quinta-feira, 14 de junho de 2018

“Esterilização forçada”? Foi fake news

Flavio Morgenstern

A notícia de uma usuária de crack que teria sido "esterilizada sem defesa contra a sua vontade" foi fake news da Folha. E logo a seguir, o jornal tentou associá-la a Bolsonaro.


O Brasil se assustou nesta segunda-feira com a notícia de que Janaina Aparecida Quirino, usuária de crack, teria sido submetida a uma “esterilização forçada”, sobretudo pela forma como jornais como a Folha de S. Paulo escolhia cuidadosamente as palavras usadas na manchete, sabendo-se que raros leitores vão ultrapassar tal limiar. Na mesma sacada, a Folha desenterrou um antigo projeto do presidenciável Jair Bolsonaro que visava facilitar o acesso à vasectomia para o chamado planejamento familiar. Sua manchete: “Bolsonaro defendeu esterilização de pobres para combater miséria e crime” (sic).

Assim, dois sentimentos já estavam trabalhados: a ideia do horror que seria o Estado exigindo esterilização forçada de uma mulher, apenas por ser pobre e usuária de drogas, e também a idéia de que Bolsonaro teria, naquele mesmo dia, aprovado esterilizar os pobres em massa à força, num projeto higienista que, é claro, seria comparado ao Terceiro Reich de Adolf Hitler, como é a única crítica que é feita a Bolsonaro.

Um próprio colunista da Folha, Oscar Vilhena, envidou seus melhores esforços para denunciar o “higienismo” que é uma esterilização forçada, e logo estavam até setores anti-petistas (o eleitorado preferencial de Jair Bolsonaro) horrorizados com a ideia de alguém, sobretudo o poder estatal, exigir uma esterilização à força de pobres.

As pessoas que se acham independentes, críticas e que “pensam com a própria cabeça”, sem serem “manipuladas pela mídia”, costumam com facilidade assombrosa largar tudo isso quando se invoca o nome de Jair Bolsonaro no meio de uma notícia.
(...)
As agências de “fact-checking” Lupa e Aos Fatos, tão empenhadas em atacar tudo de Bolsonaro e considerar falas piores de Ciro Gomes meramente “exageradas”, censurando o alcance de quem divulga notícias falsas no Facebook, não deram um pio sobre o assunto que mais exaltou ânimos no Twitter nos últimos dias (já que o encontro histórico de Donald Trump e Kim Jong-un só pôde ser completamente ignorado pela extrema-esquerda para não morrer de vergonha).


2 comentários:

  1. o Flávio, por incapacidade, incompetência, desonestidade e preguiça intelectual] me bloqueou no SI, então eu vou comentar aqui. O pessoal de direita [geralmente conservador e cristão] acha certo que essa mulher passe por esterilização forçada. legalmente, juridicamente, moralmente e eticamente a decisão é questionável. o que é curioso é que essa gente que defende o acerto da decisão de proceder à esterilização forçada é a mesam que grita quando se fala em legalização do aborto.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-