sexta-feira, 27 de abril de 2018

[Aparecido rasga o verbo] Enquanto isso, no “Castelo da Dinamarca”, os exemplos anômalos brotam, a cada minuto, como vermes de esgoto

Aparecido Raimundo de Souza

INTERESSANTE COMO AS COISAS FUNCIONAM por aqui, terrinha de vadios, espertalhões e malfeitores os mais diversificados tipos. Ou melhor, caros leitores, as coisas não funcionam. Desde o descobrimento, quando aquele imediato e ilustre desconhecido da expedição de Cabral gritou “terra à vista”, nada mais deslanchou. Está tudo emperrado. Dominado. Os senhores, por acaso, imaginam quantos presos temos espalhados brazzil (brazzil escrito assim mesmo, e em minúsculo) afora? Quantos pais de família, “larápios, pés rapados” que roubaram (o certo seria furtaram), um pão para matar a fome de seus filhos apodrecem nas masmorras, como animais? Com certeza, muitos!

A conta de toda essa galera é imensa. Infindável. Maior que a do maldito rombo (ou RAMBO) da previdência, “mais maior ainda”, que o assalto da Petrobosta (perdão, Petrobrás) e outras dilapidações cometidas por baixo dos panos, que não vêm à tona.  Por essa republiqueta de vigaristas, só vem a público, o que de fato interessa.  Bem entendido. A ELES. O resto... ki... ki... ki... ki... ki... ki... fica guardado a sete chaves pelos suntuosos e majestosos palácios... às margens do manhoso e insondável Laguinho Paranoá.

Observem que fizemos referência, logo de início, nos reportando aos ladrões de verdade. Aqueles calhordas de terninhos impecáveis e sapatinhos de marca que abundam na Câmara, no Senado, e outras estrebarias existentes no Grande Penico de merda. Para quem ainda não sabe, ou desconhece, o grande penico de bosta, desculpem, de merda, não é outro senão b r a s í l i a. Escrito assim mesmo, em minúsculo. brasília. Pois bem!

Temos uma horda, de larápios que subtraem pães, e uma chusma de ladrões que roubam dos nossos bolsos e não vão presos. Esses miseráveis desfrutam de um ordenado excelente, têm nome, fama, e pior, FORO PRIVILEGIADO. Estão, portanto, acima da “JUSTISSA”. Essa é a diferença primordial entre os larápios e os ladrões. Larápios, portanto, repassando, são os pais de família abestalhados que roubam para manter suas famílias longe da fome negra. Para eles, a JUSTIÇA é séria e desumanamente pesada.

Em oposto, para os ladrões, ou aqueles pilantras safados que metem as mãos em nossos bolsos, sem o uso de armas de fogo, ou o vigor das ameaças, conhecemos por PARLAMENTARES. Dito de forma mais corriqueira: nossos respeitados representantes.  Para esses, os intocáveis, a paulada não é forte, é branda, é suave, e “in”-certeira. “Incerteiro ou incerteira” é tudo aquilo que não é certeiro, ou como diria Fernandinho Pó Collor de Melo Melado. “Incerteiro nada mais é que uma corruptela de duvidoso, ou dito de forma mais objetiva, impreciso, anfigúrico, vago, pela metade”.

Logo, as penas da Lei emanam da “JUSTISSA”. Uma indagação toma vida e forma: e os boçais que saem às ruas de armas em punho, que ferem nossos brios e cagam em nossa dignidade? Como seriam esses meliantes classificados? Esses, caros leitores, seriam os verdadeiros ASSALTANTES. Para eles, repetindo, o apreço da temerária J U S T I Ç A é realmente temerária e cai matando. 

Em resumo, queremos deixar claro, que os ladrões de colarinho branco, os nossos ladrões do grande penico de merda, servem apenas para pularem em nossas jugulares e beber o nosso precioso sangue. Mamar. Essas desgraças do Senado, esses vermes da Câmara e outras pocilgas, gostam de mamar. Mamar, caríssimos, se traduz também, segundo Danilo Gentili, citado por Rafinha Bastos, por sugar, lactar, embebedar, lograr, e, de modo bem povão e esdrúxulo, chupar, extorquir, velhacar, BOQUETEAR.

Sintetizando essa balela toda, os senhores já ouviram falar que uma Comissão de Direitos Humanos se propôs a visitar presinhos pobres e fodidos em cadeia de periferia? A visitar hospitais? A chegar sem aviso nas farmácias do governinho pilantra? Notem, todavia, que essa mesma Comissão foi visitar o senhor Lula na cadeia. Imaginem amados. Esse patife deve estar sofrendo horrores, enjaulado. Seus ilustres defensores deveriam, sem mais delongas, ter arranjado uma doencinha pré-fabricada, tipo câncer, próstata, rins, pulmão, enfim, uma válvula de escape para mandá-lo para um bom hospital. De rico, diga-se de passagem.

SUS jamais. Queremos deixar registrado, para os doutos defensores do “EX”, o seguinte: está muito em voga, o câncer e a próstata. Doenças do momento. TOP 10. É tiro e queda. Não sabemos o verdadeiro motivo de até agora, o senhor Lula não ter se curvado a uma dessas pragas daninhas... certamente nessa altura do campeonato, o dezenove dedos estaria em casa, podendo receber em seu “lar, doce lar”, do Minha Casa, minha vida, em seu Tríplex de Guarujá, ou no Sítio de Atibaia, a Comissão dos Direitos Humanos do Senado, da Câmara, e outras e outras mais, para verificarem, acima de tudo, se as instalações da “cela especial” do Mula está bem limpinha e cheirosa. Para isso, caros leitores, serve essa COMISSÃO ou ESSAS COMISSÕES DE DIREITOS HUMANOS.

Se presta no mesmo saco de mafagafos e mafagafinhos, a dita, para averiguar se a grana (e bota grana nisso) que está sendo paga pelo governo federal está sendo bem usada (e não desviada) para manter o petista preso e longe dos tirinhos na frota de ônibus de sua próspera e venturosa caravana.  Enquanto isso, os hospitais da rede pública do Oiapoque ao Chuí morrem falecem perdem a respeitabilidade, o brio, a autoridade, em vista dos monturos de lixo, como vimos no “Bom Dia Brasil” desta sexta-feira. Enquanto isso, também as pessoas sem recursos que dependem das farmácias do (Des) governo, para pegarem, de graça, remédios que custam, em média, doze, quinze, vinte, cinquenta mil reais, ou mais, ficam a VER NAVIOS.

Entretanto, esses problemas que se explodam. O que não podemos permitir, jamais, é que a amiga Dilma, o “cumpadi Ciro”, o Palocci, a Gleisi Hoffmann, o Roberto Carlos, o Caetano Veloso, o Pablo Vittar, o Chico Buarque, além dos baderneiros do PT (ora em carreatas, onibatas, ora em avionatas e patinetas), da amante, dos filhos, netos, bisnetos e, em especial, do ganhador do premio Nobel, o escritor Adolfo Perez Esquivel, e claro, outros protegidos, favorecidos, prediletos, e cheira colhões de plantão (como o Papai Noel atrasado Leonardo Biff, desculpem, Boff sentado como um panaca encostado aqui no prédio da PF), apareçam para se solidarizarem ao nosso “Onrado EX” e o peguem em estado de miserabilidade. 

Não ficará bem, os senhores deverão concordar. Não pegará bem, para o “brazzil”, essas celebridades importantes pintarem inesperadamente aqui na Polícia Federal e flagrarem o nosso “Ex-presidente”, seviciado, torturado, sofrendo na carne maus tratos, e o mais degradante: de calças curtas e as cuecas cheirando a mijo. O povo, a ralé, os lixos hospitalares, os remédios indispensáveis para a população carente, que TUDO MAIS VÁ PARA OS QUINTOS DO INFERNO.  

Esperamos que um dia essa mesma Comissão de Direitos Humanos “apareça” em público, mostre a cara, a face, se fazendo presente não só para o cachaceiro de São Bernardo, como para outros presos que morrem nos presídios todos os dias. Para cobrar a segurança no Rio de Janeiro e em outros estados da “Fuderação”, para cobrar das autoridades as mortes da vereadora Marielle Franco e seu motorista Anderson Pedro Gomes que até hoje...  ninguém sabe quem foi. No mesmo fluxo, que essa Comissão de safados se engrandeça em favor dos fracos e oprimidos, para os desprovidos dos vapores da sorte. Para os desvalidos, para os sem teto, para os sem tríplex e sítios milionários. Para os que, de alguma forma, direta ou indiretamente mofam nas ruas, óbtam aos poucos, nas praças e avenidas.

Por conclusão, que essa galera brilhe, de alguma forma eficaz, para outros milhares e milhões que se fodem, sem que ninguém dessa avacalhada Comissão de Direitos Humanos faça alguma coisa, a não ser POLÍTICA PARA APARECER BONITA NAS FOTOS. Toda essa conversa fiada se afina ao seguinte diapasão. Lula é o embaraço de muita gente, o atoleiro de muitos “companheiros”, a obstrução, o empecilho, a contrariedade de Temer e outros fichas sujas que gravitam em torno do Enorme Avião Pousado.  

Se ele, Lula, ficar fula, virar mula e vomitar o que sabe... Sérgio Moro não parará mais de trabalhar. Coitado do magistrado! Mesma canoa furada, Lula Gula da Sula Silva é o despenhadeiro, a cova, o covil, o precipício imensurável, a ponte, a passagem, entre o brazzil sair do meio do estrume ou continuar atolado, até as pregas de seu traseiro imundo se rebentarem nessa estapafúrdica torre de babel onde ninguém se entende e todos, todos, sem exceção, só perseguem um objetivo:  o CAOS TOTAL.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, da Rua Professora Sandália Monzon, em frente ao prédio mais vigiado do brazzil (o Big Brother Brazzil 18 e meio, ou o edifício-sede do Departamento da Polícia Federal, no calmo e tranquilo Bairro de Santa Cândida), em Curitiba, no Paraná. 27-4-2018

Colunas anteriores:

Um comentário:

  1. Uma vez mais... é a triste realidade do "brazzil". A população à mercê de hipócritas e meliantes travestidos de políticos.
    Mandou bem irmão ... espero que nós (enquanto população brasileira), também possamos fazer o CERTO. As eleições estão às portas... Hora de da o troco...

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-