segunda-feira, 2 de março de 2020

C…lho! Inacreditável o ponto a que chegou GRANDE parte da (ainda) chamada imprensa brasileira!

Em dezembro do ano passado estive no Rio de Janeiro e, como sempre, comprei as quatro revistas semanais: VEJA, IstoÉ, Época e Carta Capital. Sim, é compra de masoquista, eu sei. Mas, de quando em vez, é bom ler, à maneira antiquada, estas “revistas semanais”.

Fiquei aparvalhado quando vi a capa da IstoÉ [abaixo] e, mais ainda, quando li as suas páginas. Aquilo não é jornalismo, nem aqui nem na ponta de um cacete!



Durante algum tempo, mantive essa bosta perto, com a intenção de editar uma postagem dividindo com os generosos leitores a minha perplexidade e indignação com tamanho lixo. Mas, a preguiça e a incompetência venceram.

Há algumas horas vi, ou melhor, chegou até a mim, uma publicação de uma pessoa (uma mulher) reproduzindo, com evidente alegria, o tuíte que verão abaixo. Achei que era uma montagem, uma dentre as milhares que pululam para atacar e ofender o presidente Jair Bolsonaro. Não, não era.


Nota: Quando esclareci acima que a publicação tinha chegado de um perfil feminino, fi-lo porque qui-lo. Só para lembrar aos generosos leitores como as ‘feministas’ de ocasião – contra Bolsonaro – são hipócritas, desonestas e, definitivamente, sem causa! Nem coisa!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-