segunda-feira, 23 de abril de 2018

Damas de Branco são presas em Cuba

Mesmo após eleição de novo presidente (ditador), repressão na ilha continua

Pelo menos nove integrantes do grupo opositor Damas de Branco foram presas em Cuba e impedidas de realizar sua tradicional marcha para a libertação de presos políticos. Entre as detidas está Berta Soler, líder do movimento que luta pela mudança do regime totalitário na ilha.

Damas de Branco durante manifestação em Havana em 2016. Foto: Adalberto Roque/AFP
A prisão acontece menos de uma semana após a eleição do novo presidente (ditador) da ilha, Miguel Díaz-Canel. Membro do Partido Comunista, o engenheiro substitui Raúl Castro, de 86 anos, que deixou o cargo após dois mandatos.

Segundo afirmou o marido de Berta, o ex-prisioneiro político Ángel Moya, ao jornal local Diário de Cuba, as integrantes do grupo foram presas ao sair da sede da organização para seus tradicionais protestos de domingo. Apenas cinco das Damas de Branco conseguiram sair à rua e ir à missa para se manifestar.
Título e Texto: VEJA, 22-4-2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-