sexta-feira, 26 de abril de 2019

[Pernoitar, comer e beber fora] Hotel Mercure, na Batalha, Porto

Mercure Porto Centro Hotel fica na Praça da Batalha. Ótima localização.


Tem estacionamento? Quer dizer, tem uma garagem lá na ruazinha, adaptada para o efeito, a garagem, não a ruazinha. Mas, pay attention! você deve reservar.

Não reservei, mas, por sorte minha, a maioria dos hóspedes que lá estava alojada era pobretona, pois lá chegaram de táxi ou de uber, depois de alcançarem a cidade do Porto by train or airplane. 😄😄

Depois de passar umas quinze vezes em frente ao hotel procurando o “estacionamento” resolvi parar “à Porto” (e eu que achava que o lisboeta parava de qualquer jeito...) em frente ao Hotel. Foi aí, então, que ‘obtive’ as informações acima descritas. E, portanto, o carrinho ficou hospedado. 15 dinheirinhos a diária!

A garagem deve ter espaço para não mais de vinte carros. Portanto, quem lá chegar de automóvel, olho vivo!

Bom, deixando a garagem e indo para a recepção. Muito bem recebidos, envelope já pronto (havia feito previamente o check-in online), com duas ‘chaves’, mapinha da cidade, voucher para drinks de boas-vindas.

E um detalhe que me surpreendeu positivamente: o senhor, com um sotaque ‘tripeiro’ bem acentuado, um “bell-captain”, profissional que eu não via há muitos e muitos anos, levando a nossa bagagem até ao quarto, ligando o ar-condicionado e nos ensinando como funcionava a ‘chave’ (cartão), as luzes e a TV... ganhou 5 dinheirinhos! (Ainda bem que eu os tinha!)

O quarto é confortável, o televisor de bom tamanho e funcionando perfeitamente.

Uma garrafa de vidro de água mineral Luso e dois copos, em cima da mesa.


O banheiro não ganha 5 ✮ porque tem banheira e aquele vidro acrílico em metade da banheira, e aí é aquela inundação, sô!


Excelentes amenities.

O café da manhã, muito bom! Talvez uma ou duas décimas superior ao do Hotel Premium Chaves – Aquae Flaviae, também muito bom.


Recomendado, com certeza!

Vistas do hotel:

Estação ferroviária de São Bento


Agora, finalizo narrando um “detalhe” que me amarrou de vez ao grupo Accor Hotels: nas minhas idas ao Rio de Janeiro, com uma única exceção, sempre fico no ibis. Portanto, cliente fiel. Qual não foi a nossa surpresa quando chegamos ao quarto, por volta das 19h, voltando do passeio, e encontramos isto:




Dois pratinhos e guardanapos, duas doses de vinho do Porto, uma geleia e um cartão com uma mensagem manuscrita.

Ao fazer o check out, levava anotado duas águas consumidas do frigobar. “Cortesia”, disse a funcionária, sorrindo. Deduzi que o consumo do frigobar é uma cortesia do hotel.

Anteriores:

Um comentário:

  1. Generoso leitor, olha só, por favor, não se avexe em nos enviar a sua colaboração. Não importa a latitude ou a longitude do local que você pode nos privilegiar com a sua opinião, mande para: caoquefuma@gmail.com
    Muito obrigado!

    ResponderExcluir

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-