terça-feira, 18 de agosto de 2020

Petista questiona no STF privatizações sem aval do Congresso

Senador Jean Paul Prates (PT) quer impedir venda para a iniciativa privada de subsidiárias de estatais

Anderson Scardoelli

Demonstrando-se aliado ao formato de governo que de acordo com um comentarista da GloboNews proporcionava a presença da “corrupção glamourizada, o senador petista Jean Paul Prates (RN) recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir que subsidiárias de estatais possam ser vendidas à iniciativa privada.

Foto: Pedro França/Agência Senado

De acordo com o parlamentar petista, a venda de subsidiárias de empresas da União é uma “estratégia” do governo federal para seguir com privatizações sem ter os casos analisados pelo Congresso Nacional. Dessa forma, Prates deseja que os ministros do STF impeçam esse tipo de movimentação. Ou seja: o PT deseja que estatais, mesmo quando deficitárias, sigam tendo seus custos mantidos com dinheiro público.

“Precisa haver a participação dos representantes do povo”

Como exemplo, o senador pelo PT potiguar cita a Petrobras. Para ele, o atual governo federal quer mudar a missão da petrolífera. “A missão da Petrobras sempre foi abastecer o país de derivados de petróleo. Quando muda a missão da empresa, se ela é estatal, precisa haver a participação dos representantes do povo. É um aspecto de decisão nacional”, diz Prates, conforme informa a Agência Senado. Ele é presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Petrobras.

Cumprindo a ameaça
Com a movimentação feita por Jean Paul Prates, o PT demonstra o ímpeto de cumprir a ameaça feita na última semana. Isso porque o líder do partido na Câmara dos Deputados, Enio Verri (PR), afirmou que agiria de “forma radical” em oposição à possibilidade de privatização de quaisquer estatais. A ameaça do petista se deu dias após o presidente Jair Bolsonaro editar medida provisória que facilita a venda de subsidiárias da Caixa Econômica Federal, conforme noticiou Oeste.

Título e Texto: Anderson Scardoelli, revista Oeste, 17-8-2020, 18h49

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-