da questão. Bolsonaro foi eleito com a promessa de livrar o país e o povo do jugo socialista. Ele chegou a dizer que não iria mudar o jeito xucro de ser. Por outro lado, o pivô da causa, o chefão da PF Valeixo, já tinha a intenção de deixar o cargo, mas Moro tentava convencê-lo a permanecer. Era Moro, pela lógica hierárquica, quem deveria decidir. Na outra ponta, Bolsonaro adquiriu a síndrome do chefe maior, isto é, " quem manda sou eu"! Do ponto de vista político, Bolsonaro queimou o filme com outros pares , partidos e apoiadores. Se pretendia a reeleição, acabou!
    Moro fez o que qualquer um de nós faria, pedindo a demissão do cargo de ministro. Voltará ao magistrado; não será um " desempregado". Só não terá mais o prestígio do alto escalão que ocupava.
    Os maiores inimigos do Bolsonaro são os próprios filhos, irresponsáveis e bobalhões que parecem ser. Não há santos no meio político. No fim, tudo acabará por se acomodar.
    O que vai acontecer,
    vai depender do que vier depois...����
    Todos esses nossos comentários aqui expostos, o clima de incerteza política no país, os comentários nos jornais do exterior, a posição do STF aqui, a ideologia da esquerda e a posição de muitos políticos, boa parte ( ou a maioria) deles corruptos, podemos então concluir que a democracia ainda não é o ideal para os brasileiros, pois não se sabe exatamente o que o termo representa. Assim, o melhor governo por aqui seria alguém ( ou alguns) com mão firme ( de ferro não, que é ditadura��) para descer o cipó nós que merecem, e botar o Brasil no eixo certo.
    Outra vertente aponta que Moro, com todos os louros merecidos, não fez um papel digno pela forma que pediu demissão. Ele detonou Bolsonaro em praça pública, e depois cedeu à Globo conversas particulares via whatsapp.não vemos licitude nesse modo de agir.
    Não obstante, a constituição é clara, cabendo ao presidente da República a indicação ou substituição do chefe geral da polícia federal.Ao que tudo indica, Moro peitou, betendo de frente com Bolsonaro.
    Por fim , o governo e o Brasil precisam seguir em frente; dentro em breve tudo será passado, e tudo isto comentado na mídia bem como aqui por nós são meras conjecturas e especulações. Somente quem participou de toda a trama desde o início poderá atestar a veracidade dos fatos.
    Grande abraço a todos.
    Sidnei Silva
    Assistido Varig/ Aerus
    Rio de janeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela presença, Sidnei.

      Excluir

    2. O PRESIDENTE TEM HIERARQUIA CONSTITUCIONAL.

      EU NÃO SERIA COVARDE, NÃO PEDIRIA DEMISSÃO EM NENHUM MOMENTO DANDO COLETIVAS, IRIA AO LOCAL ONDE ASSINEI A O PONTO DE PARTIDA.
      NÃO VOLTARÁ A SER magistrado a não ser que preste outro concurso público.

      flyaway

      Excluir
  4. Boa noite a todos. Gostaria de deixar a minha opinião e vou fazê-lo, claro. Acho que Sergio Moro não fez a lição de casa direito. Colocou a sua burrice na frente da professora, ou como se diz por ai, grosso modo, a carroça na frente dos burros. Tinha mais que levar uma pernada. Bolsonaro deu o troco, aplicando-lhe uma pernada nos mesmos moldes que Temer chutou a Dilma. Aquela pernada do Temer, foi uma sapatada pelo poder de mamar nas tetas do Brasil sendo presidente. A pernada recebida de Jair foi uma sapatada, a bem da verdade, dada ou desferida com classe. Sergio Moro merecia. Não pode dizer, agora, ou a depois, que os fundilhos lhe doeram. Ele queria ser ministro do STJ. Troca troca. Que vergonha! O sonho parece que voou...Pelas janelas do Ministério da Justiça...
    Carina Bratt
    de Vila Velha, no Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  5. Ninguém pode negar que ambos são raposas velhas!
    Bolsonaro convidou moro para o ministério no 4º dia de posse, foi o primeiro ministro a ser convidado, é óbvio que não foi pelos “belos olhos do moro”.
    Moro aceitou depois de alguma relutância , e de pesar os prós e contras.
    Até onde valeria a pena abandonar 22 dois anos de carreira , com prestigio internacional , para embarcar numa aventura?
    Aventura com uma pessoa praticamente desconhecida, até que
    foram lhe oferecidas algumas vantagens (SIC).
    Seduzido foi, e não era pela ideologia!
    Visava vôos maiores!
    Bolsonaro é e sempre foi pessoa centralizadora e temente aos seus pares , atitude centralizadora.
    Na política é partidário da centralização administrativa o.
    É centralista. desde os tempos de militar. ( Ou por isto!?)
    No meu tempo seria chamado de um “caxias inseguro “.
    Embora ,possa ,por ser detentor de cargo hierárquico , a ética - num bom relacionamento-
    não permitiria demitir um homem de confiança de um subordinado sem o aval do mesmo, isto equivale a avisar ao subordinado que ele será o próximo..
    Aplaudi quando Moro aceitou o ministério, pensei que ele seria capaz de controlar o Bolsonaro, dando ao presidente um ponto de equilíbrio.
    Toda a presidência ,(polícia inclusive )-como pensa e afirmou -serve -ao “bolsonaro”,e família ,
    O estado fica, em segundo plano ao governo!
    Este perfil revela-se inclusive na forma que trata os filhos ,assume tudo o que aqueles “ogros “ fazem , geralmente em prejuízo da imagem do presidente!
    Mesmo o mais novo é o orgulho do pai ,e super protegido.
    Número 04, “o pegador” do condomínio!
    Em circunstâncias diferente poderia ser chamado de “ complexo de macho alfa”.
    Ambos ,Moro e Bolsonaro, são cultuadores de egos exacerbados, um achou que sua cultura abriria todas as portas , outro achou que sua personalidade faria o mesmo.
    Receita pronta para o choque!
    Era questão de tempo !
    A crise do coronavírus,em que tudo parece ser adiado para um futuro incerto ,precipitou tudo!
    Mouro viu o presidente fraquejando nas suas promessas , e Bolsonaro via em Moro - não mais um parceiro que lhe daria credibilidade- mas, um possível concorrente nos planos futuros.
    E aí -como dizia minha mãe- começaram a se bicar!
    Moro teve certeza que seria exonerado ,assim que possível , e[havia se tornado um incômodo!
    Resolve adiantar-se , tentando manter um pouco de dignidade e popularidade para novos projetos !
    E deu no que deu!
    Descobriram tardiamente- como a maioria de nós- defeitos,ora num, ora no outro , defeitos antes nunca apontados!
    Ambos ficam devendo a nação ,um comportamento menos egoísta ,num momento de coronavírus , a história (ou o STF irá julgar ambos!). Crimes admitidos no calor da emoção já existem!
    Então que cada um fique no seu quadrado , nos deixem viver ...sobreviver!
    UM DELES ACABARÁ CONDENADO , NO STF OU NA HISTÓRIA, MAS POR FAVOR NÃO AGORA...BRASIL TEM COISAS MAIS IMPORTANTES E URGENTES DO QUE ESTES DOIS DESAFETOS.

    ResponderExcluir
  6. PARABÉNS A TODOS, E EM ESPECIAL AO JIM , PELO DEBATE DE ALTO NÍVEL PROMOVIDO!

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de pedir desculpas ao amigo Jim e aos demais participantes e leitores. Na minha opinião, postada às 23.41, eu coloquei a sigla STJ. O certo é STF. Superior Tribunal Federal. "Ele queria ser ministro do STF".
    Carina Bratt
    de Vila Velha, no Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  8. Contribuindo...
    "Autoridades" do alto escalão que guardam ou 'printam' mensagens trocadas entre esse mesmo escalão, só revelam uma intenção: a de revelá-las no futuro, para de proteger ou acusar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Jim;
      Outro dia, em resposta a este seu comentário sobre " printing" de mensagens em e-mails, ZAP, etc cheguei a escrever algo em cima do seu comentário; entretanto devo ter cometido algum erro no envio, pois não chegou ao seu conhecimento.
      Resumindo tudo isto que estamos vivenciando, na política ( principalmente no Brasil) os aliados de hoje podem tornar-se inimigos amanhã... Tudo não passa de uma questão de conveniência.
      Houve embate no passado entre Collor e Lula; pareciam inimigos, eram adversários políticos.
      Anos mais tarde há uma cena em plenário que Collor e Lula se abraçam afetuosamente. Teve quase beijo na boca...
      Joyce Hasselman chegou a declarar no início do governo Bolsonaro que era quase mais filha, do que os próprios filhos do presidente.uma vez não atendida em seus anseios, inimiga se tornou. Assim, tudo gira dentro do conchavo,da conveniência e dos arranjos. É da política!
      Todavia há incoerências dentro do governo. Moro e outras autoridades sofreram ataques de hackers ( alguns presos), inclusive daquele americano casado com outro senhor parlamentar ( Glênio Greenvaldo),
      e muitos que hoje querem a cabeça de Bolsonaro, defenderam o Sr Glênio e os demais hackers, isto é, contra Moro, Dalagnol e outros procuradores! Agora bajulam Moro e vão contra Bolsonaro !
      Vemos aí a nata da hipocrisia; e é exatamente isso que o presidente tosco, grosseiro e Urtigão quer acabar.
      Quem está certo?
      Abração.
      Sidnei

      Excluir
    2. Obrigado, Sidnei.
      Sim, recebi o seu comentário, e percebi que era de alguém que me conhecia pessoalmente... mas, porque chegou sem identificação não o publiquei.

      Aliás, aproveitando a deixa, ontem recusei 16 comentários anônimos. Excetuando dois, os outros 14 comentários tinham sujeito, predicado e complemento... não compreendo por que não "assinar" e juntar-se à nossa pequena turma!?

      Excluir
    3. Agora sei qual foi o meu erro!
      Na pressa, não escrevi o nome.
      Pedimos desculpas pela falha.
      Sidnei

      Excluir
  9. You’ve gotta be shitting!
    Oswald Silva

    ResponderExcluir
  10. Vivi para testemunhar o louvor à vileza e à traição porque não se gosta do traído.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JIM ,QUEM TRAIU QUEM?
      ISTO SÓ A HISTÓRIA DIRÁ , HOJE NOSSAS OPINIÕES SÃO CONTAMINADAS PELAS PAIXÕES E IDEOLOGIAS.
      BOLSONARO E MORO, HOJE ESTOU CONVENCIDO AMBOS SE MERECEM!

      Excluir
    2. Independentemente de quaisquer fatores o agora ex-ministro Sergio Moro traiu o presidente, ao vivo e em cores.
      Existem pessoas que amaram o gesto de Moro por que não gostam de Bolsonaro, e pessoas que amam Bolsonaro e não gostam de Moro etecetera e tal, e por isso relativizam ou passam pano no gesto de Moro, não é o escopo do meu artigo.
      Relendo o meu artigo (que acabo de o fazer) não existe nenhum juízo de valor sobre os envolvidos, isto é, não escrevi que fulano é feio e beltrano bonito.
      Dividi a minha avaliação sobre um gesto que presenciei via telinha do televisor.
      Avaliação que mantenho: Sergio Moro traiu (passou uma rasteira) Jair Bolsonaro.

      Excluir
    3. O SOCIALISMO É UMA CONJECTURA DE IDEOLOGIA, O CONSERVADORISMO É UMA PRÁTICA SOCIAL.
      “O conservador pensa na política como um meio de preservar a ordem, a justiça e a liberdade. O ideólogo, pelo contrário, pensa na política como um instrumento revolucionário para transformar a sociedade e até mesmo transformar a natureza humana. Na sua marcha em direção à Utopia, o ideólogo é impiedoso.” Russell Kirk (1918 – 1994)
      Uma das características do conservador é preservar o telurismo do povo, ou seja, suas religiões, duas tradições, seu jeito de falar, suas interjeições diferenciadas.
      É importante não confundir o pensamento conservador com conservadorismo que é uma ideologia política.

      O conservadorismo tem como seus principais valores a liberdade e a ordem, especialmente a liberdade política e econômica e a ordem social e moral.
      O conservador entende que a igualdade político-jurídica é suficiente para garantir a igualdade necessária entre as pessoas.
      Nas esferas social e moral, o conservador defende a manutenção dos usos, costumes e convenções, além de uma estrutura social e hierárquica tradicional.

      Excluir
  11. A maldade destrói os traidores.
    Os traidores são colhidos na sua própria cobiça.
    Texto bíblico

    ResponderExcluir
  12. Guilherme Fiuza
    @GFiuza_Oficial

    Sergio Moro, querido, você já era. E isto não é um juízo sobre Bolsonaro (que seja cassado, se surgir motivo). Você montou um circo vergonhoso c/ um dossiê vagabundo. Você traiu todo mundo (e o seu próprio legado) minimizando o estupro institucional do PT. Calculou mal, parceiro.

    ResponderExcluir
  13. Por favor, ASSINE o seu comentário!
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  14. Comentários no Facebook

    Caio Cesar Lacerda Roseli:
    Moro leu, Bolsonaro falou.

    Vera De Marchi:
    Com certeza, amigo Jim.
    #MoroTraira

    Lucia Da Conceição Lopes:
    Decepcionada

    Nercy Grabellos:
    Com certeza, foi muito desleal com o presidente da República que sempre o apoiou.

    Joel Martins:
    Essa tuitada do Alexandre Garcia diz tudo.
    "A gente olha pro céu neste sábado e vê o azul profundo e de lá vem um pensamento terrível. 'a facada do Adélio foi pela frente.'"

    Jorge Escaleira Curvello:
    É sempre assim, basta se ver alguém perdendo e lá vem as pauladas em cima. Feio e absurdo é alguém se fazer de amigo de alguém e no meio do caminho roer corda, atraiçoar, ser contrário. O homem está sozinho, mas resiste.

    Dirnei Guedes:
    Só uma palavra descreve bem no que se revelou o ex-ministro: Sórdido.

    Glaucia Soares:
    Sujo, traíra!!!

    Ines Ferreira:
    decepção... fez cagada na saída... bela biografia...

    Elcion Zingano:
    "Moro me lembrou hoje aquelas pessoas que terminam uma relação e saem falando mal e até mostrando foto da intimidade. Vergonhoso!"

    Elisabeth Rønbøg Elisa:
    Só acho que não foi em um momento adequado, nem acho que foi bom para um país em recuperação que está passando também por essa pandemia. Mas cada um sabe de si, cada um sabe até onde se pode gerir, suportar mesmo situações de crise e pressão. O que o presidente Jair Bolsonaro está enfrentando, é de se aplaudir e admirar cada vez mais.


    Jim Pereira:
    Vivi para testemunhar o louvor à vileza e à traição porque não se gosta do traído.

    Roberto A. Freire:
    Óoootimo

    Joel Martins:
    perfeito meu amigo.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Fatos como o recente no Brasil, me fazem pensar em minhas definições ideológicas…
      Entao me descubro...Um conservador!
      Social e moralmente,rigoroso nas relações humanas , onde vejo ética como valor prioritário!

      Consigo enxergar uma solução no ANARCO- socialismo, onde originalmente, figurava acervo de ideias, que tinham como objetivo a implantação de um modelo de sociedade mais justa. Com vistas a extinguir a sociedade de classes, na qual os capitalistas exploram os trabalhadores.
      O Socialismo puro ,na prática, não deu certo em nenhum país ,onde adotado.
      E o capitalismo, não visa o “homem” em primeiro lugar, onde o capital é o senhor, e os indivíduos meros vassalos. Não busca igualdades sociais!
      Gostaria de elucubrar um sistema,que combinasse uma filosofia anarquista, com os benefícios sociais do socialismo,o progresso do capitalismo, e com ares de democracia Participativa
      Superando a dicotomia entre representantes e representados! Inspirado na democracia direta grega.
      A característica principal é a iniciativa da comunidade em resolver seus problemas,num processo de discussão amplo e regionalizado.
      Este sistema teria um grave problema inicial-que poderia ser superado-,que inclui , alguma burocracia.lentidão de processos administrativos. Mas nada que seja pior dos que hoje existem!
      Um sistema de autogoverno, essencialmente democrático, onde se preservariam as liberdades civis,o direito de pensar e emitir opiniões, transitar pelos territórios livremente, entre outros direitos e prerrogativas,que seriam garantidas, e onde, conciliados com liberdade coletiva, as liberdades individuais predominariam.
      Os representantes seriam assalariados, escolhidos e destituídos de forma rápida, e não traumática avaliados pelo desempenho nas questões mais abrangentes, e sem a pretensa "autoridade" , hoje tão malfadada.
      A religião a mídia, meios de informação,assim como as religiões e outros “vícios”teriam discutidos os seus papéis, e restritos aos seus ditames originais.
      Sabedor de que é uma visão romanceada de democracia., com uma visão herética do funcionamento da economia capitalista, este desapareceria por total insucesso.
      O empreendedorismo incentivado, e socialmente administrado, substituiria o domínio dos grandes grupos empresariais.Que em última instância, são os sustentáculos dos principais beneficiados do capitalismo.
      Sou então, ideologicamente falando, um anarquista que se opõe a toda hierarquia e dominação, seja ela política, econômica, social ou cultural, como o Estado, o capitalismo, as instituições religiosas, o racismo e o patriarcado.
      A direita extrema ou a extrema-esquerda pecam pelos mesmos males!
      Substituem o homem por ideais pré-concebidos, e noções radicais de execuções no bem comum da sociedade civil.
      Noções estas que negam qualquer princípio democrático, e fazem da pretensa democracia…
      Uma DEMONIOCRACIA, como as que vemos atualmente seja aqui ou ali ao lado!

      Excluir
    2. Felizmente, o Sr. Paizote se deu conta que esta revista e leitores, merecem um tratamento melhor no seu texto.
      Então, por favor faça uma revisão!
      Em nome do conceito que pretendo para com o senhor e seus escritos.

      Maos à obra!

      PS: Já feito! (vide)

      PAIZOTE

      Excluir
  16. Como já pode ter sido notado ,Estou encontrando problemas com letras maisculas ou MINUSCULAS. peço que nAO SEJAM DADAS INTERPRETAÇÕES ,ERRADAS, DESCULPEM ,VOU busCAR RESOLVER!

    ResponderExcluir
  17. 3 MISTÉRIOS INTRIGANTES:

    1 - A LISTA DAS 28 TRAIÇÕES DE JAIR BOLSONARO supera qualquer coisa de que o Sergio Moro possa ser acusado. É o suficiente para ele ser condenado por estelionato eleitoral. E o discurso que ele cometeu, digo, proferiu, é disparado um disparate mais alucinado que todos os discursos de Dilma Rousseff juntos. Aquele fluxo de palavras desconexas em ritmo cambiante, sem nexo, sem eixo e sem lógica, mudando de assunto para falar de temas como o filho que come todo mundo no condomínio, usando termos de baixíssimo calão que incluem verbos neologismos como "escrotizou" entre outras barbaridades contra a inteligência humana e a nossa já maltratada Língua Portuguesa já entrou para os anais da política como a mais
    insana cascata de verborreia da História da República. Aquilo ofende o QI de uma ameba e a sensibilidade de um vírus. Depois de ouvir semelhante descalabro, precisei ir ao banheiro desinfetar meus estuprados ouvidos e escutar Tchaikovski para me recuperar do trauma.

    2 - roccha: sua resposta, além de esclarecer NADA, só gerou mais confusão. Por favor, esclareça-nos como é que o "Moro é um herói do socialismo". Ainda mais depois de ele realizar essa façanha de Hércules provocando o impossível: Petistas e Bolsonaristas se unem no ÓDIO a Sérgio Moro. Eu pensava que o máximo de máscaras que caíram pelas ações dele foi no episódio do áudio de celular do tesoureiro da quadrilha PCC: “Esse Sérgio Moro é um filho da puta, mano... Ele tá atrasando nosso lado! No tempo do PT não tinha isso não... Nóis com o PT tinha um diálogo cabuloso, mano...”

    3 - Quanto ao devaneio incompreensível "mulher que tem 2 filhos de diferentes casamentos, e no terceiro casamento com um corrupto do governo Dória, como rato foge do navio que faz água, tudo isso em 8 anos" eu realmente prefiro nem saber do que se trata. Isso é mais bizarro do que qualquer enigma da Esfinge.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sobrenome judeu-alemão foi contraído após o seu primeiro matrimônio com o dentista Evaldo Artur Hasselmann Junior, com quem teve uma filha. O segundo matrimônio de Joice foi com Marcio Oliveira, com quem teve um filho. Desde 2016 é casada com o médico neurocirurgião Daniel França Mendes de Carvalho.

      A intrigante e providencial separação de Joice Hasselmann e Daniel França, na véspera de um escândalo

      Leia mais: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/19082/a-intrigante-e-providencial-separacao-de-joice-hasselmann-e-daniel-franca-na-vespera-de-um-escandalo

      HOMEM SEPARADO DE 3 OU MAIS MULHERES É MAL FODEDOR, MULHER SEPARADA DE 3 OU MAIS HOMENS É "XEPA".

      Excluir
  18. Me chamou a atenÇÃO AS OPINIÕES SOBRE O MESMO ASSUNTO AQUI E NO FACEBOOK ,CONFORME PUBLICADAS ACIMA.
    As do face ,são muito mais sucintas,claras e sem necessidade de argumentos rebuscados...embora ainda radicais.
    SeriaMOS DOIS "POVOS" DIFERENTES?

    ResponderExcluir
  19. Obrigado, 36 comentários!
    Parece pouco, mas não é mesmo, pelo contrário! Rimando com o título! :)

    ResponderExcluir
  20. Bom dia JIM. na minha modesta ignorância, O Ex juiz deu tiro no pé ao abandonar tantos anos na Magistratura para ocupar um cargo público sem nenhuma estabelidade

    ResponderExcluir
  21. COMO RECONHECER FALÁCIAS?
    O SOCIALISTA ESQUECE O PASSADO.
    BOLSONARO É CHAMADO DE CORRUPTO COM 2 ANOS DE GOVERNO.
    ABAIXO 60 ANOS DE CORRUPÇÃO, ESCREVI E PESQUISEI EM 2010.
    quarta-feira, 21 de abril de 2010
    50 ANOS DE CORRUPÇÃO
    A COMPRA DO NAeL MINAS GERAIS GOVERNO JK
    Brasil já vai a guerra, comprou um porta-aviões
    um viva pra Inglaterra de oitenta e dois bilhões
    ahhhh! mas que ladrões
    comenta o zé povinho,
    governo varonil,
    coitado coitadinho,
    do banco do brasil
    há há, quase faliu.
    a classe proletária
    na certa comeria
    com a verba gasta diária
    em tal quinquilharia
    sem serventia.
    alguns bons idiotas,
    aplaudem a medida,
    e o povo sem comida,
    escuta as tais lorotas
    dos patriotas.
    porém há uma peninha
    de quem é o porta avião
    é meu diz a marinha,
    é meu diz a aviação
    ahhhh! revolução!
    Brasil, terra adorada
    comprou um porta aviões
    oitenta e dois bilhões
    Brasil, oh pátria amada,
    que palhaçada.
    -A música de Juca Chaves denunciava a corrupção do governo.
    A UDN feito o PSDB de hoje NA ÉPOCA SOMENTE DENUNCIAVA
    MAS GALHARDAMENTE PARTICIPAVA DAS FALCATRUAS, NADA DIFERENTE DO QUE ACONTECE HOJE.
    A falta de pagamento da contribuição da União e a sonegação por parte dos empregadores do setor privado (por exemplo, estima-se que em 1956 as contribuições não-recolhidas aos IAPs foram da ordem de Cr$ 10 bilhões ou R$ 1,173 bilhão de junho de 1998) foram fatores determinantes na frustração das previsões atuariais para o funcionamento equilibrado do sistema de previdência social. Até 1944, a taxa de contribuição em vigor no IAP dos industriários (IAPI, principal instituto de aposentadorias e pensões) era de 3% sobre o salário. A partir de 1945, passou a 5%, chegando a 6%, em 1950 e a 8% em 1959.
    Investimentos do IAPI em Empresas de Economia Mista — 1954 (Em R$ de Junho de 1998)
    Siderúrgica Nacional 36.932.334,79
    Cia. Vale do Rio Doce 1.429.638,77
    Cia. Instituto Resseguros 782.131,54
    Cia. Hidroelétrica de São Francisco 3.574.096,91
    Bônus do Banco do Brasil 1.477.531,66
    Recolhimento para Tomada de Bônus do Banco do Brasil 16.910.966,31
    INVESTIMENTOS NA CONSTRUÇÃO DE BRASÍLIA
    Investimentos pelos IAPs em Brasília (total acumulado até 31/12/65)
    (Em R$ de Junho de 1998)
    Total de INVESTIMENTOS EM Terrenos, Obras DE INFRAESTRUTURA E Construções
    IAPI 59.535.440,41
    IAPC 48.030.193,08
    IAPB 46.168.307,61
    IAPFESP 13.164.506,75
    IAPM 13.774.840,88
    IAPETC 8.286.125,66
    TOTAL 188.959.414,40
    ZERADA A DÍVIDA COM CANETAÇO EM 1966 COM A UNIÃO, OS FUNDOS DE PENSÕES transformaram no INPS.
    Para realizar tantos investimentos, o governo de JK realizou pesadas emissões de papel moeda e abriu nossa economia para o capital estrangeiro. Com essas duas medidas, as divisas geradas pelas multinacionais instaladas no Brasil eram desviadas para seu país de origem e a emissão de moeda iniciou uma grade desvalorização monetária e a consequente inflação.
    Brasília era construída com emissão de dinheiro, roubo na previdência e endividamento dos fundos de pensão e NUNCA com recursos próprios da União.
    GETÚLIO VARGAS ROUBOU os fundos de pensões mas DEU A CLT PARA OS BOBOS, O GRANDE TRUNFO DELA ERA A ESTABILIDADE
    JK ROUBOU PARA FAZER BRASÍLIA DESTRUINDO OS FUNDOS DE PENSÕES.
    DEPOIS O GOVERNO MILITAR COM UM CANETAÇO IGNOROU A DÍVIDA DA UNIÃO COM OS FUNDOS DE PENSÕES.
    CONTINUA...

    ResponderExcluir
  22. EM 1968 INVENTARAM O FUNDO DE GARANTIA E ACABARAM COM ESTABILIDADE, MENOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS
    EM 1988 ACABARAM COM O DESCONTO EM DOBRO DA PREVIDÊNCIA, MAS NÃO DEVOLVERAM AOS TRABALHADORES AS CONTRIBUIÇÕES, TIRARAM O SALÁRIO MÍNIMO COMO REFERÊNCIA E LIMITARAM A PREVIDÊNCIA EM 10 SALÁRIOS REFERÊNCIA.
    EM 1998 RETIRAVAM DA PREVIDÊNCIA O SUPERÁVIT PRIMÁRIO
    EM 2002 COMEÇARAM OS ROUBOS COM A DRU O FAT E O AUXILIO DESEMPREGO.
    EM 2003 AS PENSÕES COMEÇARAM A SER CORRIGIDAS ABAIXO DO INPC.
    MUDARAM A CONSTITUIÇÃO PARA OS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS DE MENORES EXPRESSÃO CHAMANDO-OS DE SELETISTAS.
    A UDN E O PDS ESTÃO VIVOS HOJE EM DIA ELES SE CHAMAM PT, PMDB E PSDB.
    DIVIDIDOS, DIVIDINDO E UNIDOS NAS FALCATRUAS.
    ISSO É HISTÓRIA ESTÁ NA NET PARA QUEM QUISER PESQUISAR FONTES,
    OS TRABALHADORES NÃO LERAM, NÃO SABEM, E NÃO SE IMPORTAM.
    OS GOVERNOS DE GETÚLIO, JK, COLLOR, SARNEY, FHC, ITAMAR E LULA TODOS FORAM OU SÃO CORRUPTOS.
    SOBRE O GOVERNO MILITAR A CORRUPÇÃO SE ENRAIZOU NAS ESTATAIS QUE ELES CRIARAM, PARA CABIDES DE EMPREGO DA MILICADA.
    ALGUNS CHAMAM DE GOLPE DA DIREITA, MAS FOI O CAMINHO MAIS CÉLERE PARA A ESQUERDIZAÇÃO QUE ELES PRÓPRIOS TINHAM MEDO E ACABARAM FAZENDO A CARTILHA DE MARX À RISCA.
    ONDE ESTÁ A BENDITA DA PONTA DO PAVIO?
    Vamos falar de previdência.
    A lei Elói Chaves de 1923 instituiu a fundação dos institutos de pensões dos trabalhadores.
    Vários foram fundados para atender as diversa classes trabalhadoras.
    IAPI, IAPC, IAPFESP, IPASE, IAPM, IAPC, IAPB entre os principais.
    Em 1945 com capital sobrando essas instituições iniciaram a investir nas áreas de alimentação, habitação e saúde de seus associados.
    1947 989.038.611,33
    1950 932.369.823,95
    1951 1.849.024.295,19
    1957 4.826.370.289,43
    1959 3.959.172.377,83
    1960 5.156.075.797,28
    1961 5.134.852.221,96
    1962 4.784.316.483,35
    Acima a evolução da dívida federal com os IAPs com dados atualizados de 1998, infelizmente não achei outras atualizações.
    Os investimentos em empresas com a CSN e a Vale foram milionários.
    Abaixo os investimentos na construção de Brasília, em terrenos e obras de infraestrutura.
    IAPI 59.535.440,41
    IAPC 48.030.193,08
    IAPB 168.307,61
    IAPFESP 13.164.506,75
    IAPM 13.774.840,88
    IAPETC 8.286.125,66
    Totais 188.959.414,40
    Em 1964 a dívida federal com os IAPs era enorme.
    A título de comparação os IAPs faturavam 43 bilhões e o orçamento federal era de 113 bilhões.
    Continuando a derrubar a situação o governo decide em 1966 unir todos IAPs em um órgão estatal chamado INSS.
    Em 1967 a união devia 502 milhões.
    Em 1976 2,7 bilhões, lembrando sempre que são cálculos para 1998.
    Sendo que o acumulado da União em 1976 era da ordem de mais de 5 bilhões de reais.
    Sugiro a leitura do link abaixo:
    IAPS LINK: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_0638.pdf

    Exige-se a reforma da previdência com a equiparação dos regimes RGPS com o RPPS.
    Ninguém deve ganhar mais que o teto no setor público do que o trabalhador do setor privado.
    Não vou fazer cálculos espúrios, mas a dívida hoje é da casa de trilhões.
    Quem quiser ganhar mais que o limite de teto do INSS que faça previdência privada.
    Em países de primeiro mundo geralmente são aos cuidados de sindicatos.
    Porém, aqui no Brasil deixas as galinhas nas mãos das raposas sindicais é fatídico.
    Tivessem os governos todos cumprido suas partes na previdência, hoje os institutos de pensões brasileiros seriam gigantes, mais fortes que o BNDES.
    Porém, se estivessem nas mãos petistas estariam quebrados, como todos os fundos de pensões estatais.
    Antes do SUS o atendimento de saúde dos caixas de pensões brasileiros era considerado de primeiro mundo.
    O sistema habitacional dos institutos resiste ao tempo, basta ver os conjuntos habitacionais do IAPI Brasil afora, que resistem ao tempo com mais de 60 anos.
    A maioria das empresas possuíam supermercados com alimentos vendidos aos funcionários por preços de custo.
    Suas farmácias cediam remédios com 50% de desconto e alguns alternativos gratuitamente.
    CONTINUA....


    ResponderExcluir
  23. Eu fiz essa pesquisa para um trabalho de estudos.
    Só para completar minha revolta, em 1983 meu salário de F/E com horas extras era de 7000 dólares. Os malditos senadores e deputados ganhavam 3000 dólares.
    Hoje em dia um COMANDANTE internacional brasileiro ganha cerca de 20000 a 25000 reais.
    Para ganhar o dobro de um senador seu salário seria de 340.000,00 reais.
    TENHO TOTAL OJERIZA AOS SOCIALISTAS, COMUNISTAS.
    Nos meus mais de 30 anos de VARIG, visitei 56 países, alguns nem figuram mais no mapa, foram engolfados ou divididos.
    Não consegui ver um que deu certo.
    Um SHEIK acaba de comprar o NEWCASTLE e diz que tem 250 bilhões de libras para investir.
    Com esse dinheiro ele compraria o Brasil do TEXUGO DE 9 DEDOS.
    ESSES MERDAS NÃO SÃO PATRIOTAS.

    AFTER LANDING CHECKLIST COMPLETED
    REST IN PEACE FOR THOSE FALSE DEMOCRATS

    ResponderExcluir
  24. Mesmo os mais ferrenhos defensores de Bolsonaro , já analisam a comprovação l´gica,
    de que o governo , "não é uma Brastemp" -usei esta expressão aqui quando ele foi eleito-.
    Mas , só teremos melhoras, se o próprio presidente, admitisse, que nem tudo saiu como ele planejou!
    Ou como dizem em psicologia, a cura começa quando o paciente admite a doença!
    A pandemia, foi a segunda facada no Bolsonaro.
    Se a primeira alavancou sua eleição, sobre um adversário fraco , esta tragédia de agora - Covid19-_ o pôs por terra.
    As coisas todas e a economia estava se recuperando , apesar dos disparates do presidente em suas manifestações públicas.
    Próprias de sua personalidade
    No novo cenário sem Moro e sem pandemia , ainda dá para recomeçar!
    E repetindo,outra coisa que disse aqui na eleição, para dar certo ,é preciso que alguém proteja o "homem"! ..
    Principalmente dele mesmo!
    Gente tem para isto!
    Se ele permitir!
    Vide Mourão, está se preparando para ajudar a salvar o governo, se lhe deram oportunidade.
    O presidente disse no episódio Moro, que seu governo não teria mais “super.ministros”.
    Hoje após reunião no planalto,Guedes, recebeu este encargo novamente, depois de um pequeno desgaste.
    Enquanto o Presidente anunciava que não iria interferir na economia!
    As coisas “no varejo de balcão” , e princialmente a economia,vinham bem .
    Apesar das manifestações públicas do presidente,e um pouco de insegurança.
    A ordem é recomeçar!
    Ninguém em sã consciência pode desejar o naufrágio total !
    Perdem todos , direita, esquerda, mas, perde principalmente, o Brasil!
    Prioridade um ,deve ser a saúde!
    Isto é tão óbvio ,que chega a ser ridículo afirmar!
    O STF poderia esperar um pouco, antes de pôr mais lenha na fogueira.
    Então Brasil…
    “Levanta dá a volta por cima,e não desanima ...”!!

    ResponderExcluir
  25. ESTABLISHMENT CONTRA-ATACA

    Qual o crime de Bolsonaro?


    Leandro Ruschel·
    26 de Abril de 2020 às 18:15

    Leandro Ruschel analisa as insinuações de Moro contra Bolsonaro, o contexto em que elas surgiram e como foram rapidamente aproveitadas pelo establishment e pela esquerda na narrativa de que o presidente deve cair.

    Sérgio Moro foi um herói na Lava Jato. Creio que apenas petistas e outros defensores de bandidos discordarão disso. Mas o seu ataque frontal ao presidente na última sexta-feira, dia 24 de abril, produz muitos questionamentos. Seria o presidente Bolsonaro um criminoso, conforme sugeriu o ministro? A reação inicial ao seu pronunciamento foi majoritariamente emocional: quem o identificava como referência moral, tendeu ao seu apoio imediato, sem questionar o que foi apresentado por ele. Porém, uma análise fria do que foi exposto até aqui sugere cautela, pelo menos.

    Recapitulando: Moro afirmou em coletiva, em que anunciou a sua saída do cargo, que o presidente Bolsonaro estaria buscando um controle político da Polícia Federal, justificando sua decisão de pedir a demissão. Mais, afirmou que nem o PT chegou a tanto, pois o partido teria mantido independência da PF durante sua gestão.

    Uma bomba nuclear jogada na cabeça de Bolsonaro.

    Talvez a declaração mais esdrúxula de Moro tenha sido sobre a independência da Polícia Federal durante os governos petistas. Romeu Tuma Júnior, que escreveu o livro “Assassinato de Reputações”, foi ao Twitter perguntar ao ministro se a afirmação se tratava de uma piada. Tuma sofreu perseguição política após deixar a Secretaria Nacional de Justiça na era petista, relatando no livro o esquema ilegal de investigação criada pelas gestões do PT, com a criação de inquéritos fora do sistema, usados para criar dossiês contra adversários políticos e chantagear pessoas.

    Também não podemos esquecer da ação de Márcio Thomaz Bastos, ministro da Justiça de Lula, que atuou como verdadeiro advogado e lobista do ex-presidente durante o Mensalão, posteriormente sendo o criador da tese de Caixa 2 para acobertar os crimes do Petrolão. Já Tarso Genro, outro ministro da Justiça petista, utilizou a PF para perseguir a então governadora do RS, Yeda Crusius, com inúmeras operações que não resultaram em nenhuma condenação, mas foram suficientes para enfraquecer Yeda, garantindo a eleição para governador ao próprio Tarso. Completando, só para citar mais um caso, podemos lembrar de Dilma recebendo informações secretas da PF para alertar seus marqueteiros sobre um mandado de prisão iminente, o que os fez fugir do país. Finalizando, não podemos esquecer da infiltração do PT no próprio Supremo, onde o seu presidente é ex-advogado do partido e ex-assessor do próprio José Dirceu, que não se declarou impedido para tomar decisões que beneficiariam vários petistas, incluindo o próprio Dirceu e o corrupto condenado, Lula.

    Após a coletiva de Moro, ele enviou prints para o Jornal Nacional, de conversas dele com a deputada Carla Zambelli, assim como conversa com o próprio presidente. Nas conversas com Zambelli, Moro afirma não estar a venda, quando a deputada sugeriu lutar por sua indicação ao STF, caso ele aceitasse a troca de comando na PF. Já em relação ao presidente, Moro apresentou conversa onde o presidente sugeria que um dos motivos para a troca de comando na PF seria a necessidade de ter acesso às informações sobre o inquérito ilegal do STF que estaria investigando deputados e empresários ligados a Bolsonaro. A diferença de poucos minutos entre o horário da conversa e do print sugere o que Moro tinha a intenção de vazar as conversas antes mesmo de anunciar sua saída do governo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em relação às conversas apresentadas por Zambelli, não há a menor sugestão de qualquer tipo de crime. A deputada simplesmente tenta demover Moro da ideia de sair do ministério, afirmando que defenderia o nome do ministro para o STF. A conversa com o presidente tampouco apresenta indício de crime, ainda mais se levarmos em conta a natureza de tal inquérito. O termo “influência política” na PF é muito vago. Algum nível de influência o presidente sempre terá, pois é quem legalmente tem a prerrogativa de definir o diretor da instituição. Do ponto de vista legal, é preciso saber se houve ato de impedir investigações, escondê-las ou direcioná-las a oponentes políticos, por exemplo. Pelo que foi apresentado até aqui, não parece ser o caso.

      O próprio ministro Sérgio Moro, em entrevista à GloboNews no dia 11 de março, afirmou que: “...o presidente tem a prerrogativa de indicar o diretor da PF... ela tem trabalhado com a autonomia que tem sido garantida...”.

      O que Moro indica na sua coletiva é a interpretação dele que a troca na Polícia Federal produziria tal interferência, o que envolveria a possibilidade futura de cometimento de algum crime, o que em si não é crime algum. Fazendo um paralelo com um crime cometido pela ex-presidente Dilma, quando ela anunciou a possibilidade de colocar o investigado Lula no Ministério, para fugir da caneta do então juiz Sérgio Moro, ela não cometeu crime algum. Mas quando efetivamente executou a decisão, cometeu, pois dava foro privilegiado ao corrupto. O ato ilegal foi anulado pelo STF, apesar do crime – mais um – nunca ter sido investigado e julgado.

      O INQUÉRITO ILEGAL DO STF

      No print de conversa entre Moro e presidente, remetido pelo ministro para a Jornal Nacional, como suposta prova da “interferência” do presidente nos trabalhos da PF, observamos o presidente alegando que um dos motivos para a troca seria pela atuação da instituição no inquérito das “Fake News” no STF, que teria como alvo correligionários seus.

      Recapitulando, Toffoli abriu um inquérito sigiloso para investigar “atos” contra o Supremo, com base numa leitura muito peculiar do Regimento Interno da Casa, onde há a previsão legal para abertura de tal investigação em caso de crime cometido nas dependências do STF. Toffoli alega que onde está um ministro, ali também está o Supremo, transformando o Brasil inteiro em dependência do STF. Ele foi além na ilegalidade, indicando sem sorteio o relator do inquérito, ministro Alexandre de Moraes. Ato contínuo, Moraes escolheu a dedo delegados da PF, que responderiam diretamente a ele, um procedimento completamente anômalo.

      Dessa forma, o STF se transformou em tribunal de exceção, onde a suposta “vítima” de “ataques”, se transforma em investigador e julgador dos seus “agressores”. Em outras palavras, temos instalada a ditadura do Supremo. A própria procuradora-geral, Rachel Dodge, apontou a ilegalidade do procedimento, apontando o óbvio: eventuais crimes cometidos contra o STF deveriam ser denunciados ao MPF, que poderia abrir investigação e apresentar denúncia. Ela pediu o arquivamento do inquérito, no que foi rechaçada pelo ministro Alexandre de Moraes.

      Dado o impasse, o novo procurador-geral propôs, de forma equivocada, uma solução salomônica: o inquérito prosseguiria, mas os autos deveriam ser compartilhados com a PGR, o que aparentemente aconteceu, o que não retira o seu caráter fascitóide.

      Excluir
    2. Tal inquérito foi aberto após longo desgaste da corte diante a opinião pública, pela sua evidente falta de vontade em investigar os maiores bandidos da República, para dizer o mínimo, além das seríssimas acusações que pesam contra os próprios ministros.

      A revista Crusoé trouxe uma denúncia gravíssima sobre o ministro Toffoli: o ministro seria tratado nas comunicações da Odebrecht como “amigo do amigo do meu pai”, segundo relato do Marcelo Odebrecht em depoimento ao MPF, sendo que “amigo do meu pai” era o codinome de Lula na empresa. No âmbito do inquérito, Alexandre de Moraes baixou censura sobre a revista, e o seu editor teve que dar esclarecimentos à Polícia Federal. Após protestos da imprensa, a censura foi levantada, mas o inquérito permaneceu aberto.

      Utilizando os poderes produzidos pelo inquérito, Alexandre de Moraes suspendeu procedimento investigatório aberto pela Receita Federal contra ministros do STF, chegando a decidir pelo afastamento dos servidores envolvidos em tal, num claríssimo ato de atuação em causa própria. Antes disso, ele tinha decidido por expedir mandados de busca e apreensão contra diversas pessoas que haviam criticado fortemente o STF nas redes sociais. Um dos alvos foi o general da reserva Paulo Chagas, que teve seus equipamentos eletrônicos recolhidos.

      Num segundo momento, ouve associação desse inquérito ao trabalho produzido pela CPI das “Fake News”, demonstrando cabalmente o perfil político da investigação. A CPI é controlada com mão de ferro pela oposição ao presidente, utilizando o fórum para perseguir seus apoiadores. Listas de “milícias virtuais” passaram a ser produzidas, onde nomes eram imediatamente retirados caso o sujeito em questão virasse oposição.

      A partir do momento que a deputada Joice Hasselmann anunciou sua traição ao presidente, por não ficar ao seu lado pela disputa de controle do PSL, passou a utilizar a CPI como palco para perseguição aos seus opositores. Foi neste momento que a CPI passou a enviar “provas” para o inquérito ilegal do STF.

      Num dos atos mais claros de perseguição política, Alexandre de Moraes utilizou materiais apresentados na CPI, como vídeos internos do Movimento Conservador organizando uma manifestação contra Gilmar Mendes, para decretar busca e apreensão à residência de Edson Salomão, seu presidente.

      Outros movimentos sociais também foram hostilizados. O Movimento Avança Brasil, o qual sou conselheiro, teve um dos seus integrantes chamados para um interrogatório. Nem o delegado, como o advogado do integrante, teve acesso aos autos do processo, outra ilegalidade presente em tal inquérito. O delegado disse que tinha uma lista de perguntas a fazer. A principal delas era sobre a apresentação de imagens de ministros do STF no caminhão do movimento, num protesto que ocorreu na Avenida Paulista.

      O jornalista Allan dos Santos, editor do canal Terça Livre, também foi alvo do inquérito, depois de ter dado longo depoimento à CPI das “Fake News”, onde ficou clara a tentativa de criminalização do movimento conservador que apoiou a candidatura de Bolsonaro e dá sustento a sua presidência. Posteriormente à oitiva na CPI, Allan foi intimado a aparecer diante de um juiz indicado pelo STF para prestar depoimento. Na condição de testemunha? De investigado? Foi acusado de algum crime? Não se sabe, pois seus advogados não tiveram acesso aos autos do processo, um direito fundamental à defesa rasgado pelo próprio STF.

      O procedimento ilegal, sigiloso, típico de estado totalitário, é utilizado pelo STF como um verdadeiro canivete suíço jurídico, para sua auto-proteção e para criminalização de qualquer expressão que questione sua postura protetora do establishment político corrupto.

      Excluir
    3. Veja o que jurista Modesto Carvalhosa escreveu sobre o inquérito:

      “Dias Toffoli e seu companheiro Alexandre de Moraes transformaram o STF num tribunal de exceção, declarado no artigo V e inciso XVI da Constituição no mais grave delito contra as liberdades públicas numa democracia. No comando desse tribunal de exceção, estabeleceram esses dois abusivos funcionários públicos um clima de terror mediante a prática continuada dos crimes de ameaça, constrangimento ilegal, violência arbitrária e invasão de domicílio cominados nos artigos 132, 146, 147 e 150 do código penal. Para que cessem as atividades delituosas, esses dois indivíduos, deve a Procuradoria Geral da República promover a imediata prisão preventiva de ambos, a fim de que deixem de ameaçar e ofender a cidadania brasileira. As pessoas e as instituições da sociedade civil não devem obedecer e acatar qualquer medida determinada por esses dois elementos, comunicando imediatamente ao Ministério Publico a respeito para as providências devidas.”

      DE VOLTA A MORO

      A explanação sobre o inquérito ilegal do STF é necessária porque, por enquanto, foi essa a principal “prova” de Moro sobre o suposto desejo de Bolsonaro de “intervir” politicamente na PF.

      Não podemos esquecer que o STF praticamente acabou com a Lava Jato, jogando os casos para o TSE, acabando com a prisão após a segunda instância, criando novos procedimentos para as delações, com aplicação retroativa e anulação de várias sentenças.

      Pior, deu guarida ao ataque produzido pela esquerda, com o hacking e liberação de mensagens de autoridades envolvidas na Lava Jato, incluindo o próprio Moro, criando a narrativa de perseguição a Lula e à quadrilha que saqueou o Brasil. Gilmar Mendes chegou ao ponto de dar um salvo conduto ao Glenn Greenwald, apesar dos claros indícios de ligação do sujeito com o hacking das autoridades. Mendes agora opera para aprovar a suspeição de Moro e anular o processo de Lula, o que devolveria os direitos políticos ao corrupto, além de abrir espaço para a anulação de praticamente todos os processos julgados por Moro.

      Nesse caso, não é no mínimo razoável que o presidente Bolsonaro esteja interessado em ter acesso a mais informações sobre um assombroso ato ilegal e ditatorial do STF, que coloca em risco não apenas a presidência, mas o próprio Estado de Direito?

      O PT e o quadrilhão que saqueou o país instrumentalizou a Justiça e o próprio Congresso, impedindo que a Lava Jato fosse adiante. Por que Moro, ele mesmo alvo desse grupo, está atacando o presidente que busca reestabelecer o Estado de Direito, ao invés desses grupos que impedem a continuidade da Lava Jato? De uma certa forma, ao questionar as intenções do presidente em relação ao inquérito ilegal do STF, Moro está legitimando o mesmo. Por que?

      Não é possível comparar os crimes claríssimos cometidos pelo PT e seus aliados, com o roubo de bilhões e a imposição de um projeto político chavista, que poderia nos levar à tragédia venezuelana, com a busca pela criminalização de oposição ao STF e ao Centrão corrupto, justamente por não levar adiante a retirada de corruptos da vida pública.

      O CERCO A BOLSONARO

      Tudo isso acontece enquanto se denuncia uma série de tentativas de golpe ao presidente, na esteira da instabilidade provocada pela epidemia global do vírus chinês, aproveitada por boa parte do establishment brasileiro para adotar medidas exageradas e autoritárias, que produzirão a ruína econômica do país e a explosão das contas públicas, mas também a disponibilização de verbas multibilionárias nas mãos dos corruptos, tudo que eles pediram a Deus, depois da seca provocada pela Lava Jato.

      Excluir
    4. Maia estaria articulando com a OAB um pedido de Impeachment de Bolsonaro, com apoio do próprio STF, que já deu o primeiro passo para o golpe: o ministro Celso de Mello deu seguimento até aqui a um Mandado de Segurança que pede o afastamento do presidente em caráter liminar, o que seria inédito na história da República.

      Ao mesmo tempo, governadores tomam uma série de medidas que usurpam poderes federais e atacam o presidente, novamente com apoio do STF, sem nenhuma palavra contrária do então ministro Moro.

      A extrema-imprensa sobe o tom. Se havia 99% de oposição ao governo desde o primeiro dia, hoje temos 100% de oposição, chegando ao ponto de apoiar as ilegalidades do STF e das medidas tomadas pelos governadores que rasgam os direitos constitucionais mais básicos. Até aqui, apenas o presidente Bolsonaro se colocou em defesa desses direitos.

      O FUTURO

      Agora, com o ataque frontal de Moro, a oposição a Bolsonaro fica com ainda mais “argumentos” para abrir um processo de Impeachment ou tomar outras medidas para retirar o presidente do poder. No limite, pode ser instituído o parlamentarismo, ou criada outras medidas que transformem Bolsonaro numa Rainha da Inglaterra. Na verdade, isso já ocorre hoje em certo grau.

      Além disso, as ações de Moro acabam diminuindo a base de sustentação do presidente, dada sua figura de Herói Nacional, fazendo com que muitas pessoas fiquem ao lado de Moro, independente da falta de consistência nas alegações do ex-ministro apresentadas até o momento.

      Isso deixa Bolsonaro nas mãos do Centrão, a única força que teria votos necessários no Congresso para evitar um Impeachment. Ou seja, o presidente terá que escolher entre partir para a “articulação” espúria que evitou desde o começo do mandato, perdendo a principal bandeira que o elegeu e o apoio popular, ou manter o seu compromisso, ficando mais exposto a qualquer tipo de golpe.

      Resumindo, o establishment corrupto é o grande ganhador nesse episódio.

      Particularmente, defendo fortemente a manutenção do seu compromisso inicial e a exposição da situação pelo presidente. Se Bolsonaro fizer isso, atrairá mais apoio popular, mantendo a possibilidade de continuidade do processo de reconstrução do Brasil, tão abalado nas últimas semanas.

      Também é URGENTE que Bolsonaro pare de cometer erros que prejudicam ainda mais a tarefa. Por exemplo, o seu AGU, André Mendonça, deu parecer favorável ao inquérito ilegal, assim como Aras, o procurador-geral escolhido pelo presidente. Jorge Oliveira, o possível substituto de Moro, é muito próximo de Toffoli, e foi um dos defensores, junto ao presidente, da figura do juiz de garantias, uma estrovenga criada pela esquerda para dificultar ainda mais o andamento dos processos. Essas decisões só favorecem o inimigo.

      As forças políticas que realmente defendem a refundação do Brasil precisam se unir contra um verdadeiro golpe de estado que se desenha. Muita gente boa está contribuindo para esse golpe sem nem perceber, identificando em Bolsonaro o culpado pela situação. Se fosse, não haveria todo esse esforço por parte do establishment para retirá-lo do poder, não é mesmo?

      Brasil Sem Medo

      Excluir
  26. 357 acessos; 51 comentários.
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  27. #FechadaComBolsonaro
    #MoroTraíra

    ResponderExcluir
  28. Vitor Grando:
    A sexta-feira por aqui foi quente. Não se falou de outra coisa, evidentemente. Mas depois das 17h o jogo deu uma guinada brusca.
    Agora pelo que percebo conforme o tempo passa, quem está com a imagem mais arranhada é o traíra.

    Jim Pereira:
    Pois, como escrevi, independentemente de quaisquer fatores, aconteceu um ATO de TRAIÇÃO. E traição, ao vivo e em cores, dificilmente será perdoada por gente de bem.

    Dá uma olhada, tem 50 comentários.
    https://www.caoquefuma.com/2020/04/nao-acho-que-o-ex-ministro-sergio-moro.html


    Vitor Grando:
    Li lá.
    É isso aí.
    Quanto ao lance das assinaturas, é regra na Administração. É sempre um terceiro que assina pelo responsável.

    Jim Pereira:
    Sei... mas os que odeiam Bolsonaro sempre tentam e tentarão transformar um alfinete num fuzil de longo alcance...

    ResponderExcluir
  29. Boa tarde a todos. Enquanto a sociedade brasileira morre aos poucos, num baile dantesco em câmera lenta, sem segurança pública, sem casa, sem emprego, sem ter o que comer, definhando o corpo enfermo nos corredores do SUS, o senhor Sergio Moro continuará (além do alto salário como ministro de uma pasta inoperante), sendo privilegiado com a proteção pessoal de nada mais, nada menos, de oito agentes, esses pequeno exército pagos com nosso dinheiro. O governo se defende, saindo pela tangente, afirmando que essa “segurança” será feita pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Que vergonha! Mesmo passo, no caminho incerto, o governador do Paraná, Ratinho Júnior, filho do apresentador imbecilóide Ratinho, igualmente se propôs a oferecer igual proteção e segurança ao cidadão Moro, já que esse câncer que o país contraiu e se tornou irremovível, reside naquele Estado. Engraçado, que tem gente por ai à fora, que acredita piamente que o Brasil tem jeito. Uma pena! Viva a idiotia desse povinho medíocre, “vaquinha de presépio, bufões de carteirinha, paus mandados a serviço dos nossos eternos vilões.
    Carina Bratt
    De Vila Velha, no Espírito Santo.

    ResponderExcluir
  30. Pedro Frederico Caldas27 de abril de 2020 21:35

    A DEMISSÃO DE MORO - DEPOIS DE OUVIR AS EXPLICAÇÕES DO PRESIDENTE BOLSONARO A RESPEITO DA DEMISSÃO DO MINISTRO MORO, INTERFERI HOJE PELA MANHÃ NAS DISCUSSÕES INTERNAS DE UM GRUPO LIBERAL-CONSERVADOR A QUE PERTENÇO, FAZENDO AS CONSIDERAÇÕES ABAIXO:

    Terminei de ler as trocas de mensagens entre vocês analisando os aspectos morais das ações de Bolsonaro e Moro, duas pessoas de fundamental importância para a política atual, cada um trilhando caminhos diferentes. Bolsonaro, considero, teve perdas pela forma como Moro decidiu sair do governo. Lembrem-se que escrevi no Grupo que era contra a nomeação de alguém que não poderia ser demitido, embora mais tarde tenha reconhecido que a entrada de Moro no time deu mais força popular ao governo. Pronto, isso está dito. Vamos agora ao disse-me-disse das circunstâncias da saída do Moro.

    O geral da discussão que li até agora parece, desculpem a franqueza em relação a alguns, coisa de menininhas do convento das carmelitas.

    Já ouviram por acaso falar em realpolitik? Embora a ética deva estar presente também na política, o poder não se exerce com os escrúpulos de mocinhas que se apegam à tarefa de não deixar o vento levantar a saia.

    Não estou dizendo que no jogo do poder vale tudo, como, por exemplo, Fernando Henrique ter comprado voto de parlamentares para aprovar a emenda da reeleição; Lula e Dilma (leia-se PT) terem criado o mensalão e o petrolão para subverter o regime e jogar o Brasil no totalitarismo, sem descuidarem de ficar ricos; as práticas corruptas em diversos aspectos dos governos Sarney e Collor; as corrupções com base legal para indenizar terroristas, empilhar ministérios, cargos em comissão e sinecuras de toda ordem para amamentar um elite corrupta satelitizada nas esferas públicas. Os exemplos de corrupção feitas à luz do dia sob o manto da legalidade são inesgotáveis, como o governo tomar dinheiro a 15% e capitalizar o BNDES para emprestar a 5%.

    Agora, vamos ao âmago da questão. O que fez Bolsonaro, tomando-se pelo valor de face as acusações de Moro?

    Por acaso faz arrepiar a República o presidente não se conformar em não ser investigada a fundo a mão ou o conjunto de mãos e interesses que armaram Adélio? Vejam o ambiente em que isso se dá: sob o argumento safado de preservação do segredo profissional do advogado não permitiram que fosse periciado o telefone do defensor de Adélio para saber quem estava pagando honorários que permitiram todo um escritório caro viajar de jatinho e estar de prontidão para defender o regicida tão logo cometida a intentona contra a vida do candidato Bolsonaro.

    Tal medida foi requerida pelo petista presidente da OAB e deferida por um supremo de atuação lamentável, em todos os sentidos, salvo algumas exceções. A lei protege o sigilo entre o advogado e o cliente. O cliente do escritório era Adélio, não era quem pagou. Pagar os honorários da defesa de alguém não torna o pagante cliente. Os advogados do grupo sabem bem disso. Aliás, qualquer pessoa minimamente inteligente intui essa verdade cediça. Quando você paga ao médico para atender um pobre não o torna paciente. Isso que fez a OAB, mancomunada com o STF, é que é corrupção brilhante e lapidada.

    Um ministro, escusado dizer, é auxiliar do Presidente. O que um ministro faz é, em tese, tarefa do Presidente. Tanto isso é verdade que ministérios são criados ou são extintos. Por isso mesmo que nos Estados Unidos os ministros respondem pelo título de secretários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pedro Frederico Caldas27 de abril de 2020 21:36

      E como se situa Bolsonaro no plano moral. Eu, por exemplo, nunca vi um governo tão probo. Nenhum escândalo, unzinho sequer. Nem o cartão corporativo pelo qual pode sacar dinheiro e não ter que prestar contas jamais usou, enquanto dona Mariza sacava em dinheiro, todo mês, à época, 28 mil reais.

      Pode algumas aleivosias levantadas por Moro configurar crime de responsabilidade? Pode, sim. Mas não é esse aspecto técnico que está sendo debatido aqui no Grupo. O que se está fazendo aqui, com propósitos que são mais que evidentes, é realçar imoralidades inexistentes, é transformar pequenos incidentes da vida de qualquer governo em questões morais.

      Se o presidente pode nomear o ministro, pode nomear os seus assessores, isso está na lei, fato que não é negado nem pela mídia mais suja. Querem na verdade transformar um ato administrativo trivial, do poder da presidência, numa questão moral inexistente.

      Quando estava comentando ontem com você s a coletiva de Moro, eu achava que ele já tinha encaminhado ao presidente seu pedido de exoneração do cargo. Mais tarde é que fui perceber que ele ainda não tinha comunicado ao presidente a sua renúncia. Aí, justamente aí, a coisa tomou para mim outra conotação. O ato de se demitir em público, através de uma imprensa claramente inimiga do governo, foi de uma sordidez política grandiloquente, uma traição digna da mais baixa canalhice política.

      Para manter a dignidade, deveria ter saído com a cabeça erguida e sem tumultuar o governo numa hora tão difícil para o País. Neste ponto, o Mandetta, que teve sua política de combate à epidemia impugnada, saiu dignamente, como devem fazer os homens de Estado. Os que o defendem que tentem justificar essa ignomínia. Afinal, o presidente querer exercer o seu poder de nomear um auxiliar não deveria transformar o ministro numa melindrosa, nem seria motivo suficiente para sair criando uma crise para o governo que dizia ter a honra de servir, provocando queda da bolsa, alta do dólar, tudo isso gerando grandes prejuízos à economia e à estabilidade das instituições. Saiu indignamente. Passo a palavra aos que o defendem.

      Tentem justificar uma safadeza política irresponsável como essa.

      A honestidade intelectual que deve orientar o Grupo é se o governo tem sido ético e se as ações do governo seguem na direção que inspira o Grupo. O resto é blábláblá de oposicionista na moita.

      Acho que sou insuspeito para tratar o governo Bolsonaro. Talvez tenha sido o último do Grupo a decidir sufragar o seu nome para presidente e declarei as razões do meu voto em artigo de seis laudas.

      Dito isso, quedo-me silente e peço desculpas pela longa intervenção.
      Pedro Frederico Caldas

      Excluir
  31. Pedro Frederico Caldas27 de abril de 2020 21:40

    O INCRÍVEL HOMEM QUE ENCOLHEU
    Moro tocou fogo nas próprias vestes. A base de apoio dele era, em grande parte ou majoritariamente, a mesma de Bolsonaro. Fez acusações que aparentemente não pode provar. Agiu solertemente contra uma admiradora e afilhada que nele confiou, além de sair falando mal do presidente que, ainda nas vésperas, elogiava. Praticou um montão de ingenuidades e incoerência política. Comparem o comportamento dele, ao sair do governo, com o de Mandetta cuja política era confrontada e criticada fortemente pelo presidente. O Mandetta, com cuja política de combate à epidemia não concordo, saiu, há que se reconhecer, com a cabeça erguida, de forma digna. Moro, ao se despir da toga de juiz e envergar o terno de político, como político tem que ser encarado. O juiz duro e imparcial, de fidelidade somente à lei, que todos nós não nos casamos de admirar, ficou para trás. O fato é que, ao protagonizar o triste espetáculo que foi sua coletiva, atirando no presidente pelas costas, pode estar se transformando, como no filme, no "incrível homem que encolheu".

    ResponderExcluir
  32. Minha opinião sobre o gesto do senhor Sergio Moro está escancarada no texto do artigo acima. Opinião que fui reafirmando (e aperfeiçoando) por aqui nos comentários.

    Aliás, quero agradecer deveras o privilégio de receber 58 comentários/opiniões.

    Mas, o planeta continua girando e a Lusitana roda (embora mui lentamente nestes tempos do vírus chinês ou do vírus que veio da China), e o Brasil segue em frente. Com a minha torcida.

    Ao senhor Sergio Moro e família desejo sinceramente muita paz, saúde e prosperidade.

    Como político, ou ator político, o senhor Moro para mim é passado. Se é verdade que quem gosta do passado é museu, também é verdade que é olhando para o passado que melhor se constrói o futuro.

    Abraços e beijos de carinho./-

    ResponderExcluir
  33. Tive uma lamentavél ,discussão com um amigo no whats!
    A certa altura ele encerra a discussão com o brado ; “Vcs são todos assim’!
    Opaaa! Vcs quem cara pálida?
    Falávamos de Moro e Bolsonaro e nenhum deles sou eu , nem me representam!
    Já não estávamos mais debatendo o lamentável episódio , e sim acusando-nos, parte à parte!
    Baseados em argumentos piofios ,criados por nossa simpatia pessoal.
    Não seria mais elegante ,admitir que ambos erraram !
    E olha não digo que cometeram crimes!
    Isto fica para a justiça, ou IN-justiça!
    Não simpatizo com Bolsonaro pelo seu perfil histriônico, mas jamais poderia dizer que é desonesto!
    O mesmo em relação ao Moro!
    Ambos são no mínimo “atrapalhados” !
    Que se f…. os dois , só preservem o Brasil!
    Temos que aprender a separar nossa personalidade,
    daqueles que se dizem “autoridades”.
    Moro e Bolsonaro, já encheram -e a Globo tem grande culpa nisso-
    Virar a pagina é preciso, pois o covid 19 , esta ali na porta!
    Mesmo o STF tem que ter o bom senso ,de não querer investigar e julgar nada agora,
    Que fique para depois da quarentena , senão serão eles ,assim como nós todos uns fanáticos, sem causa.
    Seja defendendo um ou por outro!
    A não ser que conseguimos a proeza de ,defender um sem acusar outro!
    Mas ainda precisamos aprender muito sobre politica e politicos

    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  34. E ESTE PROCURADOR??? HEIMMM???
    APONTOU AO STF, POSSIVEIS CRIMES DE AMBOS, E JOGOU MAIS MERDA NO VENTILADOR!
    "Na peça apresentada, o PGR diz: "Dos fatos noticiados, vislumbra-se, em tese, a tipificação de delitos como os de falsidade ideológica, coação no curso do processo, advocacia administrativa, prevaricação, obstrução de Justiça, corrupção passiva privilegiada, denunciação caluniosa, além de crimes contra a honra".

    ResponderExcluir
  35. O que falávamos ontem, eu e o colega acima mencionado ,era que Moro cometeu ato que fere a ética , motivado por ação emocional.
    Acusou , mas não "processou" o presidente de nada!
    "Jogou merda no ventilador!"
    Ambos fizeram, assim, como casais que se separam em litígio"
    Quem levou a justiça,uma peça atrapalhada,onde confunde acusado e acusador, foi Aras!
    Replicou o acusador, com os mesmos argumentos, sem fazer uma defesa objetiva, numa peça confusa.
    Resumindo ,foi outro que jogou “merda’ no ventilador.
    Parece ser este ,no momento,o esporte favorito no Brasil, em tempos de coronavírus!
    E o covid19,segue comendo pelas beiradas!
    Ah!!! E o STF ,aproveitou para ampliar a crise política , tirando da gavetas ,peças anteriores.
    Como pedindo ao Maia que se pronuncie,em tempo recorde sobre os 19 pedidos de impeachment do Bolsonaro.
    Mais “merda” no ventilador!
    Seria o momento certo???
    O coronavirus -verdadeiro inimigo e criminoso- está tendo “”barrigadas de riso” !!!

    ResponderExcluir
  36. Será que Sérgio Moro mentiu ou falou a verdade durante o seu pronunciamento?

    O então ministro da Justiça Sérgio Moro fez um pronunciamento em que se afastava do cargo e fazia fortes acusações e denúncias contra o presidente Jair Bolsonaro intervir no comando da polícia federal.

    Será que ele mentiu ou falou a verdade? Assista a análise e não minta pra mim. Se não, eu descubro!
    Clique aqui para assistir »

    ResponderExcluir
  37. NOTA-SE , INSATISFAÇAO, CONSTRANGIMENTO, DECEPÇÃO, MAS PRINCIPALMENTE DESCONFORTO!
    OU SEJA , COMO CITEI NO COMENTÁRIO ÀS 13;20
    SOB MOTIVAÇÃO EMOCIONAL. IMPENSADO, SEM AVALIAR CONSEQUÊNCIAS!;

    ResponderExcluir
  38. Sobre acusações e acusados,sejam crimes virtuais,ou através de meios de comunicação, podemos chamar todos os políticos de ladrões, só não podemos acusar, identificando o mesmo;
    Todos podem ser desonestos, apenas um,é crime previsto no parágrafo único do art. 927 do Código Civil, identifica-lo incorre contra a honra.
    O meio publicado, incorrerá em. Responsabilidade objetiva – independente de culpa.
    Mesmo aqui,devemos ter cuidado, (em respeito ao Cão que fuma), salientando,quando quisermos exagerar, que a página não se responsabiliza por opiniões pessoais publicadas.

    ResponderExcluir
  39. Vocês falam num tom que confunde o público com o pessoal. Mas o meu escopo moral da realidade é outro. A deputada Carla Zambelli não passou uma cartinha de amor para o ministro Sérgio Moro guardar segredinho como um bom cavalheiro. Ela extrapolou as atribuições dela na esfera ética do Poder Legislativo, se meteu numa negociação de cargos do Poder Executivo e aparentemente serviu de intermediária para o Presidente da República cometer crime de tráfico de influência do Poder Judiciário. Vocês podem achar isso um atitude perfeitamente normal e inofensiva, mas em qualquer país sério já seria caso de impeachment ou no mínimo de um voto de desconfiança no Parlamento. Repito: o ministro Sérgio Moro revelou aquela troca de mensagens para exercer o DIREITO de se defender de uma MENTIRA do Presidente da República e para cumprir o DEVER de estabelecer a VERDADE sobre o motivo da demissão dele. No meu entender, ele foi polido até demais. E, convenhamos, entre Jair Bolsonaro e Sérgio Moro, sempre foi absolutamente claro quem é o ogro destemperado / desbocado e quem é o cavalheiro comedido / educadíssimo.

    ResponderExcluir
  40. 518 acessos; 71 comentários.
    Valeu, obrigado!

    ResponderExcluir
  41. Nenhum homem merece uma confiança ilimitada – na melhor das hipóteses, a sua traição espera uma tentação suficiente.
    Henry Mencken

    ResponderExcluir
  42. "A impressão que se tem é que durante todo o tempo que permaneceu no governo, Moro agiu de caso pensado, preparando o terreno para esse desfecho traumático."

    ResponderExcluir
  43. "Um ministro de estado que grava 15 meses de conversa com o presidente, é honesto? É esse o herói nacional? Pelo amor de Deus!!!"

    ResponderExcluir
  44. Volto aqui para dividir com os nossos leitores a minha convicção: o senhor Sergio Moro, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública do Brasil, cometeu uma traição ao presidente Bolsonaro na FORMA e MANEIRA como se desvinculou do governo.

    ResponderExcluir
  45. Me desculpe, generoso leitor, o título do post está (muito) errado.
    Eu não acho mais, depois de ler o tuíte do senhor Sergio Moro apoiando o oportunista Paulo Marinho e elogiando a "coragem" deste, estou convencido que o senhor Sergio Moro carece de caráter. E eu que achava que ele o tinha.

    Atenção, múmias anônimas, competência não tem nada a ver com caráter: você pode ter aquela e não ter este.

    ResponderExcluir
  46. MORO TINHA CARÁTER ENQUANTO JUIZ!
    TANTO QUE TEVE CORAGEM E CONDENOU O LULA E MUITOS OUTROS.
    AO TORNAR-SE POLITICO MUDA TUDO.
    ESTE UNIVERSO CORROMPERIA ATÉ SÃO FRANCISCO.
    PARA SER POLITICO TEM QUE DEIXAR O CARÁTER EM CASA, PARA OS DIAS DE LAZER.
    CARÁTER E POLITICA NÃO CONVIVEM, SE REPELEM, UM ANULA O OUTRO.
    QUANDO OCORRE DE TER QUE ESCOLHER UM…
    QUANDO TIVER..
    É CLARO QUE NÃO É O IDEAL...MAS ASSIM É A HUMANIDADE!
    ME MOSTREM UM POLÍTICO QUE SEJA UM MODELO DE CARÁTER?

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-