quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Charada (1 073)

Qual o
animal
que se esconde
nesta estranha
palavra?

SATEZRUV

De saco cheio de "anônimos" e hipócritas do cacete!


A decisão de NÃO mais aceitar comentários de “anônimos”, foi uma bola dentro deste editor.

Não porque ele tenha descoberto a pólvora, simplesmente foi ao encontro da vontade daqueles colaboradores que dão a cara e que se sentiam, com toda a razão, desfavorecidos face aos covardes. Aliás, a decisão até demorou bastante.

Mas os “anônimos” (eu devo dizer, a bem da verdade factual e histórica: “anônimas”) continuam postando = enchendo o saco. Acho que é pessoal. 

A cada post na coluna [Pernoitar, comer e beber fora] é uma enxurrada de posts de “anônimas”, tipo “Enquanto expões o que comes...” etc.

Orra, meu!

Esta revista não está a serviço de uma causa, por mais importante e vital que possa parecer ao militante.

Não somos o blogue destes ou daqueles, nem dessas nem daquelas.

Esta revista, que começou como um blogue pessoal, rapidamente se transformou numa revista virtual, pelo leque de assuntos que publica.

E detalhe: não recebe um tostão (ou cêntimo) de quem quer que seja. Certamente por isso, nunca fomos censurados ou denunciados. Não, quer dizer, fomos sim. Está sentado, generoso leitor?

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

[Aerus] O que vai ser julgado no próximo dia 28 de outubro?

Esta decisão:

“Assim, considerando que a própria União, por meio da Secretaria de Previdência Complementar, aceitou a garantia como requisito para autorizar os contratos de refinanciamento de dívidas em face do Instituto Aerus, tenho-a por subsistente e hígida a amparar a pretensão ora deduzida.

Os valores pretendidos possuem natureza eminentemente alimentar, e são essenciais à sobrevivência dos aposentados e pensionistas, razão pela qual entendo presentes os requisitos necessários para a concessão do pleito vindicado.

Ante o exposto, com amparo no § 7º do art. 273, combinado com o art. 461, § 3º, do Código de Processo Civil, defiro o pedido de antecipação dos efeitos da tutela recursal, nos termos em que formulado anteriormente (fl. 1.144 – 5º vol.), vale dizer, para que a União e o Instituto Aerus de Seguridade Social “mantenham os pagamentos de complementação de aposentadorias, pensões e auxílios-doença na exata forma como ocorriam às vésperas da liquidação dos denominados Planos Varig e Transbrasil, a partir de aportes mensais da União ao Aerus nos valores necessários”.

Estabeleço o prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data da intimação, para o cumprimento desta decisão, findo o qual, sem cumprimento, incidirá multa diária, que fixo em R$ 100.000,00 (cem mil reais).
Intimem-se.

Publique-se.
Brasília, 19 de setembro de 2014.
Desembargador Federal DANIEL PAES RIBEIRO
Relator”

De véspera, ministros do STF defendem prisão em segunda instância

Tema será julgado na sessão do Supremo desta quinta-feira

Felipe Pontes

Os ministros Luís Roberto Barroso e Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), pararam hoje (16), antes da sessão plenária, para falar com jornalistas em defesa do cumprimento de pena após condenação em segunda instância da Justiça. O julgamento do tema está marcado para amanhã (17).


Para Barroso, uma mudança de entendimento para permitir a prisão somente após o fim de todos os recursos em instâncias superiores beneficiaria somente os criminosos de colarinho branco, sem surtir efeitos para os demais presos.

“Os que são criminosos violentos, em muitos casos se justificará a manutenção da prisão preventiva. Portanto, no fundo, no fundo, o que você vai favorecer são os criminosos de colarinho branco e os corruptos”, disse ele.

Já para Fux, representaria “realmente um retrocesso se essa jurisprudência for modificada”. Ele acrescentou que o cumprimento de pena após o segundo grau “segue os padrões internacionais”.

“Estamos adotando um precedente e temos de seguir essa regra. E estamos seguindo países como Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Portugal, Espanha e demais países do mundo”, disse Fux.

“O direito hoje, dependendo das soluções que se adota, ele gera comportamentos na população. Se o direito é muito flexível, as pessoas tendem a não cumpri-lo. Se o direito é um pouco mais rígido as pessoas alimentam que o Estado está disposto a punir e pensam duas vezes antes de delinquir”, acrescentou Fux.

Barroso, por sua vez, lembrou que até 2009 o entendimento do Supremo foi sempre no sentido de permitir a execução de pena após a condenação em segunda instância, e que isso mudou entre 2009 e 2016 somente quando “o direito penal chegou ao andar de cima”, avaliou. 

Julgamento
Na segunda-feira (14), o presidente do STF, Dias Toffoli, marcou para a sessão de quinta (17) o julgamento de três Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADC´s), relatadas pelo ministro Marco Aurélio Mello, que tratam do assunto.

Parlamento Europeu aprovou resolução que coloca nazismo e comunismo em pé de igualdade

A União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de o Parlamento Europeu ter aprovado em setembro uma resolução que condena os dois regimes ditatoriais.


No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido “genocídios e deportações e foram a causa da perda de vidas humanas e liberdade em uma escala até agora nunca vista na história da humanidade”.

A resolução Importance of European remembrance for the future of Europe contou com 535 votos a favor, 66 contra e 52 abstenções, noticia o jornal espanhol ABC esta terça-feira. Apesar do significado histórico, esta resolução passou despercebida pela maioria, ainda que este seja tema de debate recorrente entre os historiadores desde a queda da União Soviética há três décadas.

De acordo com o ABC, o jornalista polaco Ryszard Kapuscinski chegou a essa conclusão em 1995: “Se pudermos estabelecer a comparação, o poder destrutivo de Estaline era muito maior. A destruição levada a cabo por Hitler não durou mais de seis anos, enquanto o terror de Estaline começou na década de 1920 e prolongou-se até 1953.”

O debate alcançou o seu auge em 1997, com a publicação do “Livro Negro do Comunismo” que foi escrito por um grupo de historiadores sob a direção do investigador francês Stéphane Courtois, que se esforçaram por fazer um balanço preciso e documentado das verdadeiras perdas humanas do comunismo. Os resultados foram esmagadores: cem milhões de mortos, quatro vezes mais do que o valor atribuído por esses mesmos historiadores ao regime de Hitler: o genocídio terá feito cerca de 6 milhões de vítimas.

[Pernoitar, comer e beber fora] Casa Plátano, em Fátima

Este restaurante situa-se na Av. Dom José Alves Correia da Silva 220, juntinho ao Santuário. Fica no primeiro andar, em cima de uma grande loja de artigos religiosos e lembranças.

Depois, essas mesas seriam ocupadas

Guardanapo, embora pequeno, é de pano.

Oferece, logo que nos sentamos, uma garrafa de água filtrada. Inédito e muito bem-vindo. Ponto positivo!


Pedi, como entrada, os bolinhos de bacalhau. Estavam bons, sim senhor. E a minissalada também. Bonita apresentação.


Pedi, como prato principal, o polvo grelhado. Demorou muito, eu disse, muito, mais do que o normal, a chegar.

Professor da Califórnia afirma que comer carne ajuda o planeta


Frank M. Mitloehner, professor na Universidade da Califórnia-Davis, espantou-se com a pressão exercida pela grande mídia para se comer menos carne, sob o pretexto de “salvar o clima”. Para ele, trata-se de um engodo sobre mudança climática, com efeitos nutricionais e sociais negativos.

Os nutrientes da carne superam todas as opções vegetarianas, e criar gado é vital para os países pobres. Essa é a conclusão da ciência, diz o professor.

Mas a confraria verde pouco se importa com a ciência, e age com motivações ideológicas contrárias ao progresso, à saúde, à ciência e à civilização.
Título, Imagem e Texto: ABIM, 16-10-2019

What, Exactly, Is CNN?


David Foster

…and what are NBC and ABC?

When referencing these networks…for example, when talking about CNN’s increasingly-extreme political bias, ABC’s running of a video supposedly from Syria which was actually from Kentucky, or the reports about widespread abuse of women at  NBC, people tend to simply refer to them as “CNN”, “ABC”, or “NBC”, as if they were independent entities.  But they’re not.

CNN is owned by AT&T.  NBC is owned by Comcast, and ABC is owned by Disney.

The history is that CNN was part of Turner Broadcasting, which merged with Time-Warner in 1996.  Following a whole host of acquisition and divestiture transactions (which included a very expensive experience with AOL), Warner Media was acquired by AT&T in 2018.  NBC was acquired by GE in 1986 as part of its reacquisition of RCA; the networks was put into a joint venture with Comcast in 2009, and the GE share of the venture was bought out by Comcast in 2013. Disney acquired ABC in 1996 as part of its acquisition of Capital Cities/ABC Inc.

Given how these entities have been shuffled around, it may be understandable that people refer to them simply by the names of the networks; still, I think the proper way to refer to CNN would be “CNN, a subsidiary of telecommunications giant AT&T” and similarly for the others.
Posted by David Foster,  Chicago Boyz, on October 16th, 2019,

Pesquisa indica alta de 4,6% do mercado de trabalho no Brasil

Levantamento foi feito pelo IBGE

Cristina Índio do Brasil

O mercado de trabalho brasileiro registrou 90,1 milhões de pessoas ocupadas com idade igual ou superior a 14 anos. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é uma recuperação da queda anotada há três anos.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Entre 2012 e 2015, o crescimento médio anual foi de 1,2%. A trajetória foi interrompida em 2016, quando houve queda de 1,0%. Em 2017, se manteve estável para, em 2018, subir um pouco: 1,5%. Entre 2012 e 2018, a alta ficou em 4,6%.

Embora as mulheres representem mais da metade da população em idade para trabalhar (52,3%), cabem aos homens a maior parcela de trabalhadores: 56,7%. A participação masculina supera a feminina em todas as regiões do país.

Em 2018, o Sudeste anotou a maior participação feminina na ocupação atingindo 44,6%. Entretanto, se for observado o período de seis anos, em relação a 2012, o Nordeste teve o maior avanço no percentual de mulheres ocupadas, passando de 39,8% em 2012, para 42,1% em 2018.
Os dados fazem parte da avaliação dos rendimentos de todos os tipos de trabalho e de outras fontes de pessoas residentes no Brasil, incluída na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua (PNAD Contínua) Rendimento de Todas as Fontes 2018, divulgada, hoje (16), no Rio de Janeiro, pelo IBGE.

Rendimentos
A diferença entre homens e mulheres fica clara também quando se analisam os rendimentos de cada grupo. Em 2018, o rendimento médio mensal real de todos os trabalhos ficou em R$ 2.234,00. Enquanto os homens alcançavam R$ 2.460,00, as mulheres não passavam de R$ 1.938,00.

Segundo o IBGE, isso indica que a proporção do rendimento das mulheres em relação ao dos homens chegou a 78,8%.

Para a gerente da PNAD, Maria Lúcia Vieira, já é histórica a questão de diferença de rendimento entre homens e mulheres. “Se manteve em 2018 na comparação com 2017. A gente está pegando todos os rendimentos de mulheres e homens ocupados e está vendo a média que ainda é uns 20% abaixo”, disse.

Cor e raça
A pesquisa indica ainda que, em 2018, a população branca somou 45,2% da população ocupada. A parda era de 43,5%, mas a preta era bem menor (10,1%). Na comparação com 2012, a banca diminuiu 3,7 pontos percentuais, ao contrário da preta que cresceu 2,0 pontos percentuais, e da parda com alta de 1,3 ponto percentual.

Câmara aprova MP que modifica estrutura do governo federal

Entre outros pontos, o texto reformula atribuições da Casa Civil, da Secretaria de Governo e da Secretaria Especial do PPI

Eduardo Piovesan

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (15) a Medida Provisória 886/19, que reformula novamente a estrutura do Poder Executivo, anteriormente tratada pela MP 870/19 (Lei 13.844/19). A matéria, que perde a vigência nesta quarta-feira (16), deve ser votada ainda pelo Senado.

Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O relator da MP 886, senador Marcos Rogério (DEM-RO), incluiu no projeto de lei de conversão a reformulação das atribuições da Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos (Seppi), aproveitando o texto do relatório da MP 882/19, que perdeu vigência e tratava do tema.
A Seppi passará da Secretaria de Governo da Presidência da República para a Casa Civil.

Além de coordenar, monitorar, avaliar e supervisionar as ações do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), a secretaria deverá subsidiar a atuação dos ministérios, dos órgãos e do Fundo de Apoio à Estruturação de Parcerias (Faep); avaliar a consistência das propostas a serem submetidas para qualificação no PPI; e propor mudanças no marco regulatório dos setores e mercados suscetíveis de parceria.

Caberá ao órgão também apoiar o processo de licenciamento ambiental dos empreendimentos; promover diálogo com agentes de mercado e da sociedade civil organizada para divulgar oportunidades de investimentos e mudanças regulatórias; e celebrar acordos para a ação coordenada de projetos em regime de cooperação mútua.

Nessas atribuições, a novidade do texto é que a secretaria deverá manter diálogo com as confederações nacionais patronais desses setores, com comissões temáticas e frentes parlamentares do Congresso Nacional relacionadas a infraestrutura.

Conselho do PPI
O Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CPPI) também terá novas atribuições, como propor medidas para integrar os transportes aéreo, aquaviário e terrestre; definir os elementos de logística do transporte multimodal; harmonizar as políticas nacionais de transporte com as políticas estaduais e municipais; e aprovar as políticas de prestação de serviços de transporte às áreas mais remotas ou de difícil acesso do País.

Ansiedade e angústia

Nelson Teixeira

Mantenha-se calmo e despreocupado.

Ansiedades e preocupações provocam doenças psicossomáticas.

Doenças “psicossomáticas” são as doenças do corpo, que tiveram seu começo na mente.

Ansiedades, aflições, angústias, temores, “convertem-se” em enfermidades físicas.

Um número incontável de doenças que nos acometem é psicossomático.

Para que haja saúde física é preciso que haja, antes, saúde mental.

“Os pensamentos de maldade, medo, ódio, inveja, afetam as funções normais do organismo, influem sobre as secreções, geram venenos e têm como resultado a doença.

Os pensamentos de alegria, saúde e bondade, dão realmente, bondade, saúde e alegria a quem os tem.”
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 16-10-2019

Folha do Brasil: Damares é humilhada, Moro fala sobre pena de morte e perpétua e mais!


Folha do Brasil, 15-10-2019

Charada (1 072)

Enquanto caminhava
no campo, o Ti Manecas
encontrou um burro morto
de fome e de sede.
Considerando que o Ti
Manecas levava, no farnel,
água e algumas cenouras,
o que decidiu ele dar ao
burro em primeiro lugar?

terça-feira, 15 de outubro de 2019

[Viagens & Destinos] Fátima

Comprei a passagem LIS/Fátima/LIS já faz uns vinte dias, senão mais. A intenção primeira era pedir: para os aposentados pelo Aerus e para mim. E também agradecer: a saúde, a disposição, a vida... 

Após o Comunicado do Instituto Aerus nº 15/2019, inverteu-se a pauta. Cheguei AGRADECENDO: a vida, a saúde, a disposição e a alegria de viver. Depois, pedi: um olhar especial para todos nós, no próximo dia 28 de outubro.

Fiz tudo o que o Rochinha (o ateu mais cristão que conheço) não gosta: comprei velas, assisti à missa na Capelinha das Aparições e rezei um terço adaptado por mim: cinco Pais Nossos e cinco Ave Marias – que decorei desde as aulas de catecismo, no Cemitério Novo de Luanda, no primeiro ano da década de sessenta do século passado.

Fátima, gente, é um local de peregrinação cristã. Católica só. O pessoal das igrejas pentecostais, evangélicas e outras não têm o Santuário de Nossa Senhora de Fátima como local de peregrinação, muito menos de adoração. Estou errado?

Mas, independentemente de crença religiosa, política, filosófica, é um local a visitar quando viajando por Portugal.

Eu gosto bastante.



[Para que servem as borboletas?] O que nos move na vida, a razão ou imaginação?

Valdemar Habitzreuter

Pela visão Espinozista, somos parte da NATUREZA. A palavra “natureza” nos remete a nascer, gerar. Portanto, é inerente à NATUREZA uma potência que faz nascer, surgir. Há nela um duplo viés: a natureza naturante que é o ato de gerar, e a natureza naturada que são as coisas geradas (nascidas).

Portanto, a Natureza é um sistema orgânico de corpo e alma. Seu corpo é o universo das coisas geradas; e sua alma, a inteligibilidade geral que perpassa esse universo. Nós sentimos a Natureza em nosso íntimo, pois nossa constituição também é corpo e alma.

É bom saber o que nos move na vida para aproveitá-la com mais compreensão e assim podermos melhor nos nortear e verificar o porquê dos altos e baixos que acometem a vida particular de cada um de nós.

É inerente a nós uma potência de agir, uma força natural que faz com que perseveremos na vida. Ninguém quer morrer. É, claro, um suicida deseja dar cabo a sua vida porque não avalia essa força positivamente; tudo o que lhe afeta neste mundo o puxa a anular essa força, pois vive numa profunda tristeza.

Essa força quando se refere à alma chama-se vontade; quando se refere, concomitantemente, ao corpo e à alma chama-se apetite. O apetite, por sua vez, quando é acompanhado da consciência, transforma-se em desejo. A essência do ser humano é, então, desejo. Não que isso signifique, simplesmente, desejo disso ou daquilo, mas desejo generalizado, desejo de viver.

Pois bem, no âmbito desse desejo de viver temos que lidar com o mundo circundante em que somos afetados pelas coisas, ou pelos outros, em que nossa potência de agir pode ser aumentada ou diminuída. Assim, as coisas que nos afetam podem nos tornar mais fortes em perseverar na vida, ou nos enfraquecer.

Gilmar achincalha Moro

Gilmar Mendes achincalhou Sergio Moro no programa de Pedro Bial:

“Moro chegou ao governo quase que como um primeiro-ministro. Depois ele virou esse personagem que o Bolsonaro leva para o jogo do Flamengo. Ele está precisando do Bolsonaro. Antes o Bolsonaro precisava dele, depois ele passa a precisar do Bolsonaro”.

Gilmar Mendes está à vontade para esmagar a Lava Jato porque despreza o poder de Sergio Moro.

Título e Texto: O Antagonista, 15-10-2019

Folha do Brasil: Criminalidade tem queda histórica no Governo Bolsonaro, STF, Carlos Bolsonaro, Aparecida e mais!


Folha do Brasil, 14-10-2019

Bolsonaro sobe em pesquisa

Jair Bolsonaro ganhou 3 pontos na pesquisa da XP.
De setembro para cá, a parcela dos que o consideram ótimo ou bom passou de 30% para 33%.
E a parcela dos que o consideram ruim ou péssimo caiu de 41% para 38%.


Presidente Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, Moro e demais ministros participam da troca de bandeira

Antes da 21ª Reunião do Conselho de Governo, o Presidente Jair Bolsonaro participou junto com seus ministros do Hasteamento da Bandeira no Palácio do Alvorada. São hasteadas a Bandeira do Brasil, do Mercosul e a Bandeira Presidencial

Entusiasmo

Nelson Teixeira

Somos pássaros voadores.

Porém, se as asas do ânimo e entusiasmo estão quebradas ou não crescem, não será possível voar.

Veja os filhotes. Eles tentam voar, mas não conseguem porque suas asas ainda são pequenas.
Mas quando eles veem os pais voando, eles ficam entusiasmados e voam.

Sem entusiasmo não é possível voar alto.

Aqueles que perdem o entusiasmo rapidamente envelhecem.

Se você quer manter-se jovem, tenha sempre a atitude de aprender. No dia em que você pensa que não há mais nada a aprender, você fica velho.
Título e Texto: Nelson Teixeira, Gotas de Paz, 15-10-2019

[Aparecido rasga o verbo] Um papagaio difícil de levar no bico

Aparecido Raimundo de Souza

O CHICÃO BEIÇO DOURADO, professor de artes marciais, ficou maravilhado quando ao passar em frente a um Pet-Shopp na Rua Vinte e Cinco de Março, nas imediações da Praça da Sé (loja bastante sortida que vendia produtos para passarinhos e outros animais), se deparou com um cartaz onde anunciava a venda de um papagaio que falava três línguas distintas: inglês, francês e alemão. E ainda arranhava o japonês. Lula (esse era o nome da ave) havia lido toda a obra do português José Saramago, Jojo Moyes, assoviava todas as músicas de Roberto Carlos, recitava Carlos Drummond de Andrade, e, para completar seu curriculum vitae, imitava os artistas mais famosos da Rede Globo.

Chicão Beiço Dourado não pensou duas vezes. Entrou correndo e fez a aquisição do tal louro. Como a ave tinha todos esses atributos, precisou dar uma entrada em dinheiro, entrada essa representada por um cheque no valor de três mil reais como caução para segurar o negócio e retornar dia seguinte, com o restante do dinheiro, ou seja, enquanto se dirigia até o seu banco, no bairro da Casa Verde, para fazer um empréstimo pessoal de doze mil reais. Fechado definitivamente o negócio, o que lhe custou a bagatela de quinze mil reais, pode, finalmente, levar o belo verde de fronte-azul para seu novo lar.

Logo que chegou à sua residência, chamou a esposa, os filhos, convocou os amigos, os pais dos alunos da academia e todos os vizinhos. Chicão, além de bamba em artes marciais, possuía um conhecimento fabuloso na periferia. Morava há mais de trinta anos na mesma casa, edificada na Rua Águas Virtuosas e sem mais delongas, o povaréu reunido tira gosto e cerveja rolando solto, passou a entabular com Lula, pedindo que o louro falasse alguma coisa, a despeito do que lera no cartaz e não só lera, ouvira da boca do proprietário da loja e de seus cinco empregados. Todavia, Lula se absteve quieto e retraído. Nessa lengalenga, se passaram quinze dias, e o papagaio nada de dar sinais da sua sabedoria excepcional.


- Lula, meu lourinho, fala aqui para o papai, eu te amo em francês. Olha para o rostinho da minha esposa e manda vê. Vamos, solta a voz...

Lula simplesmente se prestava a olhar desconfiado para a criatura, para a esposa e seguia no seu canto, taciturno e arisco, como se estivesse tentando reconhecer aqueles rostos de algum lugar. A mulher do Chicão, por algum motivo, lembrava um pouco a Dilma. No mais... 
    
- Bichinho fofo, recita qualquer coisa de Carlos Drummond de Andrade. Lula assovia Amada Amante do Roberto Carlos...
Um mês e Lula desanimado. Às vezes tentava bicar o Chicão quando o cara tagarelava demais em seus ouvidos.
- Ai, ai, ai... Olha a malcriação! Olha a malcriação! Imita a Regina Duarte, não o Paulo Betti, a Dercy Gonçalves... Esquece: prefiro o Lineu de A Grande Família...

Charada (1 071)

Numa estafeta de
4x100 metros,
quantas vezes
os atletas
participantes
entregam o
testemunho
aos outros atletas
da sua equipe?

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Homicídios e outros oito crimes violentos caem no primeiro semestre

Alex Rodrigues

O número de homicídios caiu 22% em todo o país durante o primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2018. A informação foi divulgada hoje (14), em Brasília, pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com base em dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp).

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil
 O resultado já havia sido parcialmente antecipado pelo presidente Jair Bolsonaro, que, ontem (13), usou sua conta no Twitter para comemorar o que classificou como um dos pontos positivos de seu governo. Segundo o presidente, no primeiro semestre deste ano foram registrados 5.423 assassinatos a menos que no mesmo período de 2018.

Segundo o ministério, a redução no total de ocorrências também foi verificada nos outros oito tipos de crimes registrados na plataforma que reúne informações fornecidas pelos estados e pelo Distrito Federal, a partir de boletins de ocorrência das polícias civis.

Os casos de estupro caíram 12%. Tentativas de homicídio foram reduzidas em 9,4%. Também houve queda no total de latrocínios (-23,8%); lesão corporal seguida de morte (-3,2%); roubos contra instituições financeiras (-40,9%); roubo de carga (-25,7); roubo de veículo (-27%) e furto de veículo (-9,9%).
Título e Texto: Alex Rodrigues; Edição: Kleber SampaioAgência Brasil, 14-10-2019, 13h17

Oferta de vagas no comércio para o Natal será a maior em seis anos

Espera-se a contratação de 91 mil trabalhadores temporários

Vitor Abdala

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou hoje (14) uma estimativa sobre os postos de trabalho temporários para o Natal deste ano. De acordo com a CNC, espera-se a contratação de 91 mil trabalhadores temporários para atender ao aumento da demanda do varejo no período natalino, ou seja, 4% maior do que em 2018 e a maior oferta dos últimos seis anos.

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Estima-se que o Natal movimente R$ 35,9 bilhões no comércio varejista de todo o país, neste ano, segundo a CNC.

Para o presidente da confederação, José Roberto Tadros, essa “retomada parcial do nível de atividade do setor” está sendo influenciada pela inflação baixa, pelos juros básicos no piso histórico, por prazos mais amplos para a quitação de financiamentos e, principalmente, pela liberação de recursos extraordinários para o consumo, como os saques no FGTS e no PIS/Pasep.

Os estados que devem mais gerar vagas são São Paulo (22,6 mil), Minas Gerais (10 mil), Rio de Janeiro (9,4 mil) e Rio Grande do Sul (7,6 mil), que concentrarão mais da metade da oferta de vagas.

Já entre os setores do comércio, os maiores volumes de contratações deverão ocorrer nos ramos de vestuário (62,5 mil vagas) e de hiper e supermercados (12,8 mil). Oito em cada dez vagas ofertadas deverão ser preenchidas por vendedores (57 mil), operadores de caixa (13 mil) e pessoal de almoxarifado (4,6 mil).

Os maiores salários médios deverão ser pagos aos contratados para os cargos de gerente de marketing e vendas (R$ 2.724) e gerentes de operações comerciais (R$ 2.020).

A taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser maior do que nos últimos cinco anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%.
Título e Texto: Vitor Abdala; Edição: Valéria AguiarAgência Brasil, 14-10-2019, 12h25

[Pernoitar, comer e beber fora] Curral dos Caprinos, de novo

O que é muito bom é para repetir, certo?

Pois então, aproveitando a passagem por este lado da ‘lagoa’, dos senhores JF e JFF, fomos, eles e eu, ao restaurante Curral dos Caprinos, lá em Sintra, mais precisamente em Cabriz, Rua 28 de setembro.



Era sábado, chegamos por volta das 20h30. Casa cheia. Temor que não houvesse lugar. Mas a senhora esposa do ‘seu’ Pacheco nos encaminhou para a sala ao lado.

Pedimos três pratos para os três. Isto é, cada um de nós comeu uma parte de cada prato. Acho uma excelente ideia, passe a gabarolice.

Começamos pela Espetada especial à Caprinos (carne de vaca, de porco e camarão).


A Espetada já tinha sido comida

Continuamos com Secretos de porco preto.

E concluímos com Chocos grelhados (sem tinta.)

Tudo muito bom, na opinião de cada um de nós.

Para regar o banquete, foi o Douro Adega Real – vinho da casa.

Os senhores JF e JFF adoraram. Eu também.

Recomendadíssimo!
⭐⭐⭐⭐⭐

Relacionados:

Anteriores:

A cultura de ódio

Patrícia Fernandes

O fanático ativista sente-se moralmente superior porque reivindica um acesso privilegiado à verdade e essa atitude de superioridade impede a valorização do dissenso e a obtenção de consensos


Em 1714 Bernard Mandeville entrou para a história das ideias com a publicação de A Fábula das Abelhas: vícios privados, benefícios públicos. Considerado um dos livros fundamentais da economia política liberal, diz sobretudo muito sobre a moralidade do homem moderno. Partindo da separação moderna entre esfera pública e esfera privada, o argumento de Mandeville passa por considerar que os vícios privados são essenciais para a prosperidade económica, gerando benefícios públicos e coletivos – num argumento mais radical do que o do interesse próprio de Adam Smith. Ao recuperar a dicotomia entre vícios e virtudes e valorizando os primeiros, Mandeville permite-nos uma compreensão particular do espírito moderno. O espírito dos antigos consistia na busca pela vida virtuosa, a partir da comunidade, e o pensamento cristão manteve durante mais de mil anos a mesma ideia numa lógica de pecados capitais a evitar. Mas com a modernidade os vícios adquiriram aceitabilidade, primeiro privada e, mais tarde, pública.

Hoje assistimos ao culminar de uma expansão de vícios privados para a esfera pública. É o caso da ira e a tentativa de sustentar racionalmente discursos de ódio. Embora marque toda a modernidade, esse discurso floresceu com especial ênfase no mundo académico durante os anos 60 do século XX. É o nascimento da nova esquerda e a concepção radical de que o sistema existente é a encarnação de todo o mal, estando para lá da possibilidade de redenção. Todas as aflições públicas e privadas são manifestações desse sistema que é preciso combater ativamente: deve ser totalmente destruído para que seja possível construir um novo mundo. Nos Estados Unidos esse discurso ganhou forma numa espécie de ira provavelmente inédita: contra o próprio país e tudo aquilo que ele representa – capitalismo, imperialismo, guerra, desigualdades, injustiça. Um sentimento que se foi alargando a outras academias e que atinge o seu auge com o 11 de setembro. A professora canadiana Janice Fiamengo refere essa data como o seu momento de ruptura com a cultura que dominava a academia e que determinara o seu feminismo radical anterior. Quando viu os colegas manifestarem satisfação com o ataque às torres gémeas percebeu que havia algo de profundamente errado com aquelas pessoas e aquela cultura.

Instituto Aerus volta a pagar


COMUNICADO Nº 015/2019

Assunto: Antecipação de Tutela Recursal (Decisão proferida pelo Desembargador Federal Daniel Paes Ribeiro do TRF – 1ª Região, nos autos da Apelação em Ação Civil Pública nº 0010295-77.2004.4.01.3400)

Prezados (as) credores participantes aposentados(as) e pensionistas,

Fazendo referência ao processo em evidência, informamos que, após recente decisão proferida pelo Desembargador Federal Dr. Daniel Paes Ribeiro nos autos da RECLAMAÇÃO (12375) proposta pela Associação dos Participantes e Beneficiários do Aerus – APRUS, processo número 1033052-38.2019-4.01.0000, cujo teor ratificou a decisão anterior; e em função do pedido do Aerus contido na carta Liq nº 034/2019, de 02/10/2019, foi realizado depósito pela União Federal do valor necessário para o pagamento da diferença da Tutela Recursal referente ao mês de agosto de 2019 e o referente à folha de pagamento do mês de setembro de 2019, relativos aos credores contemplados, planos VARIG e TRANSBRASIL.

O crédito está previsto para ocorrer até o próximo dia 18/10/2019 (podendo ser antecipado).

Os contracheques estarão liberados em breve no site do Aerus na área restrita (AUTO ATENDIMENTO).

Atenciosamente,
Luis Gustavo da Cunha Barbosa
Liquidante
Portaria Previc nº. 1.181, de 20/12/2017, DOU de 22/12/2017

Relacionado:

Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil

Kelly Oliveira

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período) apresentou expansão de 0,07% em agosto em relação a julho deste ano, segundo dados divulgados hoje (14), em Brasília, pelo Banco Central (BC).

Foto: Arquivo/Agência Brasil
Na comparação com agosto de 2018, houve queda de 0,73% (sem ajuste para o período). Em 12 meses encerrados em agosto, o indicador cresceu 0,87%. No ano, houve crescimento de 0,66%.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para fazer um acompanhamento mensal da atividade econômica. Mas o indicador oficial, com metodologia diferente do IBC-Br, é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgado trimestralmente.
Título e Texto: Kelly Oliveira; Edição: Kleber SampaioAgência Brasil, 14-10-2019, 10h28

O “segredo” de André Ventura

Cristina Miranda

Não tem papas na língua. Não é politicamente correto. Está-se pouco lixando para os Focus Group. É intuitivo. É assertivo. É contundente. Sabe comunicar.  Chega a todos. Não é elitista. Não tem medo da verdade. Defende rigorosamente suas convicções. Toca em todas as feridas do país sem receios. É determinado. É teimoso. É genuíno. Sabe liderar. Eis o segredo de André que personifica o CHEGA.

Ilustração: GARGALO
Não é por acaso que todos lhe têm medo. Uma pessoa assim, no Parlamento, de facto, é assustador. Pior: abre as portas, caso seja bem-sucedido, para que entre mais gente do mesmo calibre. O problema? Simples: vai ser o começo de uma oposição forte ao regime que nos desgovernou por mais de 44 anos. É a semente que vai germinar e reproduzir-se de tal modo que vai provocar a médio prazo a implosão do sistema que criou políticas erráticas que conduziram à maior corrupção de que há memória neste país. Será o início do fim de uma era de hegemonia socialista que arruinou a nossa economia e que, como todos sabemos, está apenas segura por pinças da UE (não fosse isso já teríamos colapsado há muito tempo).

Eu sempre disse a quem me quis ouvir – inclusivamente a alguns membros da Direção do partido – que o CHEGA entraria no Parlamento pelo menos com um deputado. Há muito tempo que avisava quem o desdenhava que pusessem os olhos nele e seguissem seu exemplo em vez de o achincalhar. Avisei que nunca se deve menosprezar os adversários, mas antes, observá-los e analisá-los com atenção para identificar o que fazem de bom e tentar superá-los. Mas, ninguém me quis ouvir. Na organização onde me encontrava, desde o Congresso até à minha saída, falei para a parede quando disse que era urgente corrigir a trajetória porque o abismo estava mesmo ali à espreita. Não adiantou de nada. E eu, mais uma vez acertei em cheio.

O problema dos intelectuais que andam na política é mesmo esse: não entendem o segredo por trás da popularidade. Todos pensam que tem a ver com palavras eruditas contidas num discurso pomposo (que quase só de dicionário ao lado e manuais sobre economia conseguem ser entendidos), politicamente correto, que agrada a todos e quando não agrada, tem flexibilidade suficiente para se contorcer até agradar. E quando veem alguém com uma mensagem mais simples, mais transparente, mais assertiva, mais forte, mais abrangente, ficam atônitos e perguntam-se: como foi possível aquela pessoa tão “básica” chegar a tanta gente? Não percebem por que para se perceber tem-se de ser genuinamente do povo ou ter pelo menos vivido com ele ou perto dele.

O piedoso dever de protestar: uma prova de amor à Igreja

FratresInUnum.com

Os bispos estão com medo. Nunca pensaram que haveria uma manifestação tão forte, espontânea, contínua e contundente quanto às ameaças do Sínodo dos bispos e de toda a esquerdização da Igreja Católica.

Antes, ignoravam a resistência. Agora, já não podem mais fazê-lo. Mostram-se mordidos porque foram mordidos. A sua credibilidade está em queda livre e eles não sabem o que fazer.

A coalizão “Em ordem de batalha”, que reúne católicos do mundo todo, em manifestação, em Roma, no dia 28 de setembro de 2019.
Um dos modos de reagir é se sustentarem em um mútuo encorajamento. Na última assembleia geral da CNBB, por exemplo, um dos refrões era que o laicato está com uma crise adolescente e sente a necessidade de se autoafirmar batendo nos bispos. Obviamente, sempre existe aquela fatia de leigos lacaios que vivem de bajular bispos e padres, reproduzindo feito papagaios os seus mesmos clichês e cacoetes.

Um dos problemas do clero católico é justamente o fato de que foram formados para ser aduladores, sempre dizem o que o superior quer ouvir e, deste modo, a idiotização aguda vai se tornando cada dia mais crônica, progressiva e irreversível.

O maior exemplo disso é este Sínodo da Amazônia. O povo está dividido em dois grupos: de um lado, os revoltados que gritam sem cessar; de outro, os demais, que não estão nem aí para o assunto. Belo sucesso!

A Igreja está passando por um tremendo descrédito unicamente porque há um grupo de senhores deslumbrados e que se acham visionários, entusiastas de uma revolução que juntou há quarenta anos hippies e maconheiros, mas que hoje em dia já não emplaca na consciência de ninguém, muito menos dos fiéis católicos. Mas eles não percebem! Estão eufóricos demais com a sua própria besteira.

Charada (1 070)

Ponha ordem
neste caos:

Ovelha → Touro
Perdiz → Zangão
Cabra → Perdigão
Égua → Carneiro
Abelha → Bode
Vaca → Cavalo