sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Muros? A Europa já gastou 500 milhões a construir os seus

Reuters/Visão

Donald Trump assinou o decreto para a construção do muro em toda a fronteira entre os EUA e o México. No Velho Continente, cresce a avalancha de críticas, indignação, estupor. Mas países europeus já construíram ou estão a erguer barreiras anti-imigração que representam 40% do muro sonhado pelo novo inquilino da Casa Branca

Foto: Edgard Garrido/Reuters
As contas são da agência Reuters e os cálculos foram feitos por baixo: em muros e cercas de arame anti-imigração, erguidos nas suas fronteiras, um número crescente de países europeus já gastou, pelo menos, 500 milhões de euros. Agora que Donald Trump assinou o decreto para a construção do muro em toda a fronteira entre os EUA e o México (o que levou o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, a suspender uma viagem oficial a Washington e a cancelar a reunião que tinha agendada com o homólogo americano), a indignação na Europa irá ao rubro. Mas, entre os muros de cá e o de lá, só há uma diferença: os dos países europeus são pagos pelos respetivos contribuintes; o projetado pelo presidente americano, diz o próprio, é para ser suportado... pelo México.

É de pressupor que Donald Trump olhará com inveja para a rapidez com que países europeus constroem os seus muros e cercas. São já cerca de 1 200 km de barreiras anti-imigrantes, que correspondem a quase 40% do muro que o presidente americano quer levar por diante.

Essas barreiras espalham-se por toda a geografia do Velho Continente: entre a Grécia e a Turquia; entre a Macedónia e a Grécia; entre a Eslovénia e a Croácia; na Hungria, nos seus vários limites fronteiriços; nos enclaves espanhóis em África; em França, no acesso à linha ferroviária do Eurotunel que conduz ao Reino Unido. E os países balcânicos já se preparam para construir os seus muros, caso a rota dos migrantes se altere e comece a passar por ali.

Que ilusão a de que o Muro de Berlim, derrubado em novembro de 1989, era o último a cair...
Título e Texto: Reuters/Revista VISÃO, 27-1-2017

Relacionados:

2 comentários:

  1. Os MUROS são privilégios dos latinos.
    Aqui temos vários tripulantes comentando, pergunta-se:
    Em quais países você viram mais condomínios sem muros?
    Eu vou exercitar minha memória.
    Estados Unidos
    Inglaterra
    Canadá
    Japão
    Aqui no Brasil até nas periferias existem muros altos e cercas eletrônicas.
    Talvez esse clima sem MURALHAS advenha do respeito à propriedade.
    Castelos tinham fosso e muralhas.
    Cada um defende suas fronteiras do alheio como pode.
    Eu moro numa prisão.

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-