domingo, 29 de janeiro de 2017

[Aparecido rasga o verbo] Algumas coisas que nunca veremos

Aparecido Raimundo de Souza

1
Os netos dos filhos dos filhos dos filhos dos nossos filhos.

2
O Brasil fora do buraco negro em que se encontra metido até às pregas do rabo.

3
O povo com eficiência na segurança podendo andar pelas ruas sem medo de ser assaltado a qualquer momento.

4
Políticos honestos cumprindo seus mandatos sem roubarem dos menos favorecidos pela sorte e fazendo de besta a população que os elegeu.

5
Uma nação civilizada onde todos se entendam e convivam com urbanidade.

6
Justiça.

7
Dirigentes de igrejas (as mais diversas denominações) não metendo as mãos nos bolsos dos irmãos em nome de uma salvação que eles jamais poderão oferecer.

8
Idosos respeitados e todos os seus direitos garantidos.

9
Presídios de segurança máxima e cadeias de periferias transformadas em casas populares para “os baixa-renda”.

10
Trânsito das grandes metrópoles livres dos fantasmas dos engarrafamentos.

11
Mortos levantando de suas covas emputecidos para reclamarem com o administrador do cemitério em face de suas sepulturas violadas por um bando de desocupados.

12
A Paz e a Harmonia de mãos dadas no verdadeiro sentido da palavra.

13
O fim da impunidade, da pobreza e da injustiça.

14
Um punhado de ricos mofando nas portas dos hospitais.

15
O homem desembarcando de mala e cuia no planeta Sol.

16
Os viciados em drogas (as mais variadas espécies existentes) totalmente recuperados.

17
Céu sem poluição, ar puro, matas preservadas e rios não morrendo de sede.

18
A decadência dos poderosos e a solidificação da boa vontade entre as nações.

19
O grito final da hipocrisia e o fim da fome no mundo.

20
Roberto Carlos cantando Jesus Cristo metido num impecável terno preto com bolinhas da mesma cor.

21
O SUS Sistema Único de Saúde recuperado e fora de uma sala de UTI.

22
Os chamados “crimes perfeitos” desvendados e os seus culpados mofando nos xilindrós.

23
Brasília livre dos ratos de esgotos e outras pestes que infestam a capital do país.

24
Sapos virando príncipes encantados e as feinhas e desdentadas sendo desposadas por eles.

Ilustração: Juliana Montenegro

25
Donzelas presas em altas torres de castelos encantados e um bando de heróis de verdade aparecendo para salvá-las montado em lindos e vistosos puros-sangues.

26
As pessoas cuidando do planeta de maneira ecologicamente correta.

27
A floresta amazônica não sendo mais devastada.

28
O diabo chupando manga e comendo mariola pedindo clemência na porta do céu.

29
O fim do mundo e o começo de uma nova era para a humanidade.

30
Mulheres honestas.


AVISO AOS NAVEGANTES:
PARA LER E PENSAR, SE O FACEBOOK, CÃO QUE FUMA OU OUTRO SITE QUE REPUBLICA MEUS TEXTOS, POR QUALQUER MOTIVO QUE SEJA VIEREM A SER RETIRADOS DO AR, OU OS MEUS ESCRITOS APAGADOS E CENSURADOS PELAS REDES SOCIAIS, O PRESENTE ARTIGO SERÁ PANFLETADO E DISTRIBUÍDO NAS SINALEIRAS, ALÉM DE INCLUÍ-LO EM MEU PRÓXIMO LIVRO “LINHAS MALDITAS” VOLUME 3.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souzajornalista, Rio de Janeiro, 29-1-2017

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-