sábado, 11 de novembro de 2017

Contos moucos dos loucos (XXXI) – Belo adormecido

Estava frio, muito frio. Serviu-se de mais uma dose de cognac Courvoisier. Já ia na terceira dose. Voltou ao sofá, ajeitou a manta e continuou assistindo ao filme de Glauber Rocha “O leão das sete cabeças”. Tentava assistir, prestigiando a figuração no filme de um véio amigo. A ruindade do filme junto com o cognac fizeram efeito: adormeceu. Profundamente. E dormiu muito. Tanto, mas tanto, que acordou na... primavera!

Anteriores:

Um comentário:

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-