terça-feira, 20 de novembro de 2018

[Coluna do Almir] A verdadeira reforma da Previdência

Almir Papalardo

Digníssimo Presidente do Brasil, Senhor Jair Messias Bolsonaro:

Na atual conjuntura, quando o país sente a necessidade de reformar a sua Previdência Social, peço vênia para me dirigir, mais uma vez, a Vossa Excelência, em nome também de mais de oito milhões e meio de aposentados discriminados da iniciativa privada.

Pelo amor de Deus, não permita mais que o projeto do senador Paulo Paim que garante a trinta milhões de aposentados o mesmo índice de correção dado ao salário mínimo permaneça escondido criando teias de aranha, no fundo das gavetas da Câmara dos Deputados. Inclua-o prioritariamente na Reforma da Previdência, extirpando, como um cirurgião habilidoso, um tumor maligno que tanto dano provoca em milhões e milhões de indefesos e esquecidos segurados do INSS!

O Senado Federal já fez a sua parte aprovando este Projeto de número 01/2007 (percentual único de correção para todas as aposentadorias). No caso, manda a lógica, o bom senso e a honestidade que o primeiro retoque na Previdência a ser feito, seria a anulação deste terrível preconceito praticado contra um terço de aposentados, aqueles que por força das suas maiores contribuições mensais ao INSS durante trinta e cinco anos, conquistaram uma aposentadoria melhorada, com valor do benefício superior ao salário mínimo.

O sistema previdenciário necessita realmente de uma grande reforma para a sua sustentabilidade. Mas não esta reforma incompleta que não obriga a Câmara a colocar um projeto na pauta para análise e votação, o que já foi feito há muito pelo Senado! Aliás, para uma verdadeira reforma, justa e plena da Previdência, poder-se-ia até dispensar a obrigatoriedade da Câmara para corrigir tamanho absurdo, até porque, ela teve onze anos para fazê-lo, preferindo por insensatez, má gestão e desprezo ao velho aposentado, obstruir aquele projeto!

Por que dois terços de aposentados de um regime único podem receber o mesmo percentual de reajuste dado ao salário mínimo e os outros um terço, não podem? Onde está a lógica desta esdrúxula correção salarial? Aposentadorias atualizadas com dois percentuais diferentes??   É a maior abominação de todos os tempos praticada por duas décadas contra os ex-trabalhadores fisicamente cansados pela idade!


Estes segurados que recebem acima do piso, não por favores do governo e sim por direitos adquiridos pelas suas maiores contribuições mensais ao INSS, com descontos efetuados sobre sete, oito, nove ou dez salários mínimos durante toda uma vida laboriosa, atônitos, assistem hoje, perplexos e indefesos, que absolutamente aquelas robustas contribuições do passado não valeram para nada, sendo apenas um engodo camuflado, sob a falsa promessa de uma aposentadoria condizente.

Vemos contristados que apenas o governo se beneficiava com tamanha enganação! Com apenas uma cajadada o governo matava dois coelhos: no passado recebia maiores contribuições dos trabalhadores ativos e, na sua aposentadoria, tirava ano após ano, uma pequena lasca do valor das aposentadorias, justamente daqueles trabalhadores que descontavam valores maiores(?!)

Inseguros e assustados, os aposentados lesados veem seus benefícios covardemente degradados continuamente, com o seu poder aquisitivo tremendamente fora da realidade, longe de padronizar-se às suas antigas contribuições(?!).

Que blefe!! Quem descontou sobre oito salários mínimos hoje recebe menos de quatro pisos; quem contribuiu sobre sete recebe hoje menos de três salários mínimos e meio e, assim oito sucessivamente, todos os oito milhões e quinhentos mil de segurados tungados, caindo, desprotegidos, ano após ano, para o valor do débil salário mínimo!

Não é justo que esses aposentados, que já estão sendo surrupiados há duas décadas, continuem a sofrer esta covarde e abominável discriminação, que os levarão, fatalmente, a receber apenas um salário mínimo! Uma eventual Reforma da Previdência que não corrigir e compensar esta deslealdade com o velho e esquecido trabalhador, jamais poderá ser considerada uma reforma de verdade...

Sinto-me encorajado a dirigir-me a Vossa Excelência, solicitando uma solução para o problema e por querer entender porque me aposentando com oito salários mínimos hoje estou reduzido a apenas três!

A mesma deslealdade acontece com todos os aposentados que ainda recebem mais de um salário, não ignorando, que milhares de outros problemas tão cabeludos como este, passam pela vossa mente que deseja unicamente colocar o Trem Brasil nos trilhos certinhos do desenvolvimento firme e sustentável, livre da atual corrupção reinante.

Me encorajo, cometendo esta ousadia, baseando-me na sua inteligente e bem aceita determinação de comandar o país com a vontade do povo, escutando de bom grado as súplicas da sociedade, hoje, perfeitamente possível, graças aos diversos recursos disponíveis da Internet!

Respeitosamente,   
Almir Papalardo, 20-11-2018

Anteriores:

Um comentário:

  1. SÓ A PROVIDÊNCIA. Aparecido Raimundo de Souza, de São Paulo, Capital.

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-