quarta-feira, 27 de junho de 2018

Carteira de Jornalista deste Editor


20 comentários:

  1. Bravo! Meus parabéns!!!
    Paizote

    ResponderExcluir
  2. Jim, Parabéns por mais esta Qualificação! Abs.

    ResponderExcluir
  3. Que super! Parabéns pela conquista!!

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado pelos simpáticos parabéns!
    Abraços e beijos de carinho./-

    ResponderExcluir
  5. Parabéns, Jim!
    Sucesso sempre!
    Abraço
    VD

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, Jim. Sucesso. Se precisar de dicas profissionais, é só me avisar. Abrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Licia!
      Forte abraço./-

      Excluir
    2. Aliás, Licia, por favor, você conhece e recomenda algum programa que converta áudio em texto? Tipo estenografia d'antanho...
      Quer dizer, pretendo entrevistar uma pessoa via gravador de voz do celular... e aí, como conseguir tudo isso em texto??

      Excluir
    3. Melhor gravar através do celular ou de um gravadorzinho?

      Excluir
  7. http://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2016/09/como-transcrever-som-das-gravacoes-de-audio-em-texto-usando-o-google.html

    ResponderExcluir
  8. O problema de gravar sons e transformar em textos é que os apps (Google, wats...etc) não perdoam quem tem a dicção como eu. Vira piada!
    Tipo feijão vira feitam ou feitão!
    Paizote

    ResponderExcluir
  9. Eu uso, para traduzir textos e é muito bom, nunca usei para traduzir meus textos.

    ResponderExcluir
  10. Carteira da ABJ não é qualificação alguma. A única carteira válida como identificação funcional é a da FENAJ E qualquer jornalista profissional e que cursou comunicação social (jornalismo), está cansado de saber disso. Carteira da ABJ não tem validade legal como documento de identificação, quiçá de qualificação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem toda a razão, A carteira da ABJ não qualifica, tampouco a carteira da FENAJ! Esta, sei não, pode até desqualificar.

      Agora, quanto ao “jornalista” que frequentou/gastou dinheiro numa Faculdade, trata-se de “reserva de mercado”. Isto é, o “formado” em Comunicação Social não significa, automaticamente, que ele é um “jornalista”. Muito provavelmente, e tão só, um militante.

      Olha só a manchete da Folha de S. Paulo sobre a nomeação do Procurador-Geral:
      Bolsonaro despreza lista tríplice e indica Augusto Aras para o comando da PGR
      O militante não informa, OPINA no título.

      Excluir
  11. Esqueci de acrescentar: publique seus dados pessoais. Depois que for utilizado indevidamente, não reclame.

    ResponderExcluir
  12. Obrigado, Elen, pelo toque dos "dados" pessoais. Tomei providência.

    ResponderExcluir
  13. Complementando: convido a Elen a apontar erros ou ataques deontológicos cometidos neste blogue.

    ResponderExcluir
  14. NÃO SEI QUEM É ELEN.
    É no mínimo mal educada.
    Se pesquisar em outros países ninguém é jornalista sem faculdade.
    No Brasil qualquer um pode ser jornalista, se qualquer um pode não temos que reconhecer as associações deles.
    VERDEVALDO É CHAMADO DE JORNALISTA PORQUE POSSUÍA UM BLOGUE ENTÃO BEM VINDOS AO BLOQUE DO ROCHINHA, SÓ NÃO ME CHAMA DE JORNALISTA PORQUE NÃO SOU FAMOSO.
    Eu não tenho inveja do JIM, como a moçoila demonstrou, ele é mais corajoso que eu.
    PARABÉNS JIM..

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-