terça-feira, 29 de outubro de 2019

[Sem rodeios] Religião e Justiça

Vanderlei dos Santos Rocha

Pois,
Nada mais simples como começar um introito com Cícero.
Justiça e religião buscam estabelecer o que é certo e o que é errado.
Cícero dizia que "felizmente o tempo muda os costumes".

O estado produz leis e punições por historicidade e assumidamente por vezes falhas, que podem ser diferenciadas no tempo com novas práticas sociais. A justiça é uma prática social, nunca uma ciência exata.

A religião também é uma prática social, que através dos tempos provou-se não ser uma ciência exata. O fiel acredita que a verdade foi revelada pelo seu deus.
A verdade que ele ostenta não é relativa, mas absoluta. Basta ter fé para carregar aquela verdade no peito.

Ele crê que todos, por bem ou por mal, compartilhem as suas verdades.

As verdades divinas transformam o crente em fanático, disposto a matar (ou morrer) por suas verdades.

A justiça divina tem duas fases: ou acontece após a morte, ou acontece num infortúnio ao criminoso de adoecer ou morrer.

A igreja católica tem mais de 20 000 santos aproximadamente, e aleatoriamente cerca de 55 por dia do ano. Há de perguntar-se ao fiel qual deles resolveu seu problema humano naquele dia.

A justiça divina só encontra conforto no sistema judiciário ou nas fatalidades que venham acontecer aos maus indivíduos.

Enche o saco, definitivamente, as orações e fotografias de santos em postagens para fazer um pedido de justiça. A justiça humana é enfática, a justiça divina é empírica.

No caso do nosso AERUS, o libelo acusatório da ACP e da terceira fonte SÃO INCONTESTÁVEIS.
NÃO SÃO PRECISOS REZAS E ORAÇÕES, apenas humanos inteligentes para julgá-los.

Eu até agradeci aos juízes, mas não deveria.
Nós não devemos agradecer a quem cumpre com diletantismo seus deveres.
Fosse eu um religioso canonizava-os sem milagre algum.

Para encerrar pergunta-se?
Quanto jegues canonizaram diretores da VARIG e do AERUS?
Aliás agradeçamos às suas cagadas corruptas que cooptaram funcionários públicos para aceitaram suas falcatruas, de graça não foram.

A CÉSAR O QUE É DE CÉSAR, AO HOMEM O QUE É DO HOMEM, A DEUS O QUE É DE DEUS.
Fui!
Título e Texto: Vanderlei dos Santos Rocha, 29-10-2019

Relacionado:

Anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-