segunda-feira, 25 de maio de 2020

Coronavírus: vacina deve ficar pronta em setembro

Segundo a empresa farmacêutica que está desenvolvendo o imunizante no Reino Unido, o próximo passo será distribuí-lo em massa

Cristyan Costa

O CEO do conglomerado farmacêutico AstraZeneca, Pascal Soriot, garantiu ontem que os britânicos devem ter acesso à vacina contra o vírus chinês em setembro deste ano.

Foto: Divulgação

A empresa, cuja sede é em Cambridge, firmou parceria com a Universidade de Oxford em março. Portanto, o objetivo é desenvolver um imunizante capaz de derrotar o patógeno.

Sendo assim, uma vez comprovada a eficácia do remédio, o desafio será produzi-lo em larga escala.
“Recebemos um pedido do governo britânico para oferecer 100 milhões de doses”, afirmou Pascal em entrevista à rádio BBC. “A vacina tem que funcionar. Se funciona, teremos que demonstrar isso”.

Estudos avançados
Conforme noticiou Oeste, pesquisadores da Universidade de Oxford garantiram que, até agosto deste ano, os testes clínicos para a vacina estarão concluídos.

Em abril, 1,1 mil pessoas se voluntariaram para receber uma dosagem do imunizante.

Chamado de ChAdOx1 nCoV-19, o protótipo é a combinação do adenovírus de chimpanzé e do material genético de uma proteína encontrada na superfície do coronavírus — usada para infectar células humanas.

No começo deste mês, seis macacos expostos ao patógeno foram vacinados. E, vinte e oito dias depois, estavam curados.
Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 25-5-2020, 6h39

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-