domingo, 16 de fevereiro de 2020

FC Porto a UM ponto da liderança do campeonato

O Futebol Clube do Porto venceu hoje, domingo, 16 de fevereiro, o Vitória de Guimarães, no campo deste, por duas bolas a uma.


Depois da vitória do Porto sobre o Benfica, no sábado, 8 de fevereiro, no Estádio do Dragão, e a derrota deste, ontem, perante o SC de Braga, o FC Porto está a UM ponto da liderança do campeonato.

Basta ao Porto vencer todos os próximos jogos, e o Benfica empatar um, para o FC Porto ganhar o campeonato. O que, é evidente, não é nada fácil!

De registrar o lamentável ocorrido com o Marega: tudo aconteceu depois que o jogador natural de Mali fez o segundo gol do jogo, ao minuto 60. Após a comemoração, ele recebeu cartão amarelo. Segundo relatos do jornal A Bola, cadeiras foram atiradas em direção a Marega.

Mas não parou por aí. Quando tocava na bola, o jogador do FC Porto ouvia cânticos racistas. Menos de dez minutos após o gol, ele decidiu abandonar a partida. Apesar das tentativas de companheiros de equipe, do técnico e até de adversários de mantê-lo em campo, Marega decidiu sair e precisou ser substituído.




Vale lembrar que Moussa Marega foi jogador do Vitória de Guimarães.

V. Guimarães-FC Porto, 1-2 (crônica)
Chama do dragão queima terreno

Bruno José Ferreira

A chama do dragão queima terreno. O FC Porto vence em Guimarães (1-2) passando num terreno difícil após o triunfo no clássico com o Benfica e aproxima-se do rival. A liderança está a apenas um ponto, o conjunto de Sérgio Conceição ameaça ripostar na mesma moeda à recuperação encarnada da época passada.

No D. Afonso Henriques os azuis e brancos estiveram longe de deslumbrar, passaram até por momentos de aperto, mas marcaram nos momentos certos e tiveram depois a capacidade para congelar o jogo. Um autogolo de Douglas e um golo de Marega na segunda metade fazem os dragões conquistar os três pontos na Cidade Berço.

A ver o comboio europeu passar cada vez mais ao lado, o V. Guimarães foi mais do mesmo. Prestação positiva em mais um jogo de cartaz, esteve por cima várias vezes, mas sai uma vez mais de mãos vazias do encontro. O golo de Bruno Duarte foi insuficiente.

Entrada avassaladora, resposta e jogo congelado
Forçosamente motivado por aquilo que a jornada já proporcionou, o FC Porto teve uma entrava avassaladora no D. Afonso Henriques. Encostou um V. Guimarães já de si tímido às cordas, colocando várias bolas com perigo na área da equipa de Ivo Vieira.

Foi, por isso, sem surpresa, que o conjunto de Sérgio Conceição chegou à vantagem quando estavam decorridos apenas onze minutos. Com um início de jogo de sentido único, Sérgio Oliveira encheu o pé esquerdo na área ao rematar de primeira após cruzamento de Zé Luís. A bola embate na trave e é devolvida pelas costas de Douglas para dentro da baliza.

Vantagem justifica. A entrada azul e branca foi forte, também em grande dose à boleia de um Vitória apático. Precisou de sofrer a equipa de Ivo Vieira para entrar em jogo, registando uma resposta também ela forte, na qual conseguiu três oportunidades soberanas.

Valeu Marcano a evitar o empate em cima da linha de golo com um corte quase milagroso. Pouco depois foi Marchesín a travar uma autêntica bomba de Pepê com uma grade defesa e por último foi Bruno Duarte a atirar ao ferro, ainda que o lance fosse invalidado por fora de jogo.

Arranque de jogo prometedor, mas que acabou por ser congelado. As duas equipas baixaram a intensidade, por conveniência do FC Porto e por falta de capacidade dos vimaranenses para manter o ritmo a nível ofensivo.

FC Porto resiste, marca e volta a congelar
A entrada no segundo tempo voltou a ser intensa, mas com inversão de cores. O Vitória precisou apenas de quatro minutos para empatar o jogo. Ola John percorreu todo o flanco esquerdo livrando-se de três adversários e já na linha de fundo cruzou de pé esquerdo para cabeçada certeira de Bruno Duarte.

Mérito da jogada do Vitória, mas Marchesín e Marcano não ficam propriamente bem na fotografia ao deixar o avançado completamente sozinho nas costas. Empolgou-se o Vitória, empurrou o D. Afonso Henriques e a equipa vimaranense esteve por cima, fazendo vários remates, ainda que sem criar grande perigo.

Quando o V. Guimarães estava por cima uma bola longa de Mbemba para Marega teve a ajuda de Venâncio a parar o esférico na correria, deixando Marega completamente isolado para marcar. O maliano picou sobre Douglas e devolveu os dragões à vantagem no marcador.

Voltou a congelar o jogo o FC Porto. Como pôde. Marega pediu para sair após ter sido insultado pelos adeptos da casa na sequência dos festejos do golo, Marchesín retardou as reposições de bola em jogo perante uma tentativa de resposta pouco produtiva do Vitória. A realidade é que até pertenceu a Corona, que rematou por cima na cara de Douglas.

Três pontos preciosos para os dragões, num terreno difícil, a queimar terreno em direção à liderança.
Título e Texto: Bruno Ferreira,  Jornalista Correspondente, Mais Futebol, 16-2-2020

Um comentário:

  1. Vasco
    @VascodaGama

    Lamentamos por mais um episódio de racismo no futebol, desta vez em Portugal.

    Somos solidários ao jogador Moussa Marega do
    @FCPorto vítima de insultos em partida diante do Vitória de Guimarães.

    Não há espaço para o racismo em nossa sociedade.

    #RacismoNão

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-