segunda-feira, 24 de junho de 2019

[Foco no fosso] Marta é de Marte?

Haroldo P. Barboza

Fatura do futuro

O esporte, com certeza, é um grande aliado para a melhoria da qualidade de vida de qualquer cidadão. A massificação de prazerosa atividade (assim como o turismo segmentado) ainda permite o surgimento de bastantes centenas de pessoas que acabarão sobrevivendo pelas suas habilidades específicas.

Isto alimenta nova legião de adeptos e o mercado cresce, gerando empregos e divisas. Inclusive para atividades relacionadas. Além de ser importante ferramenta que mostra a face positiva da disciplina, da redução de doenças e afastamento de jovens de caminhos escuros que os levam à criminalidade.

Mas estas virtudes do esporte são ignoradas pelos dirigentes públicos, que preferem dirigir um povo pobre, doente e não acostumado a seguir normas que ajudem seu aperfeiçoamento como cidadão útil e independente, que deixa de se humilhar ao se tornar “dependente” acomodado de um sistema falido de gestão. Bem como das drogas.

Por isto ficamos entristecidos com a perda da oportunidade na França (sua eficaz seleção é fruto de dez anos de trabalho sério) de alavancar o futebol feminino em nossa pátria com uma posição de maior destaque. Apesar de termos ótimas atletas, nossos dirigentes não criam as condições para que empresas se animem a patrocinar este segmento.

E desta forma raramente teremos a chance de ver um futebol que vem se tornando atraente no resto do planeta, pois as meninas oferecem os seguintes atrativos (fora outros):

- são responsáveis junto ao treinador;
- tentam seguir as normas sem evidenciar as malandragens e encenações habituais no ramo masculino;
- correm o tempo todo;
- fazem poucas faltas durante o jogo;
- raramente entram para machucar a colega de profissão;
- muitas são bonitas.
Da mesma forma que a “onda Guga” no tênis arrefeceu, a “onda Marta” vai perder força. Quando vai surgir outra de mesmo quilate?

E nosso portentoso parque olímpico (RJ) continuará com a fachada de “legado” inútil, cujo maior mérito foi gerar contas superfaturadas para quitarmos nos próximos anos.

Obrigado, Marta e suas seguidoras que lutaram com o coração por uma pátria combalida pelas ratazanas cuja única atividade esportiva que apreciam é conferir seus extratos bancários. Estas meninas heroínas poderão nos alegrar em mais uma copa?
Título e Texto: Haroldo P. Barboza, 24-6-2019

Anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-