domingo, 19 de abril de 2020

Uso precoce de hidroxicloroquina reduz internações em 65%

Dados provenientes da Prevent Senior, rede de saúde que teve um dos hospitais com maior taxa de mortalidade por coronavírus em São Paulo, mostram mais uma vez efetividade do medicamento

Roberta Ramos

Assim que os primeiros casos de coronavírus desembarcaram no Brasil, hospitais da Prevent Senior em São Paulo passaram a ser alvo de desconfiança. Isso porque, por se tratar de um plano de saúde voltado especificamente para idosos, muitos pacientes que lá chegaram com covid-19 acabaram não resistindo e 59% das mortes na capital paulista naqueles dias ocorreram em unidades da rede.

Depois desse registro e de ter dois médicos infectados, a Prevent optou por escolher um caminho que considerou seguro: passou a oferecer terapia precoce com hidroxicloroquina associada ao antibiótico azitromicina logo que os pacientes davam entrada em suas unidades de saúde. O tratamento foi oferecido a 636 pacientes, dos quais 412 (64,7%) aceitaram receber o remédio contra 224 (35,3%) que não quiseram.


Os resultados mostram a efetividade da terapia: dos pacientes que se dispuseram a ser tratados com o combo, apenas 1,9%  deles tiveram de ser internados, em comparação com 5,4% dos que não foram medicados. Em um momento em que as autoridades brasileiras obrigam a população a ficar confinada sob ameaça de falta de leitos nos hospitais, fica cada vez mais clara a necessidade da utilização de medicamentos como esses para evitar internações e pioras desnecessárias.
Título e Texto: Roberta Ramos, Revista Oeste, 18-4-2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-