segunda-feira, 28 de outubro de 2019

[Aparecido rasga o verbo] Nosso “Macho Man” virou estrela

Aparecido Raimundo de Souza

MAIS UMA VEZ A COLUNA “RASGANDO O VERBO” volta em edição extraordinária, desta feita para anunciar, à família “Cão que Fuma”, o falecimento do diretor e ator Global, JORGE FERNANDO DE MEDEIROS REBELLO, ocorrido ontem, domingo, 27, no Hospital Copa Star, em Copacabana. 


O diretor global nos deixa aos 64 anos (nasceu aqui no Rio de Janeiro, aos 29 de março de 1955), vítima de uma parada cardíaca em decorrência de uma dissecção de aorta completa. Trocado em miúdos, ANEURISMA.

A sua atuação, como diretor de novelas, vem desde 1981, quando dirigiu “Jogo da vida”, de Silvio de Abreu e Janete Clair.  Em seguida nos presenteou com “Sétimo Sentido”, “Sol de Verão”, “Guerra dos Sexos”, “Vereda Tropical”, “Cambalacho”, “Brega&Chique”, e “A Próxima Vítima” entre dezenas de outros folhetins, culminando, todavia, com “Verão 90”, das renomadas autoras Izabel de Oliveira e Paula Amaral.

Como ator, poderíamos citar “Ciranda, Cirandinha”, de 1978, interpretando o papel de Reinaldo. Em “Roque Santeiro”, viveu o personagem Lucio Armando e na própria “Verão 90”, tivemos a sua participação especial como Mendoncinha. Jorge Fernando ganhou o prêmio “Extra de TV”, como melhor ator, em face da sua encenação como Nelson Zuzu, em “Macho Man”.


Jorge Fernando era filho de Armando Rebello e da também atriz Hilda Rebello, esta a Ama Zefa, de “Que Rei Sou Eu?”, a Tia Pepa, em “Guerra dos Sexos” e Dona Marieta Pereira de Carvalho, em “Haja Coração”, de Daniel Ortiz, levada ao ar em 2016. O diretor deixa a mãe dona Hilda, com 95 anos, e a irmã Maria Rebello, de 29. Não deixa filhos, nem relacionamentos conhecidos.

O velório (aberto ao público) está marcado para amanhã, 29 de outubro, terça-feira, a partir das 8h às 10h e das 11h às 13hs, na Capela Ecumênica do Crematório e Cemitério da Penitência, no Caju, ou Cemitério São Francisco Xavier, este à Rua Monsenhor Manuel Gomes nº 311, Zona Norte da cidade maravilhosa.
 

À família, aos milhares de amigos e fãs enlutados, devemos dizer, por derradeiro, que lamentamos profundamente que todos estejam passando por momentos tão dolorosos e, acima de tudo, instantes amargos dos quais não existem voltas, tampouco retornos. Que o Altíssimo Deus Soberano conceda PAZ à alma de Jorge Fernando amigo querido que tão prematuramente nos deixou.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, do Rio de Janeiro, 28-10-2019

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-