sexta-feira, 22 de maio de 2020

O PÚBLICO de facto não dá recados: tornou-se uma madrassa chique

Helena Matos


E as formigas lá de casa dão direito a pena suspensa? E as baratas, senhores? Duvidando eu muito que se os inquiridos tivessem uma cobra em casa conseguissem convidá-la a sair sem desatar aos gritos, ligar para as emergências existentes e por existir e que no limite não a matassem, gostaria de saber se estas 700 pessoas representativas da população portuguesa são a favor de penas de prisão efetiva  para os agressores de humanos. Ou as agressões aos humanos são apenas a consequência dos distúrbios psicológicos e sociais decorrentes do sistema?

P.S.: A propósito de um livro o PÚBLICO faz hoje esta magnífica introdução: «fala-nos de uma experiência humana que continua a ser deste tempo: a do migrante sob as condições do capitalismo e da impiedosa mercantilização da vida humana» como serão as condições do socialismo para o migrante?

Por exemplo, quantas pessoas emigraram para a Venezuela de Chávez-Maduro? O PÚBLICO de facto não dá recados: tornou-se uma madrassa chique.
Título e Texto: Helena Matos, Blasfémias, 22-5-2020

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-