terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Por que a narrativa de que “a islamofobia da Europa causa o terrorismo” é mentira deslavada?

Luciano Ayan

Como sempre, a conversinha padrão retornou à baila: “a culpa é da islamofobia do Ocidente”.

O papo é o seguinte: “O país (x) é atacado por que é islamofóbico. Se não fosse não seria atacado.”

Pura retórica circular, da qual temos um exemplo abaixo. A retórica abaixo foi feita para a França, mas já está sendo replicada para explicar o ataque em Berlim:



Porém, bastaria ler o livro “Dying to Win”, de Robert Pape, para sabe que a tal “islamofobia” não existe, e não tem nada a ver com atentados terroristas. Na verdade, o terrorismo sempre foi um método de luta pelo poder para grupos revolucionários. Só isso.

Ademais, se essa narrativa fosse verdadeira, não teríamos tantos atentados terroristas cometidos em solo islâmico. Como se vê, a motivação não tem nada a ver com discordância em relação ao islamismo.

Marcus Vinicius Motta corretamente escreve: ”Obrigar os outros, através da culpa, a amar e tolerar quem os odeia é a obra mais macabra da esquerda.”

O que temos aqui no Ocidente é tolerância excessiva ao terrorismo islâmico e, por isso, os ataques estão aumentando. França e Alemanha são os países que mais abriram as pernas ao islamismo e que mais censuraram seus críticos. O resultado está aí.
Título, Imagem e Texto: Luciano Ayan, Ceticismo Político, 20-12-2016
Marcação: JP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-