terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A culpa pelo massacre na penitenciária de Manaus… não é dos presos violentos! É do "sistema"


Ludmila Lins Grilo

A jornalista da GloboNews disse que a culpa pelo massacre na penitenciária de Manaus é do "sistema perverso".

Percebam como a mídia o tempo inteiro tenta manipular o imaginário coletivo para que a RESPONSABILIDADE PESSOAL do agressor seja absolutamente ignorada, e a culpa de tudo recaia sobre ENTES ABSTRATOS - como já alertava o psiquiatra e escritor Theodore Dalrymple em seu livro obrigatório "A Vida na Sarjeta".

Hoje em dia a culpa não é do preso violento - é do SISTEMA.

A culpa não é do motorista imprudente - é do ÁLCOOL.

A culpa não é do ladrão mau-caráter - é da POBREZA.

A culpa não é do assassino cruel - é da INTOLERÂNCIA.

A culpa não é do adolescente infrator perverso - é da DESIGUALDADE.

A retirada da responsabilidade pessoal dos ombros dos cidadãos, colocando-a em meras abstrações, é prato cheio para que ninguém mais se preocupe com NADA, já que a culpa sempre será de outra pessoa, ou, principalmente, de outra COISA.

Se a sociedade é formada por indivíduos - tal como o corpo humano é formado por células - não há como prosperar diante dessa cultura do vitimismo e da desresponsabilização de seus componentes individualmente considerados.
Texto: Ludmila Lins Grilo, Facebook, 2-1-2017

6 comentários:

  1. Ludmila Lins Grilo3 de janeiro de 2017 20:50

    Segundo a AJD - Associação Juízes para a Democracia (aquela dos juízes bonzinhos e progressistas), a culpa do massacre de Manaus não foi dos presos homicidas: foi do Estado e de sua política de encarceramento em massa.
    O Estadão, claro, já publicou.

    ResponderExcluir
  2. A diluição das responsabilidades individuais, certamente atua como base para a centralização do poder
    Quando algo intangível ("Ente abstrato") passa a justificar atos inaceitáveis, certamente, estimularemos mais e mais a impunidade.
    Enfim: Sem responsabilização individual não se tem liberdade coletiva.

    ResponderExcluir
  3. "Entes Abstratos" não podem e não devem assumir com explicações coletivamente aceitáveis, a responsabilidade imposta a cada um de nós. Sem responsabilização individual não se tem liberdade coletiva.

    ResponderExcluir
  4. Meu comentário será indigesto.
    Há alguns meses nós colocávamos no prato principal um resolução da ONU do qual o Brasil é signatário, sobre a responsabilidade do estado num projeto de vida.
    Comentei na ocasião que um bêbado ao volante matando os pais de uma criança, destrói um projeto de vida, e que o bêbado irresponsável é responsável por aditar esse projeto de vida às suas expensas. Se não pode, ou se o estado não o pune, é o estado responsável por esse projeto.
    Debatemos por semanas.
    Além disso há os assassinatos, os latrocínios e as perdas de patrimônio que o estado deve punir exemplarmente, e manter os projetos de vida das vítimas.
    Há gente que morre por falta de tratamentos médicos, eis outra responsabilidade do estado.
    Há a as fiscalizações nos sistema de previdência privada, que são obviedades da responsabilidade do estado.
    Há as intromissões nas concessões dadas pelo estado congelando tarifas, cuja intervenção é proibida por leis.
    Ambos os casos acima aconteceram conosco e destruíram milhares de projetos de vida.
    A criminalidade é um pesadelo, mas nossos presos recebem penas piores que a morte. Além deles terem nossas vidas em suas mãos nas ruas, o estado os condena a lutarem para sobreviver.
    O projeto de vida dos cidadãos do bem ou do mal está em punições severas e presídios decentes.
    Damos terras para quilombolas, indígenas corruptos, pagamos pensões a perseguido políticos, e de sindicalistas promíscuos, que se acharam perseguidos.
    Não sou politicamente correto, o estado falido pela corrupção é conivente no submundo prisional, e deve pagar pelos projetos de vida destruídos, assim como o dever de punir severamente os criminosos, sem causar-lhes danos físicos, em condições humanas.
    Eu diria que sem a responsabilização coletiva criminaliza-se as liberdade individuais, também.
    Nós pagamos nossos impostos para que o estado nos proteja.
    Nós devemos criminalizar as individualidades responsáveis pela omissão de nossos governos.
    Independente de haver omissão do estado, votamos, os colocamos no governo, indiretamente somos responsáveis pelas omissões.
    Dumas escreveu:
    Um por todos e todos por um.
    A democracia não é individual.
    Já a liberdade é individualíssima de cada um, esta é sempre a do outro.
    Fui...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [Off topic] Rochinha, enviei e-mails para você. Acho que você não os recebeu...

      Excluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-