quinta-feira, 19 de setembro de 2019

[Atualidade em xeque] O preço da liberdade é a eterna vigilância

José Manuel

Certamente, Thomas Jefferson quando escreveu esta frase também queria se referir ao nosso bem-estar, pois a plena liberdade é que nos traz essa sensação maravilhosa do bem-estar.

Há duas semanas escrevi um texto sobre a equivalência em termos prioritários da relação APRUS/SNA/ACP.

Ao findar destes dias e pelo que tenho lido nas redes sociais, a impressão que tenho é a de que para me fazer entender terei que desenhar em caracteres googlelíticos para que isso seja compreendido.

Mas, como não me dou por vencido e tentando resumir, passo a descrever novamente essa, ao mesmo tempo ambivalente e confusa questão.

Como conselheiro da APRUS, gostaria que entendessem que todos nós na associação, temos a clareza de saber que a ACP pertence tão somente à AAPT, bem como ao SNA. E somente essas duas agremiações podem ter acesso, dentro do judiciário, ao desenrolar dessa propositura. Aliás, diga-se de passagem, vem sendo conduzida pelo escritório Castagna Maia, em Brasília, de forma exemplar.

Acontece, que tudo que se passa no âmbito do AERUS, também diz respeito a todos os associados da APRUS, pois ao ser uma associação representativa, faz-se necessário que ela seja exatamente o "ente" fiscalizador do "ente" pagador, a fim de que não restem dúvidas a seus associados aposentados e "ativos" de tudo que ocorre no e para com o AERUS.

Assim é, que por duas vezes a APRUS agiu com a energia que lhe é concedida, junto ao órgão de previdência privada governamental  (Previc), para afastar dois interventores/liquidantes, que não estavam desempenhando corretamente o seu papel. Para isso, se valeu de sua importância reconhecida pela autarquia reguladora e fez valer as denúncias apresentadas.

A APRUS não deseja, nem de longe, interferir em absolutamente nada com relação à ACP, o que já não é a mesma coisa com relação à DT, pois vai fazer valer o compromisso acordado entre VARIG, AERUS E UNIÃO.

Neste momento triste por que passamos, com relação ao descumprimento irresponsável pela AGU de uma liminar em validade, a APRUS, mais uma vez se coloca em estado de atenção enquanto durar o tempo de decisão do Desembargador responsável pela tutela, pois isso diz também respeito a todos os seus associados/beneficiários do AERUS e seu possível desenrolar futuro.

Portanto, quando o Presidente associativo Thomaz Raposo escrever algo sobre o que se passa com o AERUS, não se deve duvidar de sua palavra, muito menos usar expressões chulas não compatíveis socialmente, apenas por não terem simpatia por um senhor de quase 80 anos, que passa por momentos dificílimos em sua família, mas em nenhum momento deixa de lutar pela causa e por todos, associados ou não.

É bom lembrar de que todo ataque pessoal ao Presidente da associação que nos representa, é considerado por todos nós associados, como um ataque pessoal contra a nossa dignidade.
Título e Texto: José Manuel - membro do conselho da APRUS, 19-9-2019

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-