terça-feira, 26 de maio de 2020

Nos EUA, grupo Latam pede recuperação judicial

As unidades da empresa no Brasil, na Argentina e no Paraguai ficaram de fora do processo; pandemia de coronavírus prejudicou os negócios da companhia

Cristyan Costa

Nos Estados Unidos, a empresa de aviação, Latam, decidiu protocolar um pedido de recuperação judicial nesta terça-feira, 26. O processo diz respeito as afiliadas da companhia no Chile, no Peru, na Colômbia, no Equador e nos EUA.



Contudo, as unidades do grupo no Brasil, na Argentina e no Paraguai ficaram de fora.

Sendo assim, a companhia é a segunda aérea da América Latina a fazer a solicitação por causa da pandemia de coronavírus. A quebradeira no setor atingiu há pouco mais de duas semanas a Avianca Holdings, que fez o mesmo pedido.

Recentemente, a Latam demitiu funcionários e tentou levantar recursos para quitar as dívidas, mas não foi suficiente. Em razão da inadimplência, as agências de classificação de risco de crédito Fitch e S&P rebaixaram a nota da empresa.

Em nota, a empresa informa: “Implementamos uma série de medidas difíceis para mitigar o impacto dessa disrupção sem precedentes no setor, mas, no fim das contas, esse caminho é a melhor opção”.

Saiba mais
Segundo a companhia, todas as passagens atuais e futuras, vouchers de viagem, pontos e benefícios do programa Latam Pass, bem como políticas de flexibilidade, serão respeitados.

Suas afiliadas, ademais, continuarão operando voos de passageiros e de carga, sujeitos a restrições de demanda e de viagem.

Funcionários do grupo continuarão sendo pagos e receberão os benefícios previstos em seus contratos de trabalho.

Fornecedores serão pagos em tempo hábil pelos bens e serviços entregues a partir de 26 de maio de 2020 e ao longo desse processo.

Recuperação judicial
É o processo no qual a empresa pede proteção à Justiça de modo que os credores não possam executá-la.

Além disso, a companhia endividada consegue um prazo para continuar operando enquanto negocia dívidas.

Sendo assim, é um mecanismo para evitar que a empresa em dificuldade financeira feche as portas.
Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 26-5-2020, 7h35

Relacionado:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-