segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Conferindo a Educação

Haroldo P. Barboza


Este texto não chega a ser um artigo. Está mais para um convite que faço aos companheiros Mestres (Municipais, Estaduais, Federais) desde o primário até o nível superior. Foi enviado primeiramente para os sindicatos específicos do Rio de Janeiro. Sob o título Qualidade da minha escola (a partir de MINHA sala de aula).

Passados cinco dias sem manifestação das entidades citadas, edito agora nas redes sociais, onde transitam muitos Professores não simpatizantes com seus sindicatos justamente pela falta de empenho destes na busca de processos que resgatem a dignidade das figuras mais importantes da sociedade. Professores apanham de alunos e as lideranças da classe fingem que a situação está normal e o fato é raro.

A ideia lançada é um desafio (processo) fácil de ser conduzido. A um custo baixíssimo e um prazo mínimo para ser concluído (imagino três meses). Se der certo, expandir aos demais Estados da federação. Nem precisa de sindicato. Basta um grupo de cinco ou dez abnegados que pretendam dar um basta neste cenário de degradação que mergulharam esta categoria desamparada (inclusive pela sociedade).

Elaborar uma enquete onde cada Professor (P) / funcionário de apoio (F) dará notas aos itens abaixo sugeridos (podem ser incluídos alguns que não me ocorreram).

Formato do formulário:
Nome da escola: ______    Bairro: _____   Esfera: (M / E / F) Votante: (P / F)
Nome (opcional): ______   Nota (1 = péssimo; 2 ... 3 ... 4 ... 5 (ótimo) ()

Itens do cardápio (sem ordem definida).

01 = Aspecto da edificação (calçamento plano, paredes pichadas, portão enferrujado, campainha inútil, nome da escola visível aos transeuntes, rampa para cadeirantes, holofotes, decoração, iluminação nos corredores, bebedouros).

02 = Sinalização (a partir da entrada, clara indicação da secretaria e demais cômodos, placas dos extintores, direção dos banheiros, placas nas portas das salas).

03 = Segurança geral (extintores no prazo, mangueiras sem furos, chaves de válvulas, telefones de emergência em destaque, “chuveiros” no teto, botão de alarme para evacuação, rotas de fuga, kit de primeiros socorros).

04 = Lanchonete / cozinha com higiene aceitável (ladrilhos sem gordura, latas de lixo em quantidade adequada, vitrines de alimentos, despensas adequadas para cada tipo de alimento, merenda dos alunos, tabela de preços visível).

05 = Sala de Professores / reunião (equipamentos para palestras diversas com a Diretoria + material de secretaria disponível para dar cobertura a este compartimento).

06 = Banheiros adultos / crianças (iluminação, torneiras, papel toalha, lixeiras, sabão, papel higiênico, espelho, ventilação, vasos limpos, assentos, ralos)

Mais focado dentro da sala de aula.

07 = Quantidade adequada de alunos x quantidade de assentos.

08 = Iluminação adequada + tomadas elétricas.

09 = Refrigeração local.

10 = Aspecto da sala (paredes com mofo ou rachadura, goteiras, janelas danificadas, portas empenadas, piso danificado. acústica).

Certamente existem mais dez itens merecedores de registro. Fica por conta do grupo que pretende (?) divulgar a pesquisa em seu site/blog/página do face/grupo WA. Bem como distribuir em papel nas portas das escolas.

Creio que não estou sonhando com uma escola padrão europeu. Relato apenas o mínimo desejável para a condução (com qualidade razoável) de uma atividade fundamental para a sociedade e o futuro deste país que caminha para a “solidificação” (?) no meio do pântano da degradação moral.

Uma grande demonstração de apreço pela classe que está no topo da importância para a sociedade seria a criação de um APP (smartfone) específico para este projeto. Ele seria ativado a cada 6 meses, tanto para efetuar periodicamente a coleta como para elogiar a administração que efetivamente contornasse os problemas cruciais evidenciados pela pesquisa.

A simples coleta e tabulação das questões aqui levantadas e encaminhadas à administração central não surtirá o efeito desejado por duas questões simples:

1 – Resolver os problemas exibidos, investimentos serão necessários, provocando menor sobra para os tradicionais desvios de verbas.

2 – Tornar escolas funcionalmente adequadas atrairá alunos interessados nos trabalhos com qualidade aprimorada pelos dedicados Mestres. Isto coloca em risco a estrutura do “podre poder”.

Com certeza os secretários e correlatos do setor, rapidamente vão gerar um show “cultural” rebolativo na praia para colocar a questão principal em quinto plano.

Portanto, o maior trabalho virá depois deste processo sugerido. A PRESSÃO que os interessados terão de manter (é para isto que as mídias face e smart devem ser usadas) regularmente sobre os mandatários que se acomodam em suas suítes governamentais projetando novas medidas para aumento de suas “comissões” nos próximos contratos lesivos ao país.
Título, Imagem e Texto: Haroldo P. Barboza, Rio de Janeiro, 24-9-2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-