sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Origem


Foi motivado por um pensamento sobre a diversidade da população mundial, atualmente contada aos bilhões, seja no que se refere a idioma, cor da pele, estatura, cultura e ideologia, seja no tocante a outros pontos de distinção que, se enumerados, devem chegar a várias centenas, que resolvi escrever esse texto.

Logo concluí que a inquestionável maioria das pessoas prefere passar pela vida anonimamente, de forma pacífica, ordeira, cuidando da própria vida, de modo a sequer serem notadas. Outras, com suas atitudes, fazem de tudo para serem vistas, notadas, na maioria das vezes de modo até deselegante.

Os raros que, por sua inteligência, se destacam entre os bilhões, conseguem criar algo que beneficiará ou alegrará a todos os outros por décadas ou séculos, como Einstein, Thomas Edison, Beethoven, Mozart, Santos Dumont, Sabin e, atualmente, Bill Gates. E outros, por sorte muito raros, conseguem prejudicar milhões, como Hitler.

Raros também são os que, mesmo cuidando da própria vida, deixam marcas que serão lembradas por gerações. São aqueles que estiveram mais próximos de nossas vidas e que as marcaram de tal forma que deixaram exemplos a serem seguidos, e que nos provocam um enorme sentimento de saudades.

Independentes e responsáveis, ainda cedo já demonstram e assumem essas características, tanto no trabalho quanto em família, e mesmo com essa responsabilidade costumam ser geniais, fazer coisas muito modernas, ainda pouco usadas em sua época, e que anos depois normalmente se tornam comuns, mas não o eram em sua época, quando assim fizeram.

Valentes, não fogem de desafios colocados à sua frente e os encaram com todo o empenho necessário, como mais um desafio a ser vencido, o que os estimula inclusive a buscar novos desafios e também superá-los.

Amigos, estão sempre prontos a participar das alegrias e das tristezas de seu próximo, seja um membro da família ou um desconhecido, fazendo e distribuindo o bem por onde quer que passem, mesmo que num primeiro momento isso não seja sequer percebido.

Leais, defendem a todo custo os seus ideais e os do grupo que deles comunga, mesmo que, contrariando muitos interesses, isso lhes custe a vida.

Donos de um coração enorme, não aceitam injustiças, principalmente contra indefesos, e delas retiram ideias que os fazem buscar soluções que, baseadas naquele exemplo e na saída encontrada, continuem beneficiando muitos, e por décadas.

Objetivos, com um simples olhar por onde passam já percebem os erros e os acertos e, ao mesmo tempo em que elogiam os acertos, cobram energicamente soluções para os erros, normalmente deixando incrédulos quem lá estava e não conseguia ver.

Local ou época em que estivermos não mudam a reação das pessoas que os conheceram, que reagem com alegria expressa na face quando citamos seu nome, e as portas imediatamente se abrem, independentemente da distância que estivermos de onde elas viveram, pois sempre encontraremos amigos ou conhecidos comuns.

Exigentes, sempre cobram de seus próximos a retidão moral e ética que possuem, não se conformando com desvios nessa área, por menores que sejam.

As raízes muito sólidas de honestidade, caráter, trabalho e amor ao próximo, criadas durante suas vidas, os tornam assim, essas pessoas fantásticas, que a tantos encantam e em milhares deixam saudades.

Ligando todos esses fatos, me lembro que são raros os que possuíram o privilégio de ter convivido com alguém assim, como eu tive, e que mesmo sendo por pouco mais de uma década, convivi com aquele que me originou, que já se foi há quarenta e cinco anos e ainda tanta falta faz e do qual tanto me orgulho, meu pai.
Título, Imagem e Texto: João Bosco Leal, 31-12-2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-