sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Vigilância neles!

Haroldo P. Barboza

Depois que os PROCON foram criados, diversas pessoas que antes não tinham um ombro para chorar, passaram a contar com uma ajuda, ainda que tímida. Este organismo ainda carece de uma campanha mais frequente de propaganda e de uma estrutura maior para atender aos casos em que os gananciosos pretendem engolir suas presas desprevenidas.

Aproveitando carona nesta ideia, alguns jornalistas e advogados não comprometidos com o sistema corrupto que comanda o rumo de nossa pátria, poderiam criar um PROELEN (PROteção ao ELeitor ENganado (site e/ou APP). Proibido de ser composto por qualquer político, mesmo não exercendo o cargo no momento, com duas missões básicas:


1) acompanhar trimestralmente as ações de cada legislador (de Vereador a Senador) no sentido de verificar se ele está executando as tarefas que prometeu durante a campanha eleitoral. Cada vez que ele deixasse de atuar na defesa dos programas sociais em benefício de grupos poderosos, seu arquivo seria atualizado num BD (Banco de Dados) magnético criado para este fim. Também seria elogiado quando merecesse. Com a alimentação regular dos eleitores atentos, estaríamos criando a “ficha corrida virtual” de cada representante do povo. A ser exibida com ênfase às vésperas de cada eleição.

2) Acompanhar semestralmente os sinais de enriquecimento de cada um destes elementos (bem como de parentes próximos) para verificar se sua renda mensal lhe dá esta condição.

Tendo este arquivo atualizado com notas (1 a 9) pelos comportamentos praticados e disponíveis num site de domínio público, cada eleitor (e qualquer membro da mídia a pedido de seus leitores/ouvintes) poderia acompanhar a vida profissional da pessoa em quem ele confiou os destinos de sua comunidade. Ao final de cada semestre, o PROELEN divulgaria na mídia de grande penetração a relação dos quatro melhores e dos quatro piores (um político com notas baixas, obteria alguns créditos se apresentasse delação premiada sobre maracutaias de outro colega da “casa”) elementos de cada município/estado. Com isto, estaria sendo desenvolvido o processo de eliminação da doença do "esquecimento" que contamina nosso povo há dezenas de anos. Seria o primeiro passo para a prática da cidadania plena.

Nota: esta ONG não poderia receber contribuição governamental para não ficar comprometida com nenhum partido político. E ao receber ajuda de alguma grande empresa, deverá divulgar tal fato de imediato.

Está lançada a ideia. Aguardamos que os patriotas com alguma disponibilidade de tempo, com alguma estrutura já montada e que perdem (por falta de registro) suas promissoras ideias em churrascos regulares, alimentem este sonho. Parece utópico? Então é viável. Examinem a viabilidade legal da implantação desta entidade e mãos à obra. Depois é só convocar os adeptos. Devemos atingir a 98 % dos eleitores (temos de descontar as raposas que dirigem o atual modelo).
Título, Imagem e Texto: Haroldo P. Barboza, Rio de Janeiro, 21-9-2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-