terça-feira, 21 de maio de 2019

[Daqui e Dali] O gestor prudente

Humberto Pinho da Silva

Conheci – já passaram algumas décadas, – gestor considerado exemplar. Sempre, que trabalhador era levado à sua presença, para ser repreendido, inteirava-se, primeiro, da influência que aquele tinha entre os “seus “.


Após averiguações, obtidas facilmente, consultando “espias”, traçava a sentença:

Se era trabalhador, educado, cumpridor, e nada dado a politiquices, mas, infelizmente, por descuido, errara ou prevaricara, lançava, sobre ele, severa reprimenda, e castigava-o, com pena leve ou pesada, consoante a gravidade.

Dizia ele, enfaticamente: “Era para dar o exemplo…”

Mas, se descobria que era influente sindicalista ou militante ativo de partido buliçoso, amaciava a voz, e aconselhava-o com prudência, concluindo: que tivesse cuidado, porque para a próxima, não sairia dali só com palavras amigas, mas com pesada pena.

Era prudente, como D. Afonso de Aragão, que sempre foi generoso com seus detratores. Certa ocasião – conta Manuel Bernardes – os amigos, estanhando a razão do insólito comportamento, inqueriram:
“Por que dá benesses a quem não lhe é fiel?”
Ao que este respondeu:
Aos cães, dá-se-lhes sopa, para que não ladrem nem mordam.”

Assim agia o nosso astuto gestor, premiando os operários, não pelo saber ou dedicação, mas pela influência política e amizades que contavam.

[Pensando alto] Estados Unidos ou Canadá?

Pedro Frederico Caldas 

Vá até onde puder ver; quando lá chegar poderá ver ainda mais longe.
Goeth

Resolvi passar meu aniversário no Canadá. Fomos, Nêga e eu, a Toronto. Lá estava nosso cunhado, compadre e queridíssimo amigo, enfim, um irmão, Ernesto, desincumbindo-se de um curso de inglês. O homem tá danado, falando inglês pelos cotovelos. Foi uma farra só.

Um dia antes da viagem comprei um laptop. Barbeiro como sou com essas geringonças tecnológicas, esqueci de levar códigos e passwords. Aí o bicho pegou. Fiquei sem e-mail e sem facebook, razão por que perdi, pelo tempo ausente de casa, contato com os meus queridos amigos, agora retomado por esta breve memória de viagem.

Há muitos anos não ia a Toronto, cidade belíssima, às margens do Lago Ontário, centro econômico da Província de Ontário, de longe a mais rica das províncias canadenses.

No domingo, dia 9, almoçamos no 360 Restaurant, localizado na CN Tower, a 351 metros de altura. O restaurante é giratório. Um giro leva 72 minutos. Esse giro completo nos permite ver as vastidões da planície em torno da cidade e do lago. A vista deslumbrante, atiçada por um bem elaborado dry Martini à la 007, deu um sabor especial ao regabofe em torno dos macios e suculentos rib eye steak e rack of lamb, escoltados por cogumelos sautés sob os acordes de um divino Shiraz, colhido e batizado no McLaren Vale da distante e, naquele encantado momento, tão próxima Austrália. Saímos alegres para as ruas e ensaiamos alguns passos aos sons de gaita de fole soprada por estilizado escocês e um acordeom dedilhado por uma saudosa alemã, consumados artistas de rua a quem remuneramos com certa generosidade. O embalo continuou a goles de café expresso e baforadas de charutos especiais. A ata de encerramento foi lavrada, já no hotel, por um vinho inesquecível, quando, emocionados, nos despedimos de Ernesto, companheiro inseparável desses momentos de já entronizadas memórias.

Mas voltemos ao tema Canadá, que viajar não é só folia.

Cerca de oitenta por cento da população do Canadá vive na fronteira com os Estados Unidos, numa profundidade de mais ou menos cem milhas (160km). Trata-se de um país riquíssimo, com produto interno bruto de quase dois trilhões de dólares para uma população ao redor dos trinta e sete milhões, o que lhe confere renda per capita ano de quarenta e cinco mil dólares, em números redondos. Sendo um pouco maior que os Estados Unidos, tem quase dez por cento de sua riqueza, em termos absolutos. Sob qualquer prisma, um país maravilhoso para se viver: democrático, mercado livre, capitalismo sem amarras, população de grande qualidade cultural, abundantes recursos naturais, exportador de comida, energia, manufaturas, tecnologia. Um paraíso lindo de viver, com direito a muita neve.


Bolsonaro é parceiro em debate sobre nova Previdência, diz porta-voz

Vinícius Lisboa

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros [foto], disse hoje (20) que o presidente Jair Bolsonaro se coloca como parceiro na discussão da proposta de reforma na Previdência, mas que considera que a proposta encaminhada pelo Ministério da Economia é a que melhor atende à questão.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
"A proposta que o presidente identifica como a melhor proposta é aquela que já elevou ao Congresso Nacional. Não obstante, ele se coloca, sim, como parceiro no processo de discussão e avaliação para, juntos, Congresso e Poder Executivo, darmos andamento àquilo que vai tirar o Brasil de um precipício de que muito rapidamente se aproxima, conforme o ministro Paulo Guedes [da Economia] já localizou em muitos dos seus discursos."

Rêgo Barros respondeu a perguntas de jornalistas depois da homenagem ao presidente promovida pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), que concedeu a Bolsonaro a Medalha do Mérito Industrial.

O porta-voz também comentou as manifestações a favor de projetos do governo convocadas para o próximo domingo (26) e disse que Bolsonaro ainda não se posicionou sobre a possibilidade de comparecer a um dos atos.

"É muito importante entender que a sociedade está alinhada com nosso presidente e, neste alinhamento, está buscando associar-se àquilo que o presidente vem atribuindo como responsabilidade dele, conduzir a nossa sociedade e conduzir a nossa nação ao melhor que ele possa dar como chefe do Executivo".

No evento na Firjan, Bolsonaro estava acompanhado de presidentes de estatais e ministros de Estado.
Título e Texto: Vinícius Lisboa; Edição: Juliana Andrade, Agência Brasil, 20-5-2019


Relacionados:

4° Encontro Europeu de ex-Trabalhadores da Varig, em Sintra

Angela Arend


A festa foi linda, organizada com muito carinho pelo Jim Pereira. Menu delicioso composto por vários pratos, buffet de doces e sobremesas e carta de vinhos impecável. Mais tarde, lanche com frios (enchidos) e muitos doces.


À noite foi servido um jantar frio. Os garçons foram extremamente gentis e serviram o almoço com grande elegância. Tudo isso animado com um show do Ronaldo Bacana Lima que simplesmente arrasou.
Nota 1.000!!!!


Obrigada pela presença e pela energia que cada um passou. Foi alto Astral!


Marcelo Lins e sua Maria João ; Jim Pereira e família, Haroldo de Melo e Angela Arend; Angela Trés e família, Paulo Pereira e sua Reggiane, Marli Laux e marido, Renate Barreto e marido; Ana Paula , Guillermo Santandreu, Ronaldo Bacana Lima e sua Simone Silva, Renato Andrade e sua Elusa Rønbog, Luiz Arêas; Ciro Vargas e Janete; Valkiria Friedrichs e tantas outras pessoas que tornaram essa festa num momento único de alegria e de energia.
No ano que vem tem mais.




Título, Imagens, Vídeos e Texto: Angela Arend, Facebook, 21-5-2019

[Aparecido rasga o verbo] A surdez dos clarões

Aparecido Raimundo de Souza

EM LONDRES, na Inglaterra, um casal de lésbicas coreanas que desejava ter um filho, encontrou um pai para a criança. O sujeito é um brasileiro da cidade de Itú, interior de São Paulo. Seu nome, Beringelângelo Hortaliça. Alto, bonito, charmoso, moreno, olhos verdes, veste camisas da Red Summer, cuequinhas da Zorba e calças da Hangar. Sapatos? Não, só tênis sem meias. Fuma charutos legítimos cubanos diretamente importados da ilha de Fidel Castro. Usa um brinquinho na orelha esquerda um pilsing na língua, e, na pica, o desenho tatuado de um cavalo alado atacando um dragão sem o São Jorge montado em seus costados. Frequenta academia todos os dias, faz faculdade de direito em Bragança Paulista, bebe suco de laranja com gelo e limão, aprecia quiches folheados e se concentra em seções açucaradas com cheesecakes, brownies e trotinhas diet.

Mantém uma programação cultural bastante interessante, com exposições de quadros, rodas de leituras, recitais, lançamentos de livros e saraus. Reserva sempre um dos cantos de seu apartamento confortável e espaçoso, para uma estante com pérolas literárias que vão de Jorge Amado à Clarice Lispector passando por Saramago e Zé Lins do Rego. Ouve como músicas de fundo, repertórios clássicos de origens francesas. De gosto apurado, seu pequeno “habitat” foi decorado com o objetivo de fazer qualquer fêmea esquecer o que se passa do lado de fora das suas quatro paredes. Louco por cortinas, Beringelângelo sustenta que em qualquer ambiente essas peças são acessórios indispensáveis para um bom relacionamento, principalmente com as janelas. Esse cara, com todas essas manias requintadas e que ainda por cima escova os dentes habitualmente antes e após as refeições, foi achado através de um catálogo de vendedores de sêmens disponíveis na Internet. Simples, não é verdade?

Se levarmos em conta, hoje em dia, percebam que se comercializa qualquer tipo de bugigangas pelos sites das redes socias: carros, casas, lofts, vinhos importados e nacionais, mulheres e homens infláveis (existem no mercado – meninos e meninas para pedófilos com pintos, cus e bocetas perfeitas), maconhas, pedras de crack, deputados, senadores, aparelhos para desenhos, brinquedos coloridos ou em preto e branco, trombone com ou sem vara, pratarias, CDs, gravadores e até ministros do STF. Enfim existe uma série de cagalhões listados com mais de um milhão de itens para todos os gostos. Basta o interessado dispor de um computadorzinho barato, uma linha telefônica, cartão de crédito (de preferência com...) e endereço para recebimento das tranqueiras desejadas.

Assim, nesse rastro, voltando às lésbicas, ou melhor, as donzelas, uma médica e a outra, uma professora de piano, moradoras da maviosa e aconchegante Winchester, capital do condado de Hampshire (sudeste da Inglaterra) sem querer descobrimos que as beldades pagaram o equivalente a quase cinquenta mil reais pelo líquido seminal do tal macho espadaúdo de trinta anos incompletos oferecido na “homepage” de uma empresa especializada em produção assistida. Ambas receberam a amostragem pelo correio. O responsável pela felicidade dessas criaturas é a “New Life”, com sede na Califórnia. Nada em comum com a nossa “Blu Life”. Mas observem: elas adquiriram apenas a prova material, ou seja, a porra.

Compreensão

Nelson Teixeira

Cada um nasce com intenções e metas variadas. Por isso é que surgem divergências no caminhar de vida e na missão de uma pessoa para outra. Aceitar essas disparidades do jeito que são e compreender os outros também é um ato de amor.

Se você não consegue amar uma pessoa, é porque não está conseguindo compreendê-la. E por não ter compreensão é que a corrente do ódio não para. Você não deve achar que é normal não conseguir parar essa corrente de ódio. Não podemos deixar essa corrente aumentar.

Em vez disso, se você perceber que houve falta de compreensão da maneira de pensar dos outros, deve dar pelo menos um ou dois passos em direção à compreensão mútua. Isso é o importante.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 21-5-2019

A quem servem os ataques a Jair Bolsonaro?

Vitor Grando

Acirra-se a disputa entre o Governo e o Legislativo, mais especificamente na figura de Rodrigo Maia, o "botafogo" da Odebrecht, e o "Centrão". Disputa de que muito dependem as manifestações do próximo dia 26.

Muito se pode questionar da condução de Bolsonaro na Presidência da República. Porém, observo que políticos devem ser encarados não como figuras paternalistas que nos guiarão à salvação, mas como instrumentos a nosso serviço. Assim como apoiamos e fornecemos o melhor ambiente de trabalho para um funcionário dedicado, enquanto aqueles que nós elegemos nos forem úteis, é evidente que devemos apoiá-los e lhes fornecer um adequado ambiente de trabalho.

Sem o apoio de seus eleitores, como esperar que eles tenham força para fazer o prometido? Apoiar político não é ser "gado" nem "fanático" quando esse apoio está vinculado estritamente à pauta que o elegeu. Não há "idolatria" ou "messianismo", portanto, em apoiar e se manifestar a favor do Governo Bolsonaro. Apoio popular é o ambiente de trabalho adequado de que vive um político.

Devo observar também, que todos os erros de Jair Bolsonaro na presidência são, por ora, erros de forma, estratégia ou comunicação. Coisas, portanto, periféricas. Quanto ao conteúdo, porém, está sendo fidelíssimo à pauta que o elegeu, o que torna a grita em torno do seu suposto fracasso pura histeria já determinada pela oposição desde antes de sua posse. Nunca dantes um governo fez tanto em pouco tempo e foi tão vigiado nas suas minúsculas vírgulas. Afinal, quando foi a última vez que a nomeação de um Ministério secundário foi pauta relevante? Só no Governo Bolsonaro.

Mas o que me espanta é a adesão de ditos liberais e conservadores aos ataques desmedidos à Presidência da República. No caso do MBL, não há como não suspeitar que haja algum interesse escuso da parte deles. Renan Santos, coordenador nacional do MBL, como se vê no print, começou uma série de ataques ensandecidos contra a legitimidade das manifestações do dia 26 acusando-as falsa e injustificadamente de estarem pretendendo a invasão do Congresso e do STF. Uma farsa sem qualquer fundamento na realidade, que inclusive foi objeto de crítica em vídeo da parte de outro membro destacado do MBL, o Arthur Mamãefalei.


Naturalmente, a farsa motivou reação dos apoiadores do Presidente da República. O MBL, por sua vez, agora se vitimiza dizendo estar sendo vítima de "ataques de milícias e capangas virtuais". A verdade é clara e incontestável: eles que começaram os ataques por meio de seus destacados líderes. O MBL tem todo o direito de se abster de participar das manifestações, mas a sua postura é absolutamente execrável e decepcionante.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Firjan diz que reforma vai estimular R$ 1,4 trilhão em investimentos (+ discurso do presidente Bolsonaro)

Vinícius Lisboa

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) divulgou hoje (20) projeção em que prevê que R$ 1,4 trilhão em investimentos poderão ser materializados caso a reforma da Previdência seja aprovada no Congresso Nacional. O estudo foi apresentado diante do presidente Jair Bolsonaro, que foi homenageado com a Medalha do Mérito Industrial.

Segundo a Firjan, R$ 655 bilhões em investimentos públicos e R$ 729 bilhões em investimentos privados poderiam ocorrer com a mudança na situação das contas públicas e da confiança do setor privado.

Foto: Allan Santos
O presidente da Firjan, Eduardo Eugênio Gouveia Vieira, disse que, além da melhora do déficit público, a reforma vai promover a retomada da confiança e estimular a atividade econômica, além de uma potencial redução dos juros e da inflação.

"O Brasil define pelos próximos dois ou três meses seu destino nas próximas duas ou três décadas", disse o presidente da federação, que estimou que poderiam ser destinados R$ 770 bilhões para a habitação, R$ 221 bilhões para o saneamento, R$ 95 bilhões para segurança, R$ 130 bilhões na saúde, R$ 33 bilhões na educação e R$ 135 bilhões para a finalização de obras que se encontram paralisadas.

Prefeito do Rio diz que Brasil precisa evoluir
Também estavam presentes ao evento o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e os presidentes do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, e da Petrobras, Roberto Castello Branco, além de ministros.

Alexandre Garcia faz análise sobre quem está contra o Governo Jair Bolsonaro e seus motivos

Jornalista Alexandre Garcia analisa precisamente o atual cenário político e os que torcem contra o Brasil.


Texto e Vídeo: Jair Bolsonaro, publicado em 18 de maio de 2019

FMI: Reforma da Previdência fortalecerá previsibilidade da economia

Christine Lagarde mencionou o Brasil em Nur Sultan, no Cazaquistão

José Romildo

“Temos expectativa que a aprovação da Reforma da Previdência fortalecerá a previsibilidade e a certeza sobre o futuro da economia brasileira” disse a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde [foto], após o encerramento do Fórum Econômico de Astana. Segundo ela, a Reforma da Previdência vai desencadear um movimento de solidez e das finanças do Brasil.

Foto: Marcello Casal Jr.
O Fórum Econômico de Astana, ocorrido na cidade de Nur Surtan, capital do Cazaquistão, nos dias 16 e 17 de maio, reuniu 5.500 delegados de 74 países. Eles sugeriram que os países da Ásia Central podem dar prosseguimento às diretrizes do Fórum de Davos (Suíça), em favor do crescimento da economia mundial. O fórum anual é considerado um evento econômico chave na Europa e na Ásia. O tema do fórum deste ano foi "Inspirando o crescimento: pessoas, cidades, economias".

O Fórum Econômico de Astana também enfatizou a necessidade de que todas as nações do mundo, especialmente as da Ásia, busquem cumprir as sugestões formuladas pela Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável.

"O mais importante é que precisamos de um crescimento inclusivo e sustentável que melhore as perspectivas das mulheres, jovens, pobres e aqueles que vivem nas áreas rurais e que aumentem as expectativas das gerações futuras", disse Christine Lagarde, dirigindo-se aos participantes do fórum.

Uso de arma de fogo para defender propriedade pode não ser crime

Agência Senado

Os crimes cometidos em legítima defesa podem ter a pena atenuada se for aprovado o Projeto de Lei (PL) 2.865/2019. Ele inclui no artigo 23 do Código Penal (Decreto-Lei 2.848, de 1940) — sobre exclusão de ilicitude — a previsão de que, se a pessoa agindo em legítima defesa exceder em sua ação, ela pode deixar de ser punida ou ter a pena reduzida até a metade caso ela esteja sob “escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

A proposta também detalha melhor a legítima defesa tornando critério de exclusão de ilicitude o uso de arma de posse legítima ou outro meio para proteger a si mesmo ou a terceiro e a sua propriedade ou de outro que esteja sendo violada.

O autor do projeto é o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) [foto]. Ao apresentar o texto ao Senado, ele disse que é preciso trazer segurança jurídica para os legítimos possuidores de armas de fogo.

Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
“No caso de intrusão de sua casa, hoje eles ainda podem se ver processados criminalmente por terem exercido seu direito à legítima defesa contra perigosos assaltantes”, afirmou. Para ele, “aquele que se defende em sua própria casa não deve ser punido criminalmente”.

O texto deve ser votado primeiro na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) antes de ir a votação no Plenário. O relator no colegiado será o senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que já é relator do PLS 236/2012 (Novo Código Penal). O PLS 236/2012 tramita com um pacote de outros 93 projetos da Câmara e do Senado apensados a ele, por se tratar de modificações no Código Penal, que é de 1940.

Proposições legislativas
·         PL 2.865/2019
·         PLS 236/2012

Título e Texto: Agência Senado, 20-5-2019

Desilusões

Nelson Teixeira

Na vida todos nós enfrentamos desilusões. Nos desiludimos quando vemos um sonho se transformar em pesadelo, um alvo se transformar numa miragem bem distante. Alguém a nos ferir e machucar.

A desilusão dói como um ferimento. Atinge a qualquer um, sem distinção. Mas o importante é saber que novos momentos acontecerão, e que um novo dia certamente amanhecerá.

Fomos criados por Deus com a incrível capacidade de nos recuperarmos, mesmo diante das adversidades. A desilusão é sempre dolorida, pois ela nunca vem de um estranho.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 20-5-2019

Charada (873)

Cada um dos seguintes grupos
reúne animais com uma particularidade
comum. Porém, no primeiro grupo
está um animal que pertence ao segundo
e no segundo está um animal
que pertence ao primeiro.

Cavalo
Hiena
Leão
Ovelha
Lobo
Touro
Tigre
Girafa
Cão
Chimpanzé
Zebra
Gorila

Indique a particularidade comum
de cada grupo e quais os dois
animais que estão trocados.

domingo, 19 de maio de 2019

Hoje, domingo, 19 de maio de 2019, em Sintra, Portugal


Relacionados:

[As danações de Carina] Não inflói nem contribói

Carina Bratt

“O coisinha tão bonitinha do pai, o coisinha tão bonitinha do pai” – diz claramente uma composição bem composta e com compostura de Jorge Aragão, na voz maviosa de Beth Carvalho. Verdade ou não, sabemos que o amor é cego. Cego como uma porta antiga, dos tempos em que as chaves se faziam conhecidas por “tramelas”, e se pegava linguiça com cachorro. Em casos assim, quem manda é o coração. O coração da porta, sempre, nunca o da casa. 

Rapidamente como quem rouba, farei referência ao casal de oitentões, dona Aristótola Silfa e seu marido senhor Pedro Granulado de Oliveira Silfo. O encontro deles foi de fato, amor à primeira vista. Por sinal à vista vasta, multipliciada dilatada e, com certeza, em razão disso, esse enlace perdurará até que a morte os separe. Se é que a morte separa alguém de alguma coisa...


Não vem ao caso essa discussão. Tanto ele, o senhor Granulado, quanto ela, dona Aristótola, gritarão, a plenos pulmões, e aos palmões, um pomposo e flamejante “até que a morte nos separe”. Jamais comungarão essa aberração dos casais de hoje, o famigerado e inconcebível “até que um amante safado nos mande cada um para um lado”, chupar prego até virar bala de coco, sem levar em conta que os olhos são as janelas da alma e as bocas, as portas de entrada e também de escape.

De entrada e saída, ou escape, para (caso se desentenderem), compreenderem sem delongas estarem na trilha errada, e, em vista disso, deixarem adentrar aqueles jargões do tempo do ronca, gírias que ensinam sempre aos pombinhos que eles, a dupla, são como corda e caçamba. Enquanto um descansa, o outro carrega pedra. Acreditam piamente que ainda vão passar muitas pontes por debaixo dessas águas.

Casal que se ama se assemelha a unha e carne. A madeira de dar em doido. A pegar o boi pelos chifres. Equipara a tampa e panela. Nivela meia e sapato. Reúne chulé e frieira. Delineia hospital e doente, rascunha defunto e caixão, plagia campa e cemitério. Resumindo: O senhor Granulado Silfo é o queijo e ela, dona Aristótola Silfa, a goiabada. Goiabada sem queijo se aproposita a abraço sem beijo, a criança sem choro, a perfume sem cheiro, torneira sem água, grampeador sem grampinho, mesa sem cadeira, revolver sem bala, favela sem favelado.

Falta explicar o Silfa da dona Aristótola. Seu Silfa originou de um gênero de insetos coleópteros, entre eles, a conhecidíssima silfa-sepultadora e a silfa liga ou a silfa grudada. Exemplo típico de uma silfa afamada e prestigiosa de todos nós: a barata. A barata é uma Silfa disfarçada. Nos remete à Kafka sem o Franz. Em caminho oposto, o Silfo do senhor Granulado pertence a uma entidade da mitologia céltica e germânica da Idade Média. Silfa e Silfo, portanto, metamorfosearam a exasperação do caixeiro viajante Gregor Samsa. Frutificou deveras, com o passar dos janeiros.

Charada (872)

Quando Isabel me telefonou
seis dias, disse que
só voltaria a telefonar-me
na véspera de uma quinta-feira.
Fiz as contas e conclui que esse
dia será depois de amanhã.


Em que dia da última semana
me telefonou a Isabel?

Charada (871)

Se Antonieta
lê um livro com
100 páginas em
6 dias, em quantos
dias lerá um
livro com 150
páginas?

Charada (870)

Complete o provérbio popular:
“Nunca o invejoso medrou, ...”

a) nem quem um dia o aturou:
b) nem o seu vizinho singrou;
c) nem o bondoso que o perdoou;
d) nem quem ao pé dele morou.

sábado, 18 de maio de 2019

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Lava-jato nas nuvens!

Alberto José

Segundo delação homologada, o presidente da ABEAR - Associação Brasileira das Empresas Aéreas administraria o fundo de Caixa Dois no qual a GOL, a TAM (Latam), Azul e a Avianca contribuíram com R$ 2,5 milhões para oito parlamentares (ativos) em troca do bom relacionamento com o Poder Legislativo.

A GOL teria contribuído com cerca de R$ 800 mil. A delação premiada foi homologada pelo juiz Valisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal de do DF e assinada pela Força Tarefa do MP.

Meu comentário:  Para obter pequenos favores de agentes públicos, a Varig costumava dar passagens, hospedagem, empregos e até moderno equipamento de cultura física. Se soubesse das possibilidades do Caixa 2, a Varig ainda estaria voando!!
Imagem e Texto: Alberto José - baseado em reportagem de O Globo, de 17-5-2019



Eita baiana arretada!

"Mas o que é isso, ministro?"

[Pensando alto] “Dará certo o governo Trump?”, perguntava Pedro Caldas, em janeiro de 2017

Pedro Frederico Caldas

A arte da previsão consiste em antecipar o que acontecerá e depois explicar o porquê não aconteceu.
Churchill

Dará certo o governo Trump?

Quando o futuro for passado, saberemos a resposta. Por ora, tudo é especulação, embora, como na previsão do tempo, tenhamos algumas pistas.

A despeito disso, a imprensa e a opinião pública brasileiras são quase unânimes em afirmar que tudo dará errado. Se essa previsão estiver na mesma linha daquelas onze em cada dez que previam a sua derrota, tudo dará certo.

A previsão do tempo tem grande probabilidade de acerto nos dias que correm. Supercomputadores, modelos matemáticos, satélites meteorológicos, boias oceânicas, históricos e estatísticas meteorológicos, toda essa parafernália forma um conjunto de bons instrumentos para dizer se vai chover, se vai haver tempestades, furacões, secas inundações e toda e qualquer outra intempérie e, não menos importante, se o tempo vai ser bom.

Apesar disso, há falhas cômicas. Há alguns anos, com base nas tendências do aquecimento global (global warming), foi feita uma previsão de que onze furacões se formariam, nove atingiriam os Estados Unidos, e seis deles seriam devastadores. No ano dessa previsão, nada de anormal aconteceu. Repetiram a previsão no ano seguinte, e nada. Pararam de fazer tais previsões catastróficas. O ano passado foi o décimo primeiro sem um furacão devastador na Florida, o que não quer dizer que a qualquer ano não apareça algum.

O que isso quer dizer? Quer dizer que todas as previsões, mesmo aquelas baseadas em modelos científicos, podem falhar.

No campo da política, onde não se pode usar sofisticada tecnologia, devemos separar o que é uma previsão razoável de uma torcida fanatizada.

Em política, sempre cético. Já vi muita coisa, no Brasil e no mundo. Tendo sempre a não acreditar em promessas eleitorais e nas intenções altaneiras dos políticos. Outra coisa que também me faz sempre estar com um pé atrás é a certeza absoluta dos eleitores. É que toda eleição, umas mais, outras menos, os ânimos se exacerbam e as pessoas tendem a perder o senso crítico. Passadas as eleições, principalmente quando a disputa foi acirrada, há sempre uma massa de derrotados inconformados com o revés eleitoral e há uma tendência desse inconformismo se transformar em visões apocalípticas.

Dar amor

Nelson Teixeira

O amor é como uma caixinha, onde se coloca e se tira… Quando se dá amor, se tira da nossa caixinha e coloca na caixinha de outro. Quando se recebe amor se tira da caixinha de outro e se coloca na nossa.

Se você só recebe e não dá, a caixinha lota e ninguém mais consegue te dar amor. Se você só dá, chega uma hora que acaba o seu. Por isso na vida, é importante dar e receber amor.

Nem sempre, aquele que recebe de nós é o que nos dá. Nem sempre damos àqueles de quem recebemos.

Não deixe a sua caixinha esvaziar, nem deixe sua caixinha lotar. Saiba dar e receber.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 17-5-2019

Presidente Bolsonaro desabafa


Bolsonaro denuncia a Globo, esculacha Folha de São Paulo, detona Lula e desmente jornalista!


Texto e Vídeo: Folha do Brasil, 16-5-2019

[Aparecido rasga o verbo] Tal mãe, tal filha

Aparecido Raimundo de Souza

Quando não se pode dizer a verdade, mas se diz algo semelhante à verdade, não se está traindo a verdade”.
José Mauro de Vasconcelos – escritor. Autor do livro “O meu pé de laranja lima”.


O TELEFONE TOCOU INSISTENTEMENTE na residência da senhora Viviane Cardoso de Godói. Ao ouvir o som do aparelho se destrambelhando, fez sinal para que a sua filha Tati, de cinco anos, que tomava seu café matinal, atendesse. Antes que a menina tirasse o auscultador do gancho, a mãe insistiu com veemência para que a pequena dissesse a quem quer que estivesse do outro lado da linha (ainda que a figura do papa ou do presidente da república), não importava quem fosse, ela não se encontrava em casa. A guria, contudo, cara de poucos amigos, sem entender bulhufas, contestou:

- Mas a senhora está aqui, mamãe. É feio mentir.
- Faça o que eu digo e não faça o que eu faço. Eu não estou. Não está vendo que eu saí cedo?
- E a senhora foi aonde mamãe, às oito e meia da manhã?
- Invente uma desculpa qualquer. Seja criativa. Sei que arranjará uma boa desculpa. Atenda logo essa porcaria. A campainha dessa droga me irrita os tímpanos e me tira do sério! Vamos, Tati, se mexa... não estou pra ninguém. NINGUÉM!

A menina obedeceu, o semblante fechado:
- Alô?  Bom dia. Quem é?
- Bom dia, aqui é o Pedro das “bugigangas”. Dona Viviane se encontra?
- Não.
- Saiu?
- Mais ou menos...
- Como, mais ou menos? Ela está ou não?
- Não sei não senhor. Dona Rosa, a vizinha aqui do nosso lado esquerdo acabou de me dizer que ela foi abduzida.

- Não entendi. Foi o quê?!
- Abduzida.
- Abduzida?
- Foi o que eu disse.
- Meu Deus, que absurdo. A sua vizinha falou isso pra você?
- Sim senhor...
- Essa senhora que disse essa barbaridade está aí do seu lado? Deixa eu falar com ela. Passe, por gentileza, o telefone. É urgente.

- Não senhor. Dona Rosa deu meia volta e correu para avisar aos outros moradores próximos...
- Mocinha, como é o seu nome?
- O meu?
- É.
- Tati.
- Muito bem, Tati. Lindo nome.
- Obrigada. Foi papai quem escolheu. Se fosse pela vontade de mamãe eu seria batizada Sara.
- Quantos anos você tem, Sara?
- Eu? Cinco. E não é Sara, é Tati.

Charada (867)

Indique uma
cidade portuguesa
cujo nome é um
anagrama
de um sinônimo
de “Poldro”.

LIVE com o presidente Bolsonaro, 17 de maio, em Dallas, Texas, EUA


quinta-feira, 16 de maio de 2019

Discurso do Presidente Jair Bolsonaro ao receber o prêmio de Personalidade do Ano

O Presidente Jair Bolsonaro é o ganhador brasileiro do prêmio Personalidade do Ano de 2019 pela Câmara do Comércio Brasil-Estados Unidos. Bolsonaro é homenageado em cerimônia em Dallas no Texas em almoço organizado pelo World Affairs Council de Dallas/Fort Worth.

O anúncio foi feito pela revista Forbes, mediadora do prêmio. Todos os anos, a premiação homenageia duas personalidades, uma brasileira e outra norte-americana, que tenham contribuído para o desenvolvimento das relações financeiras e diplomáticas entre as duas nações.

Para a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, a escolha do Presidente Bolsonaro é um reconhecimento de sua firme intenção de estreitar os laços comerciais e diplomáticos entre o Brasil e os Estados Unidos, e seu firme compromisso de construir uma parceria forte e durável entre as duas nações.

O atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, foi escolhido para a homenagem no ano passado, quando ainda era o juiz responsável pela Operação Lava Jato.

Em 2017, o então prefeito de São Paulo e atual governador de São Paulo, João Doria, recebeu o prêmio.


Título, Texto e Vídeo: Folha do Brasil, 16-5-2019

Programa pretende ampliar serviços e horários de postos de saúde

Pedro Peduzzi

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
O Ministério da Saúde pretende ampliar os serviços e os horários de atendimento das unidades de saúde da família (USFs). Por meio do programa Saúde na Hora, anunciado hoje (16), a ideia é disponibilizar mais recursos para prefeituras que, em contrapartida, devem cumprir requisitos como abrir as unidades de saúde no horário de almoço, à noite e nos finais de semana, bem como manter prontuários eletrônicos atualizados.

“Esse programa inicia a reorganização da atenção primária [à saúde]. Ele tem um olhar que facilita para que o gestor municipal possa reorganizar o horário de funcionamento e o número de equipes e os critérios mínimos de atendimento de suas unidades, priorizando a gestante, a vacinação, e dando, às USFs utilização, uma vez que são prédios públicos que ficavam abertos somente das 7 às 11h e das 13 às 17h”, explicou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta [foto], hoje (16) ao anunciar o programa.

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Dessa forma, o governo pretende auxiliar os gestores municipais a reorganizarem o formato dessas unidades que, atualmente, é de 40 horas semanais. “Acrescentamos os [formatos] de 60 e 75 horas semanais. Isso descomprimirá a porta de urgência das unidades de pronto atendimento e dos prontos-socorros”, acrescentou.

As unidades terão, também, de ampliar a oferta de serviços à população. Entre os serviços a serem prestados estão o de acolhimento com classificação de risco; consultas médicas e de enfermagem nos três turnos; consultas de pré-natal; oferta de vacinação; coleta de exames laboratoriais; rastreamento de recém-nascidos, gestação e de doenças sexualmente transmissíveis; e pequenos procedimentos injetáveis, curativos, além de pequenas cirurgias e suturas.

De acordo com levantamento apresentado pelo ministro, 336 USFs já funcionam em horário ampliado; e 2.289, localizadas em 400 municípios, já estão aptas a participar do programa. A essas cidades basta enviar proposta ao Ministério da Saúde por meio do sistema E-Gestor. A proposta deverá informar quais unidades pretendem adaptar ao novo modelo.