sábado, 30 de maio de 2020

O presidente Bolsonaro não é santo milagreiro

José Batista Pinheiro

O presidente Bolsonaro compareceu ao STF, procurou o presidente da Corte Suprema e desabafou:

“Entrei com muito entusiasmo na campanha para presidente da República, apertei as mãos de muita gente, prometi consertar o país com medidas corretivas e plausíveis na condução do meu governo, caso fosse eleito. Por causa disso sofri um atentado que quase tirou a minha vida.


Mesmo assim, fui em frente e tive muita alegria em ser eleito o maior mandatário deste belo e rico Brasil que eu tanto amo. Abdiquei do meu mandato de deputado federal que tanto me deu prazer, onde construí a minha vida, da minha família e o meu bem-estar.

Eleito presidente, escolhi o que eu achei de melhor para montar uma equipe de ministros e outros colaboradores, visando equacionar os problemas de toda ordem que estavam atrapalhando e travando o desenvolvimento da nação brasileira.

Infelizmente, acabei sendo travado e sabotado pelo Congresso Nacional, por essa Corte Suprema, pela Rede Globo e a imprensa em geral. Até aí, ainda dava para continuar na luta, mas com a chegada da Covid-19, foi demais.

Não sou santo milagreiro, acabei de fechar o Palácio do Planalto, onde eu trabalhava, e entrego as chaves para Vossa Excelência entregá-las a quem achar por ‘direito’ que deva dirigir esta nação”.

Montado esse teatrinho, vamos analisar a realidade do nosso Brasil.

Com as condições atuais, o Brasil está ingovernável. Admiramos a coragem do capitão Presidente por não esmorecer ao ataque voraz das hienas que insistem em liquidá-lo, juntamente com a sua família.

Não bastasse o ataque a faca de um desalmado criminoso que quase o matou na fase da campanha eleitoral, as feras da corrupção e da inveja querem o seu corpo cremado na pira da imundice que tanto caracterizou os governantes de passado recente.

O ataque surge de todos os lados aproveitando, covardemente, um momento de exceção que se abate em todos os países da terra com um vírus letal que não se sabe de onde veio, mas que assusta e leva ao caos a população mundial.

Somos um país rico, de povo trabalhador e ordeiro que deseja de todas as formas sobreviver a qualquer calamidade. Mas o que se vê é justamente o contrário. Os poderosos de todos os segmentos que poderiam ajudar, são os primeiros, com tochas na mão, a querer incendiar o circo.

Se não houver união e bom senso, nenhum santo milagreiro salvará o nossos país. E quando os acontecimentos começarem a desabar em cascata somente o poder das armas prevalecerá. E aí, salve-se quem puder, a terceira guerra mundial estará começando em nosso solo.
Título e Texto: José Batista Pinheiro, Cel EB Ref, 26-5-2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-